domingo, 17 de fevereiro de 2008

Naval 0 vs 2 Benfica

Quis o destino que o jogo que marcaria o meu regresso às crónicas, após prolongada ausência, fosse uma exibição deplorável de futebol, ou da sua inexistência. O jogo foi tão mau que nem sequer se proporcionou qualquer trocadilho para engalanar o título deste texto.

Camacho havia dito, na conferência de imprensa que antecedeu o jogo, que o mais importante era o resultado e não a exibição. De facto, já nem o mais crente dos benfiquistas se dá ao luxo de esperar outra coisa deste Benfica desmistificado e petrificado no tempo. Depois de um jogo sofrível, na quinta-feira, e tendo em conta o elevado leque de ausências, a vitória por dois golos acaba por ser suficiente para apaziguar a desilusão que a pobreza da exibição deixou.

O treinador espanhol reservou uma surpresa para o dia de hoje: Rui Costa começou o jogo no banco, em contenção de forças para a deslocação a Nuremberga da próxima quinta-feira. Para fazer face às muitas ausências, Camacho apresentou uma meio campo de trabalho, constituído por Binya e Maxi - os dois tractores da equipa. Nas alas, Nuno Assis e Rodríguez faziam as despesas de levar o jogo até Cardozo e Makukula, o World Trade Center do nosso ataque.

O jogo começou atribulado, com Luís Filipe a tirar da cartola alguns truques a que já nos habituou: perdas de bola, passes falhados, falhas de marcação, foram os mais pedidos desta semana. O lateral direito do Benfica não só não apoiava o ataque, como também se portava mal no sector defensivo. Do outro lado, também Léo esteve apagado nas suas iniciativas ofensivas. O jogo do Benfica foi paulatinamente afunilando-se pelas alas. Sem um transportador de raíz, eram Nuno Assis e Rodríguez quem transportava a bola para o ataque, caindo invariavelmente na tentação de enveredar pela jogada individual.

Todavia, foi de um destes lances que surgiu o lançamento que originou o primeiro golo do Benfica. Mais uma vez o camaronês Binya provou ser útil, utilizando uma arma única no nosso campeonato. Cardozo apareceu ao primeiro poste, assistindo, na cara do guarda-redes da Naval, o uruguaio Rodríguez, que já em queda cabeceou para dentro da baliza. 1-0, aos 19 minutos de jogo.

O futebol do Benfica nunca experimentou muita fluidez. Mais não se pode pedir a um plantel que apenas tem um número 10, que por acaso já conta com 36 anos. Será que isto também é culpa de Camacho? Os dois pontas-de-lança continuavam sem receber bolas em condições, e o jogo arrastou-se, disputado, mas mal, até ao intervalo.

Na segunda parte não houve alterações. O Benfica voltou a entrar mal, e o árbitro ia contribuindo para a pobreza do jogo, assinalando toda e qualquer falta. Sem emotividade, nem lances de grande perigo, Camacho decidiu fazer entrar Adu e, um pouco mais tarde, o maestro Rui Costa. Adu mostrou, mais uma vez, aos seus defensores, de que não transcende nem é a solução para o mau futebol praticado pelo Benfica. Rui Costa, por seu turno, em apenas 10 minutos ainda criou lances de grande perigo.

A 5 minutos do fim, Rui Costa lança Assis com um passe genial, o número 25 cruza bem, mas Makukula chega atrasado. Já durante a compensação, fruto da insistência do maestro, Sepsi, acabado de entrar para o lugar do infortunado Adu, que se lesionou, investiu pela esquerda, área a dentro, fintando dois jogadores e assistindo Nuno Assis para o segundo golo. Foi um prémio justo para o médio do Benfica que, a meu ver, foi o melhor em campo. Dentro da mediocridade da exibição, Assis acabou por ser o que mais se destacou pela garra e perseverança que empregou tanto a atacar como a defender. Parece estar a entrar em forma.

