segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Jogou o nevoeiro mas o Benfica ganhou

Não há muito a dizer sobre a primeira parte do jogo realizado na Choupana, a não ser destacar o excelente golo de Cardozo depois de um cruzamento milimétrico de Gaitán, de resto foi isto:


Felizmente no segundo tempo o nevoeiro deu tréguas e o jogo pôde decorrer normalmente. Foi um Benfica pragmático aquele que se viu nesses 45 minutos, não descurando o ataque, mas procurando sobretudo ter o controlo da posse bola, segurar com alguma tranquilidade a vantagem no marcador. A expulsão do nacionalista João Aurélio, veio acentuar ainda mais essa tendência e com excepção de alguns lances de bola parada, o Nacional raramente ameaçou a baliza de Artur. Jesus desta feita soube mexer na equipa a preceito, fazendo entrar Bruno César, Enzo Pérez e Amorim em alturas diferentes do jogo mas com todo o sentido. Bruno César esse voltou a fazer o gosto ao pé, numa jogada individual, onde voltou a demonstrar toda a sua rapidez (há por aí alguns que dizem que é lento) e o seu forte pontapé na altura do rematar a baliza. E lá vão dois golos no campeonato vindo do banco, a mostrar (bom) serviço.

O importante foi alcançado, três pontos numa deslocação tradicionalmente difícil para as equipas grandes. Uma vitória que permite a equipa continuar num processo ascendente de confiança, ultrapassando esta paragem para as selecções, bem colocada na tabela classificativa. Prova de fogo, superada, venham outras.

11 comentários:

Anónimo disse...

Estou totalmente de acordo com a análise... o jogo valeu pela vitória.

Mais vale jogar menos bonito e ganhar os 3 pontos. Sobretudo nesta fase, que chegamos ao 1º lugar à condição, colocando pressão ao Porto.

Claro que gostava de ter visto um jogo bonito, mas acho que ainda falta confiança a esta equipa, que, após o jogo em Barcelos, certamente ainda tem bem presentes os fantasmas do ano passado...

PV, Braga

Miguel A. disse...

Excelente vitória e bom jogo nosso, num dos campos mais difíceis de se jogar em Portugal. Faço votos para que o Nacional se empenhe sempre assim quando jogar contra os candidatos ao título.

Artur (decisivo nos primeiros minutos... lembram-se quem estava à baliza no ano passado?) Luisão, Jardel, Emerson, Maxi, Cardozo (claro), Aimar, Javi, Witsel (depois da cotovelada apagou-se) e Bruno César, foram os que mais gostei. Boas as substituições de JJ. Parabéns a toda a equipa, pelo jogo de grande determinação.

Cumprimentos.

SLB4EVER disse...

O grémio do vale tudo da madeira bem teve a ajuda do nevoeiro mas nem assim nos impediram de alcançar a vitória!

O Witsel a sofrer entradas selvagens e cotoveladas do mesmo animal que apenas vê o amarelo é algo muito mau de ser visto em directo. Já não há pachorra para estes apitadores de encomenda.

Cardozo e B.César a mostrar o caminho do golo!
Está feito, venha o próximo!

CARREGA BENFICA

H disse...

Temos banco, essa é a primeira garantia. Retiro o que disse há umas semanas, quando disse que Bruno César parecia estar gordo. Já me calou com os últimos dois golos e as acelerações típicas dele... não estará na hora da titularidade em detrimento de Nolito? Convenhamos, Nolito é jogador de processos simples, que nos empurra pro ataque mas a veia goleadora parece-me ter terminado por todo o mundo já sabe que ele corta pro meio pra ensaiar o remate...


Bárbara agressão a Witsel, veio-me à memória Bruno Alves!


Cardozo era, é e será sempre o nosso grande matador.

Eu não sou apologista do Jardel, mas confio em quem veste a camisola, confio no entrosamento que não surgiu nos primeiros minutos e que quase faz tremer Emerson... mas dificuldades haverá sempre nesta longa caminhada. resta aguardar por deslize do clube do Norte...

John Wakefield disse...

O Benfica fez o jogo possível perante tais condições atmosféricas. Mereceu ganhar apesar de não ter entrado bem na partida. Todavia, a equipa foi subindo e assumindo assim gradualmente o controlo do jogo. Mesmo assim foi preciso muito sofrimento.

DeVante disse...

Imaginem se, ao contrário, fosse Witsel a ter aquela entrada...

Anónimo disse...

Por muito paradoxal que possa parecer, são em jogos como este que se decidem os campeões. E, nesse sentido, o Benfica superou este duro obstáculo. De facto, todas as equipas quando jogam contra o Benfica fazem das tripas coração para não perder (já não digo para ganhar). E, neste jogo, isso mais uma vez aconteceu.
MM

Jotas disse...

Não foi um Benfica brilhante, nem o podia ser, naquele estádio,com aquelas condições atmosféricas e frente aquele adversário não é fácil sê-lo, mas foi claramente um Benfica competente, pela entrega, pela solidariedade e a frieza com que encarou este jogo e só assim foi possível sair da Choupana com os 3 pontos.
Cardozo, o tal que para alguns energúmenos não é matador, mas tem 61 golos nas 2 últimas épocas, voltou apenas a dar uma chapada aos cromos do assobio.
Para terminar, parece que Jesus voltou a ser bom treinador, é que tanto o matam como não ganha, como o veneram quando ganha, enfim, pelo menos eu não me lembro de ver um Benfica com Jesus desde Ericksson, mas isso sou eu, há quem pareça preferir os tempos de artur Jorge, Souness ou Quique.

Olho Gordo disse...

Achei que a certa altura seria benéfica a entrada de Matic para manter a posse de bola, mas Jesus fez entrar Amorim e funcionou na perfeição... por isso, nada a assinalar.

Grandes golos de Cardozo e Bruno César!

Anónimo disse...

Jaime Graça.
Encontra-se no Hospital de S. José a recuperar de uma operação complicada ao cerebro.
Quantos campeonatos ganhou no Glorioso? E Taças de Portugal? Finalista da Taça dos Campeões.
Nem uma noticia de desejos de recuperação. O meu clube despreza a historia e depois quer ter mistica.

ZéBonéOaparvalhado disse...

"""O meu clube despreza a historia e depois quer ter mistica"""

Então é o sócio (caso seja) que mora longe do Estádio...eu sempte posso acompanho a vida no clube.

Conheço muito bem o JGraça, para ele vai meu "saravá", embora não esteja à espera que ele faça dos juniores. ele teve um AVC.

Agora está ne moda - O Ricardo Gomes, que a maioria de nós conhece, também teve um