segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Quatro Linhas #1: O Ciclo Preparatório


Caros bloguistas:

Inicio aqui uma colaboração com o Eterno Benfica que coincide com a minha renúncia ao jornalismo. Após vinte e cinco anos atrás das ideias dos outros, acho que chegou a altura de construir o meu próprio património ideológico. Faço-o nesta altura em que ainda desconheço o que farei no futuro para manter bem alimentadas as duas pequenas bocas que tenho em casa, mas que gritam desde a sua nascença pelo mesmo refrão que forrou a minha ascendência futebolistica: «slb, slb, slb, glorioso slb, glorioso slb». Para os meus filhos, como para mim, sempre será uma senha para a felicidade pura e indiscutível. Mesmo nas derrotas, mais do que nas vitórias, sempre soube encontrar no Benfica uma estranha tendência para me sentir feliz. Apesar de Pringle, Escalona, Rojas, El Hadrioui, Beto, Fernando Aguiar e muitos outros que se desviaram da reputação internacional do clube, mesmo assim, há coisas que o clubismo sério e profundo aprende a desculpar. E até pode ser uma forma poética de amar o jogo, pela diferença, pelo sacríficio e pelo canto do olho, único espaço que certos jogadores podem ocupar enquanto entretemos a retina com Chalana, Alves, Eusébio, Valdo, Rui Costa e mais recentemente Cardozo.

É verdade, tenho uma estima pessoal e já muito desenvolvida pelo atacante paraguaio. Dizem os meus amigos mais chegados – benfiquistas claro, de outro modo não seriam os mais chegados – que é lento. Outros dizem-me que uma girafa tem uma locomoção mais elegante. Aos primeiros digo que as melhores imagens numa transmissão televisiva de futebol surgem-nos em super-slow-motion. É assim que vejo Cardozo e a sua atípica graciosidade. Em qualquer transmissão de um jogo do Benfica já me habituei a dispensar as imagens em câmara lenta. Já tenho Cardozo e chega-me. É craque. Ainda pouco assimilado pela equipa e pelo treinador que sempre desconfiou dele, Cardozo faz golos ao mesmo tempo que faz pela vida. Não está certo, porque um jogador destes não tem de fazer mais do que as suas características recomendam. Tenho de recordar a premonição do meu amigo José Veiga, quando me disse, ainda na Argentina, quando tentava arrancar ao Newell’s Old Boys o seu abono de família: «Dentro de dois anos será um dos melhores pontas-de-lança do futebol europeu». Como sabem José Veiga não estava na Argentina mandatado pelo seu instinto, mas sim pelo presidente do Benfica. Não foi assim há tantos meses que não se lembrem. Pois bem, tenho de agradecer aos dois pela contratação de Cardozo para o Benfica. E tenho, igualmente, de dar razão a Veiga quando ele me anunciou, por telefone, a contratação do atacante paraguaio. «Com Cardozo e Miccoli, servidos por Simão, vamos ser campeões».

Para muitos benfiquistas este “vamos” tem muito que se lhe diga. Porque se recusam a aceitar a entrada de José Veiga na maravilhosa família benfiquista, considerando-o um convertido de quem é melhor desconfiar. Pois bem, mesmo assim, o antigo director-geral continua a recusar o pagamento de quotas noutro clube que não seja o Benfica e isso tranquiliza-me. Mesmo que por motivos de saúde fosse obrigado a frequentar as piscinas do Sporting ou que fosse uma vítima da inoportunidade de um amigo que não cedesse à tentação de lhe pagar as quotas no FC Porto.

O Benfica tem Cardozo e estou grato por isso. E de pouco adiantam os estranhos telefonemas que tenho recebido com a gritante informação de que o preço do jogador teria ganho espectacularmente pernas e que estaria algures a meio do Kilimanjaro, subindo, subindo, subindo, até aos quinze milhões de euros. Confesso que não sei se a intenção é despejar a responsabilidade do negócio em cima de quem esteve na Argentina a negociar a transferência do jogador. O que sei é que quem lá esteve tinha um mandato. E passado por alguém que reconhecia em Cardozo, talvez, não sei, o início de um novo ciclo. Como muitos sabem, nos últimos tempos, o Benfica está a especializar-se em ciclos. São de pouca duração, mas acredito na bondade de todos eles. Aceito-os como a experimentação necessária para chegar ao Grande Ciclo. O das vitórias.