Prémio também para Ulisses Morais, cujas dimensões cranianas foram aumentando consideravelmente durante o jogo, o que se reflectiu, como é habitual, nas infundadas queixas que apresentou no flash-interview. Nota para a paupérrima arbitragem de Rui Costa, assinalando dezenas de faltas injustificadas, ao mínimo toque. A vitória acaba por ser justa. Siga a dança que melhores dias virão. Afinal, a coisa só pode melhorar.

13 comentários:

Raquel disse...

Realmente a exibição de hoje foi muito má, mas o mais importante de tudo é o resultado (aprendi a doutrina do tempo do Trapatoni e está a ser útil para estes tempos também). Pode ser que em Nuremberga as boas exibição do Benfica voltem (é preciso acreditar).
Quanto ao treinador da Naval seria de surpreender se não se viesse queixar do arbitro, também nos habitou bem a isso no tempo de treinador do Gil, há pessoas que não mudam...

Anónimo disse...

Há que ensinar o Bynia a fazer lançamentos porque na minha terra e em todo o lado, um jogador quando faz um lançamento de linha lateral tem que ter os dois pés no chão... O Bynia fá-los com um pé levantado, porquê? Ah claro, joga na instituição...
E assima nasceu primeiro golo...
Depois porque será que o Ulisses se quiexa?? Nem tem razão nem nada...

Sir disse...

Este não deve ter visto o jogo de sexta-feira!

Zeca disse...

Bem, vocês desculpem mas este é um blog de Benfiquistas ou do Luis Sobral do mais futebol. Peço desculpa, mas vocês conseguem ser mais pessimistas que o Rui Santos.

Não jogu assim tão mal, fez bons cruzamentos, deixou fluir a bola e marou dois golos um deles ( o primeiro)resulta de algum treino

You'll never walk alone disse...

"Não jogou assim tão mal" este ultimo comentário,excede o pessimismo,é já não saber o que é jogar bem e identificar aquilo de ontem como "futebol" sequer.
É de denotar que Makukula e Cardozo muito dificilmente farão golos..ninguém lhes cruza bolas,ninguém nas costas rasga e serve..enfim..sem criatividade no meio campo (e a criatividade exige-se em mais que um jogador,como o Rui Costa,exige-se no nº10 e nos extremos),nem as duas torres fazem milagre.
É verdade que os resultados é o que contam,mas ganhar jogando assim e conquistando titulos...faz lembrar muito o Boavista ou outros clubes dessa dimensão..espero mais do Benfica,porque sempre fez mais.

Ricardo disse...

Futebol tão fraco que já não vale mais a pena falar do mesmo. Parece que estamos talhados a ver este futebol até ao fim da época. Mas há quem diga: "ganhámos", mas há quem diga: "o que é que interessa se jogamos mal?" O que interessa se jogamos mal é que estamos mais longe de jogarmos bem e se estamos mais longe de jogarmos bem, estamos mais longe de poder ganhar o maior número de jogos. Ganham-se estes, mas perdem-se os importantes. Casos do jogo contra o FC Porto ou alguns da Champions. E tê-los-emos na Uefa, se passarmos o Nuremberga. Esta fragilidade é tão exasperante que qualquer jogo do Benfica se tornou num suplício.

Quim - Bem, como é normal.
Luís Filipe - Seguro a defender, ainda apareceu na frente. Bom jogo.
Luisão - Intransponível. Está a subir de forma.
Katsouranis - Seguro. É melhor aposta a central.
Binya - O jogador que dá intensidade e luta ao meio-campo. É muito importante para o que resta da época.
Maxi Pereira - É melhor no meio do que é como extremo. De qualquer forma, fraco.
Rodríguez - Está cansado. Culpa de Camacho. É, mesmo assim, dos jogadores que melhor futebol consegueem fazer. 5º golo, 4º de cabeça.
Assis - O patinho feio lá vai jogando à bola e mostrando como se faz posse de bola e se queimam linhas, mesmo que numa posição que não é a dele. Se fossem todos como ele...
Makukula - É absurda a falta de técnica individual deste jogador. Não consegue manter a posse de bola mais de 5 segundos. Fez, no entanto, um trabalho de luta, ajudando os médios, que é de louvar.
Cardozo - Mais perdido na área, não teve hipóteses para mostrar o seu valor. Precisa de aprender a jogar com Makukula. Bom livre.


