segunda-feira, 9 de abril de 2007

O banco fantasma

Salve Benfiquistas,

Não vou falar sobre o 2-2; cada um tirará as suas conclusões relativamente a este empate em Aveiro.

O que de facto me faz espécie – e francamente já perdi a esperança de o problema se resolver – é esta gestão um pouco... “minimalista”, para não dizer pior, do plantel da nossa equipa.

Desde já me confesso: não sou nenhum pseudo-Dr. ou “especialista” da bola. Sou um simples amante de futebol e do Benfica. Estou em crer que se eu sou capaz de analizar coisas como o desempenho e atitudes deste ou daquele jogador, um homem com a experiência no métier como Fernando Santos o fará com muito mais facilidade...

Vamos lá então à vaca fria: será que o perfume portista do Derlei é suficiente para fazer esquecer opções como Manu ou Paulo Jorge? De quem é Derlei? Do Dínamo de Moscovo. De quem são os outros dois? Do Benfica. Quem é jovem e tem vontade de vencer no nosso Clube? Quem precisa de apoio e encorajamento? Quem tem sido sucessivamente marginalizado, posto de parte do 11? Enfim...

E depois há a velha questão “Mantorras”. Eu não quero argumentar contra as limitações físicas do jogador, nunca o fiz aqui, apenas disse, e repeti há não muito tempo, que o Mantorras é um opção válida e importante – é um jogador desequilibrador, que tem o talento de lançar o caos nas defesas adversárias sobretudo quando estas jogam recuadas. Ora se eu, que não sou especialista nenhum, consigo ver isto, o que falta ao nosso Engenheiro para também o perceber? Mantorras pode ser muito mais do que uma solução de recurso. Aliás, o último treinador que o percebeu foi campeão no Benfica.

Francamente já nem estou com paciência para abordar a titularidade à prova de bala dos nossos laterais (o Miguelito não existe?) nem a utilização tardia do excelente David Luiz, com o consequente desgaste da nossa defesa titular nos jogos da Taça e outros.

Digo que fazia falta quem 1) percebesse que os campeonatos só se ganham com uma utilização inteligente do plantel ao longo de uma época, e até de um próprio jogo. 2) o dissesse ao nosso treinador.

Saudações Gloriosas

8 comentários:

antitripa disse...

De acuerdo! Mantorras merece respeito e só há um benfiquista que não lho dá...é exactamente o unico que pode tirar dividendos dele!

Imagens do presumivel 2 ou 3-0 aos 15 minutos devidamente documentados lá no tasco.

You'll never walk alone disse...

O ouro foi entregue ao bandido,tristemente.Seria necessário o porto ñ ganhar 2 jogos e nós todos..parece..quase impossível.Que na uefa tenhamos mais coragem e senso de responsabilidade..é que se no campeonato mantivermos as 1ªs partes amorfas..nem o 2º se segura.

Sir disse...

Só quem não viveu de perto o futebol do Benfica na última década é que pode dizer que o banco do Benfica é mau.

Sempre alertei para o cansaço originado pela falta de rotatividade. Mas ao Santos não lhe chegou a borrada que fez no Sporting.

Quanto ao Mantorras, sempre achei que mantém a fantasia e as qualidades técnicas que o levaram ao Benfica. Mas fará sentido manter um jogador que não pode jogar mais do que x minutos por jogo? Aliás, está na altura de alguém esclarecer quantos minutos é que o Mantorras pode jogar.

Marquês de Barrabás disse...

A mim faz-me dó pensar que esta pode ter sido uma época de evolução perdida para o Manu e o Paulo Jorge. Será que no Benfica só têm hipótese os "jogadores feitos"? Não estamos propriamente no país mais competitivo da Europa, as oportunidades deviam existir, e há que pensar no futuro próximo(e na gestão do plantel, claro).

Felizmente têm existido oportunidades para o Coimbra (que me tem surpreendido pela positiva), mas ele é claramente a excepção de aposta nos jovens. Já o Correia portou-se muito bem no Dubai, mas pelos vistos é bom contra a Lazio mas cuidado contra os borra-botas da "Super"Liga e Taça, nem 15 minutinhos.

O resultado é que temos os laterais a rebentar. Enfim. Se estivessemos a nadar em dinheiro e numa Liga ultra-competitiva ainda se percebia.

Depois no fim da época dispensam-se ou emprestam-se os jovens tugas e toca de contratar mais Manducas ou ir buscar emprestados que não lembram ao diabo. Mas vamos ver se para o ano há o bem senso de dar hipóteses ao Fonte, e quem sabe ao Dabao.

Marquês de Barrabás disse...

bom senso, queria eu dizer.

Resumindo, aspectos a melhorar:

a) gestão (que se quer previdente e inteligente) do esforço do grupo de trabalho
b) uma aposta digna e valorizadora nos nossos jovens (sem repetição de episódios deprimentes como a entrada de chofre do André Luiz contra o PSG)

saudações

You'll never walk alone disse...

Apostar no Coentrão,nesse possível interesse no Ruben Amorim...pelo menos,parecem ser bons jogadores,jovens.O problema,é que mais uma vez,tamos a pensar na prox época,porque esta....infelizmente a fé dos sócios é mais cega que sei lá o quê.Nunca acreditei.Acredito que temos jogadores de qualidade,mas poucos e um "timoneiro" de merda.Ah e vamos parar com esta merda do "jogar em casa",porque só um parvo,não veria que ontem jogámos em casa e sõ jogamos "fora" quando é jogos no porto,alvalade e guimarães..de resto?Vejam as enchentes encarnadas sff.Querem-me dizer que é do relvado?Só o Benfica joga em casa em qualquer estádio e teimamos a entrar com 2 médios de cariz defensivo,contra...a pior defesa do campeonato.Enfim,ser português é isso mesmo,pensar pequeno.

Sir disse...

Não podia estar mais de acordo, Marquês. E é tão fácil e tão simples que chega a ser frustrante.

Um abraço.

Lampião do Norte disse...

Absolutamente de acordo Marquês. Tenho-me fartado de mandar impropérios pela falta de oportunidades dadas a jogadores como Manu, Paulo Jorge , Miguelito e até o jovem Pedro Correia que pouco mais servem que para treinar. Não percebo como se dispensa Karyaka e se fica com Beto. Não percebo porque se mantém na baliza um guarda-redes que não segura um cruzamento. São erros demais para se poder lutar em duas frentes. Por isso corremos o risco de perder tudo. Esperemos que não.

Abraço!