sábado, 6 de janeiro de 2007

Sport Lisboa e Benfica - Oliveira do Bairro (4ª eliminatória da Taça de Portugal) - Avaliações individuais

Quim - 'Tarde tranquila' é um cliché que se aplica bem à sua actuação. Um remate cruzado na primeira parte (desviado por Ricardo Rocha) e um cruzamento ao segundo poste (fora) na segunda chegaram para assustar, mas não para dar uso às luvas.

Leo - Não teve muito trabalho a defender. Na segunda parte esteve mais presente no ataque, sendo as suas subidas bem compensadas por Manu (sobretudo no último quarto de hora).

Nélson - Foi um jogo a meio gás do jovem talento, apesar de ter tido algum trabalho na primeira meia hora, fruto da insistência do Oliveira do Bairro nos passes rasgados para o seu flanco. Depois, aproveitou para fazer um dos seus centros mortais e oferecer de bandeja o segundo golo a Nuno Gomes. Na segunda parte, apoiou correctamente o ataque, mas sem grandes investidas.

Ricardo Rocha e Anderson - Os centrais estiveram ambos seguros. Anderson mostrou frieza com a bola nos pés e Ricardo Rocha, cheio de confiança, foi insuperável nas 'alturas'... chegando até a aventurar-se pelo flanco esquerdo nos últimos minutos.

Petit e Katsouranis - Petit teve um regresso discreto mas correcto ao meio-campo do Benfica. Katsouranis voltou a mostrar o seu oportunismo na área e marcou um golo. Tiveram ambos alguma dificuldade em construir jogo pelo meio, fruto do 'Autocarro' que a equipa de Oliveira do Bairro decidia, volta e meia, instalar à frente da sua área.

Simão - O pequeno génio jogou a meio-gás, mas ainda pôde fazer um boa assistência para Nuno Gomes. Bem substituido por Manu.

Karagounis - Bem se esforçou, mas acabou por ter a exibição menos conseguida da equipa. O seu dribble excepcional não conseguiu fazer mossa na linha defensiva dos visitantes.

Nuno Gomes - Nuno Golos voltou a dar mostras de uma classe e nobreza de espírito que são raras no futebol de hoje em dia. Já depois de ter resolvido o jogo na primeira parte com dois golos 'fáceis', o Nuno entrou na segunda parte a falhar outros tantos golos, um num encosto a um centro rasteiro da esquerda, o outro num remate 'à vontade' em cima da linha da área. Houve assobios por parte de muitos benfiquistas campeões olímpicos do assobio; mas também houve palmas, dos que reconhecem o seu valor inegável. Ao minuto 54, cruzamento da esquerda para a área e o amarantino, completamente solto, revela-se,uma vez mais: em vez de tentar o cabeceamento e o hat-trick fácil para calar o assobio, assiste primorosamente de cabeça o seu colega mexicano para o 4º da tarde, e o golo mais bonito do jogo, sem contestação. Obrigado disse Kikin, por mais uma assistência de cabeça (depois do jogo com os belenenses). Obrigado, dizemos nós. Man of the Match.

Kikin Fonseca - Kikin teve uma primeira parte trabalhadora, mas nem sempre conseguida. Foi na segunda parte que deu mostras da sua qualidade finalizadora. Primeiro, marcando o golo mais bonito da partida, solto frente ao guarda-redes do Oliveira de Bairro, e depois, iludindo o fora-de-jogo, ao despachar para as malhas e à entrada da área um bola traiçoeira que a defesa adversária não soube limpar. Kikin cresce de forma.

Rui Costa - o Maestro voltou aos relvados, substituindo Katsouranis para a segunda parte. A sua exibição oscilou entre a classe pura, tanto no dribble como na visão de jogo, e alguma insegurança natural para quem volta de uma lesão. Assim que entrou, o Maestro começou de imediato a distribuir jogo pelos 'instrumentos', sobretudo Nuno Gomes (depois Mantorras), Kikin e Manu. Infelizmente, não saiu dos seus pés nenhuma jogada decisiva.

Manu - Entrou para o lugar de Simão, jogando sobre a ala esquerda. De notar a sua capacidade de, através da garra e velocidade tão próprias dele, criar grande perigo junto à linha. Combinou sobretudo com Mantorras e Rui Costa, mas não teve a felicidade de estar numa jogada de golo, apesar de dois centros muito perigosos.

Mantorras - Mantorras teve vinte minutos positivos a 'vagabundear' pelo ataque. Foi combinar com Nélson à direita, tentou furar pelo meio, sem sucesso, ensaiou um bom remate à entrada da área que lhe saiu por cima da barra - mas esteve sobretudo bem nas suas combinações com Manu e dribble pela esquerda.

Reportagem Oficial Eterno Benfica

4 comentários:

Sir disse...

Excelente trabalho do nosso reporter inside.

;)

El Charro Fever disse...

Não vi o jogo,mas o resultado não surpreende ninguém julgo eu,é mais que normal que fôssemos golear um oponente de escalão inferior,ainda para mais na Catedral.Seguimos em frente,como era esperado,o que nos mantém na calha viva de ambicionar com Taça de Portugal e pessoalmente..com a Uefa..Quanto ao campeonato,tá quase entregue,só um "tornado" de resultados inesperados poderão dar-nos espaço de manobra.Bom ver as análises do blog em acção,talvez pouco isentas(compreende-se,eheh),daí o serem tão "reais",visto que as análises dos diários desportivos de isenção só se for no imposto..

antitripa disse...

Só para endossar aquele abraço bem Atlético....

CrazyTaz disse...

Amigos é com muito gosto que irei ajudar, pelo menos tentar, digam o que pretendem e eu irei fazer

paulojcmendes@hotmail.com

Crazytaz

Saudações Benfiquistas