sexta-feira, 15 de junho de 2007

Os perigos da mama!

Este pretende ser um texto sem aspas. Cabe ao leitor escolher se e quando as deverá incluir.

Mamar… é sintomático do ser humano. Seja à nascença (por necessidade, diz-se), seja pela vida fora (por prazer, espera-se). Só que uns mamam mais que outros! Existem aqueles que se agarram à mama como se o amanhã não existisse, a confirmar o desabafo contido numa música de Amália Rodrigues que refere: “…tanto e tão pouco!”. Outros há que, não contentes com o manancial de mamadas conseguidas, só conseguem pensar em muito continuar a mamar.

Num mundo cão, onde o dinheiro fala mais alto que muitos dos valores éticos e morais adquiridos e o desejo de sucesso imediato deturpa a visão de um qualquer bom Samaritano, pergunto eu, quem nunca se sentiu tentado a mamar?

Existiram tempos em que acreditei num modelo desportivo em que os clubes poderiam ser dirigidos por mamões, pessoas essas que exploravam, até ao último centavo, os pobres dos mamados. A contrapartida? Vitórias, vitórias, vitórias. No fundo, acabava por ser uma relação de reciprocidade. Ora agora mamas tu, ora agora mamo eu!

Objectivo desses senhores? Numa primeira fase, a aquisição de um brinquedo caro e fora do comum (excentricidade, pois claro). Fica sempre bem dizer: “Ó mulher, sabes o que comprei hoje para o nosso filho?” O Benfica, claro está! Queremos nós que assim seja? Poderemos nós impedir esse caminho com retorno difícil? Será tudo amor ao clube?

A história do futebol tem-nos provado, salvo algumas excepções (principalmente em Inglaterra) que este desporto deverá pertencer àqueles que pouco mamam e que muito são mamados, estejamos a falar no contexto do Clube ou da SAD para o futebol. Teremos de continuar a ser nós (o Clube Benfica e não um Milionário qualquer) a decidir que caminhos seguir. Não é uma questão de "orgulhosamente sós", mas sim uma garantia que um qualquer Vale e Azevedo (Parte II), pela sua capacidade financeira, não nos irá levar à ruína e ao descrédito, novamente. Pelo menos, assegura-se este princípio teórico.

Que garantias temos, perante OPA’s como que a se anuncia hoje, que as linhas estratégicas para o futebol (a existirem) não vão ser alteradas por um qualquer Sr. do pilim? Relembro que são imensos os casos, por este Mundo fora, de clubes que fecharam ou estão em vias de fechar as portas, pela implementação de uma gestão danosa para os clubes. Quero ver como ficará o Chelsea quando o milionário bater com a porta… e já esteve mais longe!

Digam-me lá, quem investiu em acções do Benfica, se pensou obter algum lucro com as mesmas? Fazer fortuna? Dependeria do vosso desejo a venda do Simão ou do Luisão, como forma de obter retorno? Preferiam a mais-valia financeira, enquanto pequenos accionistas, ou uma mamada completa por existir imenso capital investido? O investimento, tantas vezes por mim referenciado noutras explanações, não passaria a assumir o papel puramente financeiro? Um “compra e vende” sem critérios e sem visão estratégica?

Com as virtudes e defeitos que se lhe apontam, penso que Luís Filipe Vieira tem seguido, do ponto de vista financeiro, o caminho mais seguro e correcto. Espero que faça, em comunhão com os dirigentes que foram eleitos, uma sessão de esclarecimento ao mundo Benfiquista e que fique bem claro em que moldes esta operação vai virar sonho ou pesadelo (a concretizar-se). Estaremos no contexto da “ajuda” ao Benfica ou no âmbito do “ajudar-se” a si próprio, no que a esse Sr. Berardo diz respeito?

Das duas uma, ou eu estou a empolar o assunto e, no fundo, tudo será um mar de rosas, ou, caso contrário, estamos a assistir à maior tentativa de mamada que este clube alguma vez assistiu (pelo menos na era pós Vale e Azevedo).

Bem… e porque já são horas, esta conversa deu-me fome…


Nota: a imagem teve que ser uma vaca. Qualquer coisa não ofensiva, mas caracterizadora do tema em questão.

17 comentários:

Anónimo disse...

post da treta!

pteixeira disse...

Respeito a tua opinião.

Sir disse...

Não me lembro de, num passado muito recente, alguma vez ter discordado contigo. Mas hoje tem que ser.

"O investimento, tantas vezes por mim referenciado noutras explanações, não passaria a assumir o papel puramente financeiro? Um “compra e vende” sem critérios e sem visão estratégica?"

Este teu raciocíno é extremamente falcioso. Primeiro, porque o Joe Berardo é um grande benfiquista, e ajudar o Benfica a vencer é, como ele próprio fez transparecer, uma das suas prioridades. Segundo, porque esse "compra e vende" não lhe traria qualquer benefício. As acções, o clube, a marca, só valorizarão com sucesso. Vitórias.

Isso implica uma boa gestão. Acredito que será importante a existência de um accionista de referência na administração da SAD, de forma a poder, de forma minorada, supervisionar a forma como são geridos os destinos do clube, nomeadamente na sua área mais proveitosa, o futebol. Parece-me que sairemos todos a mamar.. errrr, perdão! A ganhar!

O JB é um homem com muito poder no mercado, capaz de mover grandes influências. Já provou ser um fantástico gestor e poderá ser-nos muito útil. Mais, não me admirava nada se, a curto prazo, o visse candidatar-se à presidência do Benfica, com o apoio do Vieira.

PS: Isso é tudo animosidade entre insulares? ;)

Abraço!

disse...

