segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Vida difícil, a dos árbitros de futebol

O parque de estacionamento do estádio do Dragão foi palco de uma agressão do assessor Rui Carvalho, do FC Porto, a um homem devidamente credenciado pela Liga, que o CM apurou tratar-se do motorista da equipa de arbitragem.

O agredido reagiu com insultos e só a intervenção de um segurança evitou um confronto maior. "Para ganhar é preciso marcar golos e a culpa é minha?", disse o motorista antes de ser abordado pelo assessor portista.

A agressão seguiu-se a uma breve confusão no túnel de acesso aos balneários entre dirigentes do Marítimo e responsáveis do FC Porto. De tal forma que o árbitro lisboeta Duarte Gomes teve de aguardar alguns momentos para poder entrar no túnel.

in Correio da Manhã


Duarte Gomes fez a sua parte: fechou os olhos a duas grandes penalidades cometidas por jogadores do Fóculporto. Melhor, só se marcasse ele mesmo o golo da vitória azul e branca. Mas, ainda assim, os responsáveis portistas terão considerado a ajuda da equipa de arbitragem insuficiente. Rui Carvalho, funcionário do FC Porto e ex-aprendiz do mestre Guarda Abel, terá atribuido ao trabalho de Duarte Gomes apenas 2 valores na escala de Corleone, o que se traduziu na aplicação imediata de dois socos, duas cotoveladas e uma cuspidela na cara.

Meus amigos, já não há vergonha. O sentimento de impunidade é tão grande que eles já nem se esforçam por esconder a realidade. A SAD do FC Porto, com as finanças no estado calamitoso em que se encontram, já não deve dispôr de liquidez suficiente para pagar grandes exorbitâncias a árbitros (o que, traduzindo para café-com-leitês, significa que já só lhes devem restar matrafolhos com dentes a menos e celulite a mais), pelo que o suborno começa a dar lugar à coacção e à hostilização.

Enquanto isso, contra tudo e contra todos, chegamos ao último jogo de 2008 na condição de líderes invictos e isolados. Está mais que visto que comprar árbitros e equipas-satélite (como Estrela de Amadora, Setúbal e Braga, só para dar alguns exemplos) já não dá o retorno desejado. Ou então, uma explicação mais provável: o retorno continua a ser grande, a equipa é que é tão fraquinha quem nem consegue aproveitá-lo.

2 comentários:

Gonçalo Teixeira disse...

Uns favorecem e ficam sujeitos a lvar porrada dakeles porcos e hoje o arbitro conseguiu fazer mais uma habilidade

90'+2 - Golo anulado ao Benfica. Canto para Jorge Ribeiro na direita. Yebda cabeceia contra a defensiva e a bola acaba por sobrar para Cardozo facturar mas Pedro Henriques considera que Miguel Vítor, estendido no relvado e de costas para o lance, tocou no esférico com a mão intencionalmente antes do remate do paraguaio.
in Record

JNF disse...

Mas o de hoje é que merecia uns belos tabefes