terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Quatro Linhas #3: A fuga de Miccoli



O tempo é sempre uma oportunidade dada pelo destino. Há quem aproveite o tempo para fazer a coisa certa e quem o trate com desprezo, demasiado confiante numa capacidade cega e automática de que tem razão em tudo o que faz ou em tudo o que diz. Nos últimos três anos, depois de ter ganho o campeonato com Trapattoni, o presidente do Benfica ganhou um novo passatempo. O de destruir tudo o que tinha pacientemente realizado. Uma boa equipa, a recuperação do clube e a defesa homogénea de um processo judicial que ajudou a criar uma unidade impensável no país contra a batota e a pouca vergonha.

Justamente, há três anos atrás, disse num programa da Sporttv, que Luís Filipe Vieira arriscava-se a entrar para a história do Benfica como um dos mais decisivos e reconstrutores presidentes da história do clube. Pois bem, o tempo foi passando e o presidente do Benfica foi-se desviando do seu caminho e eu da minha convicção. O livro de José Veiga, que ajudei a escrever, é uma explicação para o que aconteceu nas últimas épocas. Não é a única mas devia ser esclarecedora. Nos últimos três anos, o Benfica não apenas perdeu uma oportunidade histórica de arrumar com o “sistema” a um canto, como ainda lhe proporcionou uma nova e inesperada vida.

Não discuto com os benfiquistas a bondade da decisão de afastar José Veiga do centro de decisões fulcrais do futebol do clube. Eu penso que foi uma decisão que não defendeu os interesses do Benfica, mas admito outras opiniões. Sobretudo porque existe um constante bombardeamento de alguma imprensa, controlada pela SAD do Benfica e que serve o objectivo de condicionar os jornalistas e mentir aos adeptos.

Concretizando melhor: O jornal Diário de Notícias publicou recentemente uma alegada entrevista de Miccoli ao jornal, onde, entre várias citações, é anunciada a extraordinária candura de um desmentido do jogador italiano a várias revelações contidas no livro de José Veiga. O propósito era o de assegurar que os benfiquistas fossem intoxicados com a conveniente reposição dos factos. Se tudo corresse bem, ninguém daria pelo facto e o presidente Vieira saia em ombros da situação, alegadamente ilibado pelo jogador da sua transferência para o Palermo.

Acontece que no livro de José Veiga, além de outros assuntos, o episódio nele contido sobre o modo como o Benfica se desinteressou da permanência do jogador italiano, foi tratado por mim. E então é importante que se diga: Em vinte e cinco anos de carreira nunca dei a ninguém a mínima oportunidade a que me chamassem mentiroso. Tenho escrúpulos, sempre tive, sempre recusei muita proximidade em relação aos agentes desportivos, exactamente porque sei como é que se compram notícias e influências e porque está claro que a actual estratégia comunicacional do Benfica passa quase em exclusivo por arranjar moços de recados que ajudem a descredibilizar o livro de José Veiga e algumas das suas passagens mais desconfortáveis.

Daí que possa assegurar que as declarações de Miccoli ao Diário de Notícias inauguram talvez um novo conceito de jornalismo. O das entrevistas-fantasma. Nesse mesmo dia pude falar com Francisco Caliandro, advogado e representante de Miccoli que confirmou as minhas piores expectativas: O jogador não deu entrevista nenhuma. Fiquei sossegado com a minha consciência, porque tinha sido o mesmo Francisco Caliandro a contar-me todo o episódio da proclamada fuga de Miccoli para Itália. E, de novo, confirmou-me que o Benfica teve a possibilidade de contratar em definitivo o jogador por três milhões de euros, que Miccoli aceitava baixar os seus vencimentos de modo a ajustá-los à tabela salarial do clube, que o jogador renunciou a jogar no FC Porto e que esperou até ao limite do insuportável por uma resposta do Benfica. Aliás, ainda hoje está à espera que a SAD benfiquista lhe diga se mantém interesse na negociação.