Adu - Desta vez teve direito a 20 minutos de jogo. Apesar de alguns pormenores interessantes, está muito longe, psicologicamente, para aparecer em grande na equipa. Terá de ter mais minutos.
Rui Costa - Parece estúpido, teve menos de 10 minutos, mas é o melhor em campo. Pelo futebol, pela classe. Por ser o Maestro.
Sepsi - a boa notícia do dia, além da vitória. Temos jogador.

Ricardo disse...

Duas questões que me parecem pertinentes:

- Continua o desacerto entre linguagem da Direcção e linguagem do Camacho. A Direcção vem dizer que chamou o Cardozo para uma conversa na qual exigiu ao paraguaio que pedisse desculpa aos adeptos (ele pediu? eu ainda não ouvi nada e também não acho necessário, sinceramente); o Camacho vem dizer que ainda bem que os jogadores saem chateados do campo que, na próxima vez que entrarem, vão jogar de tal forma que, quando saírem do campo, já não lhes apetece fazer mais nada. Eu sei que é um pequeno tema, mas se o juntarmos a outros pequenos temas, temos um GRANDE tema: a total divergência entre o que a Direcção diz e o que o técnico diz. Eu não sei quanto a vocês, mas eu acho preocupante.

- A aposta de Camacho num 4-4-2. Ainda não se percebeu se Camacho apostou nos 2 últimos jogos neste esquema táctico por termos comprado Makukula, e, portanto, o espanhol querer rotinar os dois num sistema que pretende ver de agora em diante ou se o esquema é apenas consequência das muitas lesões que temos tido. Uma coisa é certa: o Benfica não pode continuar a jogar sem ligação entre o meio-campo e o ataque. Sabendo que Binya "ganhou" o lugar ontem, fica por saber-se se sai um ponta-de-lança para entrar Rui Costa ou sai Maxi Pereira (ou Assis).

Galaad disse...

Aquele anónimo não se deve lembrar do lançamento que deu origem ao terceiro golo do porto, no dragão, o ano passado contra nós...

Paulo disse...

Não é nada preocupante, o treinador tem de defender os seus jogadores. A direcção tem de manter um pulso forte. Vocês por acaso viram ontem o tempo extra. O Rui Santos está preocupado com o apito dourado, porque diz que há corrupção no futebol nos últimos vinte anos. Posteriormente diz que em vinte anos o futebol clube do porto ganhou treze e o benfica quatro. Cada um tira as ilações que quiser mas eu cá com faço parte dos benfiquistas, não estou nada preocupado em não ter ficado em primeiro durante todos estes anos. è uma honra. E já agora vocês viram o que o RS está a fazer para que Rodriguez deixe o Benfica. Todas as semanas ele diz que o rendimento do jogador seria maior em outro clube.

Saudações Benfiquistas
Saudações benfiquistas.

Sir disse...

Não digas isso, Galaad, ele ainda se espuma ou assim.
Sssshhhh.

Anónimo disse...

o anónimo gosta tanto do focúlporto como vós... tipico discurso do benfiquista coitadinho, já fomos prejudicados dessa maneiro logo podemos ser beneficiados dessa maneira também. bora pagar erros...com outros erros... é esse o espirito da merda de futebol que temos!!

BP disse...

Deixem la as boas exibições para outras alturas... estamos tão "bem" que a vitória já me satisfaz... em relação à arbitragem. eu sou mta faccioso mas so consigo ver o binya a levantar o pé depois de largar a bola... mas n me admira nada k tenha sido o ultimo lançamento do binya... como nao me admira que passe a haver um ou outro lance que passemos a ser beneficiados... a 10 pontos ja se podem dar ao luxo disso...
http://obenficologo.blogspot.com

Francisco disse...

Olha o que o Camacho agora tem de fazer é só treinar os pés do Bynia. Fato de macaco tem ele. Porque com tanta conversa na próxima o Bynia leva falta. Não é como o levezinho que está sempre a aleijar os guarda-redes e nunca leva falta