Se puderes adicionar o meu blog à tua barra de links benfiquistas, agradecia:

http://aguia-de-ouro.blogspot.com/

Obrigado!
Saudações Benfiquistas!

Anónimo disse...

Apesar de não concordar com este teu post não queria de modo algum ser ofensivo e só agora me dei conta que tinha escrito "treta" quando o que queria dizer era :

Post da "TETA"!

Mais uma vez as minhas desculpas!

Sir disse...

Eheheh!

PS: Shôr Tó, já lá está há uns tempos, e é logo o segundo da lista!

pteixeira disse...

anónimo:

Graças a Deus, as opiniões não têm de ser comungadas por todos de igual forma. Que piada teriam os fóruns se assim fosse?

Oxalá me engane, mas esta questão da OPA é conversa para "alguns" meterem ainda mais dinheiro ao bolso, sob falsos pretextos. A euforia, às vezes, retira o discernimento. O tempo poderá ou não dar-me razão.

Tratar-se-á de uma operação meramente financeira, na qual o Benfica ganhou ou ganhará momentâneamente através da valorização da sua SAD. Para a semana, vem tudo a pique por aí abaixo novamente e, no fim, alguém ganhou permanentemente com esta história toda. Nada mais que isso.

No entanto, o meu post vai para além do que se cogitava fazer (compra de 50,1% por parte do Sr. Berardo). Se este Sr. lançou especulação para retirar dividendos próprios, pergunto eu se não faz sentido o meu post, numa óptica de futuros accionistas "bem intencionados" e muito preocupados com o Benfica...

São destes messias que estamos à espera, é?

Aguardo novos capítulos...

Sir disse...

Compra de 50,1%?
Já foi muitas vezes referido que o Benfica detém cerca de 50,2% das acções da Benfica SAD e não pretende negociá-las!

pteixeira disse...

Sir:

Eu sei e fico contente que o Benfica não o queira fazer. Julguei, no entanto, que as intenções passavam por aí (com a aceitação, em Assembleia geral, dos sócios, eufóricos com a possibilidade de investimento vivo). Ou seja, os tais 10,2% iam à vida.

No entanto, as ideias aqui presentes vão também para o alerta sobre os perigos do capital estar muito concentrado. Ninguém quer perder dinheiro e, não duvides, o Sr. Berardo iria influenciar e muito qualquer sentido estratégico para o Benfica. Não era isso que o tal outro Sr. Bibi (mais um messias) queria fazer?

Outras teorias estão a levantar-se... resta saber até que ponto são verdade. No fundo, estamos a fazer não mais que aquilo que o Sr. Berardo fez... especular.

sigmund disse...

É só a mim que a janela corta os comentários?

Sir disse...

Como é óbvio.

sigmund disse...

Ou não.

Sir disse...

Explica-me então o que é que aflige.

Galaad disse...

Já paravam com isso, certo?

Sigmund, explica-te homem!!!

Abraços

sigmund disse...

Passo a explicar: no internet explorer, os comentários aparecem com toda a normalidade. No Firefox, browser que eu e muitos outros iluminados usam, os comentários surgem cortados pelos limites da janela.

Era o livro amarelo, faxabor.

Carlos disse...

Cá vai mais um apoio ao teor do post. Com maior ou menor concordância de pormenor, estou plenamente de acordo com a posição de fundo que o pteixeira apresenta. Parece-me, até, que o mais grave nisto tudo, a avaliar por muitos comentários de benfiquistas lidos nos blogs e no site do record, é a boca certeira do cartoon da bola de hoje, a malta reage só "porque sim" e "porque os outros não têm", sem parar um bocadinho para avaliar as situações.
nada tenho contra a tentativa de Berardo se querer posicionar melhor para tirar partido de futuros negócios do Benfica (renegociação dos direitos televisivos, por exemplo), é a parte de negócio que faz parte deste mundo, mas parece-me que a OPA, a ser feita, só se pode dirigir às acções do Vilarinho e do Vieira (o Oliveira não vai querer perder posição, só se vir tudo perdido - será esta a jogada? - e a malta que tem 10 ou 20 acções compradas a 5e, agora vai vender porquê e para quê?) e para tentar viabilizar a venda de parte da SGPS, numa daquelas assembleias de "fervor clubístico" em que se toda a gente é ordenhada. Não é demagogia lembrar os negros tempo do Vale Azevedo...
Também é um bocadinho estranho andar-se a propagandear a saúde e esustentação financeira do Benfica e, ao mesmo tempo, esfregar as mãos "agora é que é" com o aparecimento de um mecenas milagroso.
Esperemos para ver, e que o Benfica nunca tenha dono.

Anónimo disse...

Benfiquista sem blog:
Desculpem lá mas não gosto de ser anónimo nas minhas opiniões. Subscrevo este artigo por inteiro. Desde os tempos dos BiBis, Vale e Azevedos e Companhia, que se provou que o Glorioso é permeável a estes protagonismos(não menciono os eternos notáveis que se calhar são benfiquistas á menos tempo do que eu - att: só tenho 41 anos). Mais ainda, vendo estas questões da provincia, o que me permite algum distanciamento das tertulias de café, é com alguma tristeza que vejo alguém que se diz Benfiquista com vasto património, amesquinhar,delapidar, quer se goste ou não, um dos grandes símbolos do Benfica - Rui Costa. Não gostei e por outro lado demonstra alguma ignorância relativamente ao fenómeno do futebol. Mesmo que em campo já não se visse a classe magistral do Maestro(passe o pleonasmo)o que não é o caso, é fundamental para manter a mística, a identidade, o que quiserem chamar do Glorioso, um homem com a estatura profissional do Rui Costa no balneário. Para mim este meu confrade J. Berardo já começou "a dar tiros no pé"
Saudações Benfiquistas.
Fernando de Coimbra