O que está mal neste processo todo não é que o Benfica se tenha desinteressado da contratação definitiva de Miccoli. Eu próprio tenho muitas dúvidas que fosse recomendável ao Benfica gastar tanto dinheiro – entre salários e passe do jogador – na sua fixação no plantel do clube. Continuo a pensar que a opção em contratar Cardozo é mais sensata e desportivamente mais equilibrada. Alguns podem descrer, mas o atacante paraguaio permitirá ao Benfica, no futuro, pulverizar todos os recordes de transferências em Portugal. O que me agonia em todo este processo é a mentira, como se ela fizesse parte de um acto normal de respiração. A SAD do Benfica deve assumir que desistiu de Miccoli porque esse foi um acto legítimo de gestão desportiva e, provavelmente, uma louvável poupança de meios financeiros.

De uma vez por todas, o Miccoli não permaneceu no Benfica porque o Benfica não quis. E se querem a minha opinião, fez bem.

P.S – Apenas um esclarecimento. Ou tanto melhor, dois. Não fui despedido da Sporttv. Apenas me desafiei a mim próprio a testar a minha capacidade e os meus conhecimentos noutro âmbito da comunicação. A dos clubes de futebol. A decisão foi minha, foi contestada pela empresa que pretendia a minha permanência e foi antecedida de muita reflexão. Também não saí porque estivesse a fugir do actual presidente do Benfica, que prometeu a várias pessoas no clube e na SAD que ia «fazer-me a folha». Não me perdoa a participação no livro de José Veiga e sei que tudo fará para me prejudicar no futuro. Uma coisa é certa. Se este é o preço que tenho de pagar pela minha amizade com José Veiga, pois então, estou a disposto a pagá-lo. As minhas amizades sou eu que as escolho. Só não consigo explicar aos meus filhos como é possível gostar tanto de um clube e ter um presidente do mesmo clube atrás de mim com um desejo tão sádico de vingança.

53 comentários:

Pedro Neto disse...

Obrigado, Zé, por finalmente ver a história comprovada e saber, concretamente, o que se passou. Não posso perdoar à Direcção do Benfica, o facto de se terem livrado de um dos jogadores mais fascinantes que vi jogar no Benfica.

E mais grave que delapidar o plantel, e não satisfazer a vontade de muitos benfiquistas, é continuar a mentir aos sócios.

NM. disse...

:( Nem acreditas como eu estou triste , eu inclusive estive à pouco tempo com ele em palermo , sigo o miccoli desde que me lembro de o ver jogar. Depois do jogo do palermo cagliari fui ter com ele , e o espanto foi tal que ele nem consegiu acreditar que eu tinha mesmo vindo de portugal para falar com ele , entretanto perguntei-lhe o porque de nao ter ficado no benfica , na altura ele disse-me que a decisão estava na posse do benfica , e que o seu pai tinha sido influente na escolha . Acabou por nao ficar e a familia foi o factor do media para esconder isso mesmo.... agora com mais calma percebo .

Enfim , mas fiquei contente de saber que ele nao mudou muito desde o tempo do ternana e Perugia !

Um grande texto sim senhor , ao benfica Falta mesmo um grande director desportivo.... e o veiga na minha opinião... faz lá muita mas muita falta.

Ricardo disse...

Muito me conta, caro José. Eu continuo sem entender como é possível um presidente de um clube ser capaz de um trabalho, a todos níveis, extraordinário na recuperação financeira e desportiva de um clube e, após ganhar um campeonato, optar por uma política absolutamente contrária à que vinha sendo assumida, delapidando desportivamente o futebol, como se as suas a acção fossem propositadas. Porque só podem ser propositadas, Quem comete tantos erros, em termos de gestão desportiva, não o pode fazer por mera incompetência. Acho que todos, benfiquistas, teremos de concordar com isto. Além do mais, além da questão puramente de gestão de recursos, é a mentira que dói, que ofende, que massacra quem como nós vive este clube de uma forma intensa. O engano constante, as frases populistas - em que já nem os mais "populares" acreditam - o engano permanente, o desvio de atenções, tudo isso se vê, todos os dias, nas acções de LFV. Até quando este pesadelo?

Quanto à opção puramente desportiva, discordo do José. Miccoli é um jogador bem acima da média de todos os jogadores que, nos últimos 14 anos, passaram por esta casa. Não dar 3 milhões de euros por ele, quando se sabe que foram dados 6 por Di María, 2(!!!) por Andres Diaz, 3,5 por Bergessio, etc, 4(!!!) por Makukula já não é má gestão, é imbecilidade. Pura. Mesmo que o ordenado fosse mais altos (e o próprio José Marinho admite que Miccoli estaria na disposição de baixar substancialmente o seu), em termos desportivos, seria sempre uma opção inteligente. Imaginou Cardozo e Miccoli na frente de ataque? Há jogadores que se completam melhor do que estes dois? ou Makukula e Cardozo são uma opção viável? Tenho pena. Da mentira e da gestão desportiva.