Além do mais, Cardozo ainda vai dar aos benfiquistas muitas alegrias. E quando for tempo disso, dará também ao Benfica a oportunidade de pagar o investimento e se calhar contratar mais dois ou três Cardozos. Será o tempo em que o Benfica se comporta no mercado com uma estratégia seca e linear. Bons a comprar e melhores a vender. O futuro director-desportivo, Rui Costa e o actual director da prospecção, Rui Águas, parecem-me as pessoas certas. Para acabar de vez com o ciclo preparatório.

José Marinho

10 comentários:

Pedro Neto disse...

Eina, pá... quanta honra ter uma coluna do Zé Marinho. A malta do "Eterno" está de parabéns.

Só para dizer que sou um fã do trabalho do Zé, e que fiquei com pena que tivesse saído da SportTV. Sempre gostei daqueles trocadilhos engraçados nos relatos.

Se já era visitante regular do vosso blog, assim ainda fico com mais vontade de cá vir.

E basta de ci(r)c(u)los viciosos. Os benfiquistas querem é vitórias.

Anónimo disse...

No que diz respeito ao Cardozo... sim senhor... temos avançado goleador (15 golos até agora e só vai no primeiro ano - agora imaginem daki a dois anos quando estiver mais adaptado e quando tiver médios ofensivos em condiçoes que lhe disponibilizem muitas mais oportunidades para ele facturar)... Mas vamos com calma... Vai começar um novo ciclo muito mais promissor que o anterior ora vejamos:
ADU - (aqui há 5 anos atrás, a notícia deste prodígio chegava à Europa e eu pensei, quem me dera que este um dia viesse para o Benfica e depois caí na terra pois o SLB estava ainda em muitos maus lençois - ñ tinha money para contrataçoes mas hoje temo-lo)
DI MARIA - considerado pela FIFA um dos cem jogadores mais promissores do mundo
FÁBIO COENTRÃO - tem tb condiçoes para ser um grande jogador
DAVID LUIZ - futuro central da selecção brasileira?
FELLIPE BASTOS - capitão da selecção sub-17 Brasil - Futuro Gilberto Silva???
EDCARLOS - Talvez mal-amado pelos adeptos, mas tb é um jogador promissor e que promete ser útil
MIGUEL VÍTOR- futuro central da seleção portuguesa??????? (isto se apostarem nele)
SEPSI- não o conheço mas acredito que venha a ser um bom jogador com margem de progressão...ele disse que era o maldini do Benfica (se ele for 1/3 daquilo que foi o Maldini, acho que vamos ter muitas alegrias em relação a ele)
NELSON- muito trapalhão e incerto... mas é um jogador que se for bem trabalhado poderá ter um futuro muito bom (e daí o Sevilha o ter cobiçado)
BYNIA - que capacidade física, é um médio incansável... tem tudo para ser um médio defensivo de grande qualidade
YU DABAO- Incógnita (?)
CHRISTIAN RODRIGUEZ- se ficar no Benfica, teremos um grande jogador no futuro...
Por isso este ciclo pode triunfar... vamos acreditar... agora vamos manter estes jogadores e ñão vamos manda-los logo embora pois assim, continuaremos a ser um cemitério de jogadores... este ciclo é para durar e para triunfar... nós benfiquistas queremos uma estrutura estável para conseguirmos tornar o nosso SLB um gigante da Europa

eagle disse...

quando a sporttv despede o melhor comentador que tem, algo vai mal para aqueles lados! parece que sempre é verdade que ser benfiquista é um handicap por aquelas bandas! enquanto isso temos de levar com a azia de Rui's Pedro Rocha e outros que tais em todos os jogos do Benfica e em mais que uma modalidade! o Pedro Ribeiro mesmo ostracizado ao futebol internacional, que tome cuidado!

José Marinho, nunca enganou, "bem vindo" a esta família, que é a sua! com tanta talento jornalístico não ficará muito tempo à espera de nova oportunidade profissional! que contratação seria para o jornal do nosso clube, por exemplo!

Anónimo disse...