Não sabia da sua situação em termos profissionais. Temos falado em blogues (principalmente na "Ilíada Benfiquista") em si, para Director de Comunicação do clube. Está visto que com esta Direcção é caso impossível. Espero vê-lo, num futuro não muito distante, a representar o nosso clube. Um abraço.

JAS disse...

Caro José Marinho,

É um prazer lê-lo. E, acima de tudo, é gratificante saber que continua a defender, de forma profissional, os interesses do nosso clube. Continue, por favor, que dá gosto. Aproveito para lhe desejar as maiores felicidades no seu novo percurso. Estou certo que manterá o profissionalismo sobre o qual escreveu naquele célebre post da Ilíada. O Braga (creio que é esse o seu novo destino, pelo que li e ouvi) só terá a ganhar.


Cumprimentos,

JAS.

Catenaccio disse...

Caro José Marinho,

Partilho da opinião dos meus colegas de blogosfera sobre o tema do post.

Para mim, acabou por não representar grande novidade porque li o livro de José Veiga e este episódio vem bem descrito.

Aproveito para lhe desejar felicidades pessoais e profissionais, mas seria muito interessante continuar a ler os seus textos.

Cumprimentos.

Ricardo Cunha
Catenaccio

Anónimo disse...

"Não discuto com os benfiquistas a bondade da decisão de afastar José Veiga do centro de decisões fulcrais do futebol do clube."

Pois... as tuas tangas começam logo aqui.

Será que ele foi afastado pelo Benfica ou será que foi ele que saiu pelo seu próprio pé para resolver os seus problemas "pessoais"?

Até agora ainda só resolveu a questão dos móveis com a Dexia...

De resto... os impostos continuam por pagar e o caso JVPinto continua em tribunal.

Quando manipulas assim a história é me muito díficil acreditar no que quer que seja que escrevas a seguir.

Anónimo disse...

Já agora é engraçado que este teu artigo apareça 2 dias antes de mais um jogo decisivo na Europa.

Será que o Veiga ou tu vão para a TVI (aquela que lá estava à porta no dia do arresto dos bens) dar uma entrevista à hora do jogo?

A vossa sede de protagonismo é muita... mas nunca chegarás aonde desejas! Os Benfiquistas nunca te darão essa honra!

BP disse...

Caro José Marinho,

Respeito, mas não consigo considerar José Veiga alguém competente! Dizia-o quando fomos campeões e digo-o agora. Tem virtudes (nunca o balneário este tão blindado), mas os defeitos são demais para quem quer estar à frente do futebol do Benfica. Isto sem invalidar a veracidade das suas declarações, ou até concordar com o que foi dito em relação a Vieira. Ele precisa claramente de alguém à frente do futebol, que disso percebe pouco! Alguém de confiança que esse é o problema dele. Já lhe fizeram tantas que à primeira desconfiança pára tudo. Enfim, volto a dizer que Veiga não é o poço de virtudes que aqui se advoga.
Cumprimentos

José Marinho disse...

Caro anónimo: Esta é uma luta desigual. Eu abro uma discussão e assino o que escrevo. O senhor quer fechá-la e veste a capa do anonimato. Porém, como deve saber, é uma capa justa que dá ideia de um manto de inconscientes. Tem as costuras muito apertadas, rasgam-se ao menor ímpeto de responsabilidade. O senhor não ataca, mas produz veneno. Mas conta com um problema. Acontece-lhe a si o mesmo que aos seus comentários, passa à história como o anónimo. E quem será? Lacaio do Vieira, adepto conformado, funcionário da SAD, ou simplesmente o anónimo. Não deixe acontecer esse seu segundo nascimento. Nasceu com um nome, mas pretende morrer com outro. Uma espécie de soldado desconhecido? Existirá honra nisso?
Já agora, de caminho, deixe de dizer baboseiras. Obrigado

BP disse...

Pronto, lá está! Nós benfiquistas estamos a cair na vulgaridade! Não conseguimos ter um debate ou uma discussão de ideias sem que que caiamos na agressão verbal facil! Por favor, embora não concordemos uns com os outros (graças a Deus, senão isto era uma marasmo), não vamos entrar na dos lacaios, da sede de protagonismo... vá lá, mantenhamos a discussão séria!

E eu é que sou o Lacaio!!! disse...

Ficaste irritado?

Ou terá sido só para não responderes ao que foi dito?

Porque não falas dos problemas do teu amigo Veiga?

Era bom saber! disse...

Adoro quando falas nos teus "escrúpulos" e na tua "consciência".

Podias explicar como é que alguém tão nobre trabalha com alguém como Veiga, que se recusa a pagar impostos e faz negociatas como a do Dexia, João Pinto, etc... etc...?

Pedro disse...

Só de pensar numa dupla atacante Miccoli/Cardozo fico com arrepios...

Enfim...

Veiga nunca será um poço de virtudes mas Vieira já passou do prazo.

AS disse...

Sinceramente não sei o que dizer. O que aqui está em causa é acreditar em versões diferentes acerca de um mesmo episódio, contado por uma mesma pessoa sobre a qual não tenho opinião formada. Posso garantir que, para mim, o facto de estar associado a José Veiga não é um bom cartão de visita. Sou dos que fiquei satisfeito com a sua saida do Benfica. A publicação de um livro da sua autoria, acerca dos tempos que passou no Benfica, 4 curtos meses após a saida, em minha opinião, não abona muito a seu favor e demonstra bem o seu caracter. Com isto não pretendo dizer que LFV não tem culpas na actual situação do futebol profissional do Benfica. Tem-nas e muitas. Em relação ao facto do SLB controlar alguma comunicação social, a ser verdade, parece-me existir aí alguma incompetência. Se tivermos em atenção o teor da maioria dos artigos que saem sobre o Benfica, estes são tudo menos favoráveis, em especial no DN, em que o clube, normalmente é tratado em tom jocoso. Espero que não seja o José Marinho que ande a ser enganado. Cumprimentos

César disse...

Não sei em quem acreditar, sinceramente...

Mas cada vez mais acredito que não ficamos com o Miccoli porque não quisemos, e não por vontade do jogador. E quando imagino que poderíamos ter uma equipa com Rui Costa, Simão, Miccoli e Cardozo... Tira-me o sono!

José Marinho disse...

Anónimo! Insisto que eu próprio ficaria encantado de responder às tuas questões, mas que se note que falar para o anonimato é o mesmo que falar para as paredes. Porém, sempre te digo que o artigo não é sobre o Veiga. Sou amigo dele, como sou amigo de muita gente. Não sou empregado de Veiga. Escrevi um livro sobre a mística do Benfica e isso não faz de mim empregado do clube, escrevi um livro sobre José Mourinho e isso não faz de mim empregado de Mourinho. Proximamente vou editar a biografia de Chalana, o maior e melhor jogador português de todos os tempos depois de Eusébio. Isso fará de mim empregado de Chalana. Estou a preparar com Jorge Valdano uma sua colectânea de textos para editar em Portugal? Também sou empregado de Valdano? E sobre a forma maliciosa como relacionaste o meu post com a proximidade de mais um jogo europeu do Benfica, é bom que se diga que não há anónimos à face da terra que mudem o meu desejo de uma grande vitória do nosso clube na Alemanha. Desiluda-se meu caro. Nâo sou oposição a nada nem a ninguém. Mas, como sempre na minha vida, a minha cabeça não está a prémio nem a leilão. Pensa por si própria. O que é uma grande vantagem num tempo de unanimismos perigosos e de interesses conspicuos.

José Marinho disse...