Em tempos cheguei a pensar que os bons jornalistas tinham todos escapado do Benfica.
Obrigado Zé Marinho. O Benfica precisa de blogs modernos que pensem e projectem o Benfica para o futuro. Concordo com a análise que o Zé Marinho faz do Cardozo. Não partilho da sua opinião sobre o antigo Director de Futebol Não gostava de voltar a ver de novo o Veiga no Benfica, não me parece apropriado dizer porquê. Mas não o Benfica fica melhor com o Rui Costa e outros antigos jogadores, nem me parece incompatível as funções de titular com a de futuro Director de futebol. Sempre aprendi que na vida a autoridade se constroi e não se impõe, também no futebol ela se deva aplicar.
Saudações Benfiquistas. Obrigado Zé Marinho

Ricardo disse...

Um grande abraço ao José Marinho, que é um dos (poucos) bons jornalistas desportivos que temos. Fico agrado que seja da nossa grande família benfiquista. Concordo com o José na questão Cardozo. É um jogador que me enche as medidas. É pena que Camacho não o saiva aproveitar ao máximo.

Quanto a Veiga, dou de barato que conhece a fundo os meandros do futebol e que poderia ser um bom Director Desportivo. O problema é o homem Veiga. E esse não me permite que algum dia o queira ver a voltar ao Benfica. Quero gente com outra classe no clube. E, espera-se, gente do Benfica.

Sir disse...

Parabéns por este excelente começo.
O Eterno Benfica está, agora, mais forte do que nunca para defender os interesses do Sport Lisboa e Benfica.

Saudações Gloriosas.

Zeca disse...

Comenta-se muito o jogo com o Paços de Ferreira. Eu gostava de dizer :Em primeiro lugar o Benfica ganhou o jogo por 4 jogos contra um golo do Paços. Os golos do Benfica foram de penalty outros dois sem qualquer intervenção do àrbitro. Ou seja mesmo na hipotese académica que foram dois favores do arbitro, o Benfica ganharia na mesma o jogo por 2:1. Logo os penalties não decidiram o jogo, nem a passagem do Benfica aos quartos de final. Acrescente-se ainda que o facto de serem marcadas grandes penalidades isso não implica uma entrada directa da bola na baliza. Recordo que em 89/90 o Benfica perdeu a Taça dos Campeões Europeus contra o PSV porque falhamos uma grande penalidade. Ora, neste caso do jogo com o Paços o jogador do Benfica Oscar Cardozo teve o mérito de não falhar. No entanto o golo limpo, marcado pelo Nuno Gomes no jogo do Leixões anulado por um fora de jogo inexistente, influenciou o resultado e retiru dois pontos ao Benfica. Tal como aconteceu como a mão de Ronny no jogo Sporting Paços de Ferreira que deu o Campeonato ao Porto.
Eu acredito que o Benfica está a deixar o ciclo preparatório. Porque a cultura e o mérito de Oscar Cardozo, o Rui Costa e o Nuno Assis, só demonstraram o seu talento que permitiu a passagem do Benfica aos quartos de final para agora ir defrontar o Moreirense.

Faço minhas as palavras do Ricardo companheiro benfiquista sobre o Veiga, não quero ver este tipo de homens no Benfica, que me perdoem se estou a falar sem fundamento. Apesar de não serem comparaveis eu não quero no Benfica, imobiliárias da Cedofeita.

Saudações Benfiquistas

Anónimo disse...

Confesso que não fazia ideia que é benfiquista tal é a linha "informativa" do local onde trabalhava antes...

Pedro disse...

Foi uma surpresa saber q José marinho era cá dos nossos. Sei q ao se trabalhar naquela "casa" convêm, para manter o emprego, cascar no SLB sempre q possivel, e digamos q o José sempre cumpriu os requesitos da casa.

Não sei pq saiu pq Ribeiro e Zé Nunes à parte, era um dos melhores. Desejo-lhe as maiores felicidades no futuro e q nunca mais se coiba de manifestar o seu benfiquismo.

Bem vindo à blogoesfera. Agora pode manifestar o seu amor ao Glorioso sem restrições!!!

Anónimo disse...

Muito boa aquisição, um reforço de peso na «janela de inverno», um Benfiquista com estilo e conteúdo, que gosta da verdade e que a expõem!

Escrevo em Março depois de ter lido outras crónicas, comecei pelo fim, e mesmo assim não deixei de vir aqui dar as minhas boas-vindas!

mancam