Anónimo! Insisto que eu próprio ficaria encantado de responder às tuas questões, mas que se note que falar para o anonimato é o mesmo que falar para as paredes. Porém, sempre te digo que o artigo não é sobre o Veiga. Sou amigo dele, como sou amigo de muita gente. Não sou empregado de Veiga. Escrevi um livro sobre a mística do Benfica e isso não faz de mim empregado do clube, escrevi um livro sobre José Mourinho e isso não faz de mim empregado de Mourinho. Proximamente vou editar a biografia de Chalana, o maior e melhor jogador português de todos os tempos depois de Eusébio. Isso fará de mim empregado de Chalana. Estou a preparar com Jorge Valdano uma sua colectânea de textos para editar em Portugal? Também sou empregado de Valdano? E sobre a forma maliciosa como relacionaste o meu post com a proximidade de mais um jogo europeu do Benfica, é bom que se diga que não há anónimos à face da terra que mudem o meu desejo de uma grande vitória do nosso clube na Alemanha. Desiluda-se meu caro. Nâo sou oposição a nada nem a ninguém. Mas, como sempre na minha vida, a minha cabeça não está a prémio nem a leilão. Pensa por si própria. O que é uma grande vantagem num tempo de unanimismos perigosos e de interesses conspicuos.

Pedro Neto disse...

Já agora aproveito para elogiar o "Pela Mística Dentro", José, um dos mais brilhantes livros sobre a temática benfiquista que já tive a oportunidade de ler. É o melhor que tenho, e tenho-os (quase) todos.

Não ligue aos ataques pessoais. Os benfiquismo não se exibe, sente-se.

Jastoman disse...

Boa Tarde!

Gostei do post, até começo a ficar interessado por esta rúbrica.

O facto de, com clareza e nível, se dar a conhecer novas perspectivas é sempre de salutar.

No entanto, não entendo algo: foi por si assumido neste post (pelo menos...) que ajudou a escrever o livro de José Veiga e que tem grande amizade por ele, então porquê isto: "Tenho escrúpulos, sempre tive, sempre recusei muita proximidade em relação aos agentes desportivos"

Cumprimentos,
Lúcio Almeida

JNF disse...

Só os montantes dos jogadores completamente inúteis davam para comprar o passe de Miccoli.

Andrés Diaz (2 M €)
Bergessio (2,5 M €)

Posto isto, importa saber quem e com que interesse é que não quis Miccoli no Benfica. Porque Vieira não foi certamente o único.

Carapuça! disse...

"Não sou empregado de Veiga"? Quem é que disse isso? Se enfiaste a carapuça, o problema não é meu.

O que eu disse foi "trabalha com alguém como Veiga", o que pode ser como empregado, como chefe ou por exemplo, escrever um livro em conjunto. Mas tu lá saberas porque é que falaste em ser "empregado de Veiga".

Já agora adoro o sentimentalismo que colocas em cada resposta. Mas parece que em cada coisa que escreves, nas entrelinhas queres dizer totalmente o contrário. Não sei, deve ser do teu estilo.

Fica bem e já agora dá um recado ao teu amigo Zé:

diz-lhe para pagar os impostos. Era capaz de dar jeito para manter umas urgências abertas.

José Marinho disse...

Anónimo, não me conheces. Em tudo na vida, eu digo, não contradigo, eu faço, não desfaço, eu monto, não desmonto. Em suma, eu sou público, não sou anónimo. E a única carapuça que me serve tem um tamanho único, à medida da minha liberdade. De acção e de pensamento.

Lamento, mas não sou moço de recados. E sobre os impostos, não devo preocupar-me com o dos outros. Já me bastam os meus, que são pesados e estão pagos.

Desculpa, mas está na altura de voltar aos assuntos sérios. Gostei muito de brincar contigo. Até um dia destes.

madjer87 disse...

Afinal a culpa não era do PC ?! ;)...

Um gajo sério! disse...

Ainda bem que estavas a brincar, é que por momentos até pensei que fosses sério e que tivesses a dizer coisas que até acreditavas!

Mas não fiques irritado que quando falei o que falei, estava mesmo a falar a sério.

Vá fala lá do anonimato e tal... mas se puxares pela cabeça, sabes bem quem eu sou!

Forte abraço e vai lá à tua vida séria!

Um gajo sério! disse...

Ainda bem que estavas a brincar, é que por momentos até pensei que fosses sério e que tivesses a dizer coisas que até acreditavas!

Mas não fiques irritado que quando falei o que falei, estava mesmo a falar a sério.

Vá fala lá do anonimato e tal... mas se puxares pela cabeça, sabes bem quem eu sou!

Forte abraço e vai lá à tua vida séria!

BENFICA SEMPRE disse...

Caro Marinho
Esclarece-nos: Imprensa ligada à SAD do Benfica? Qual? Pois nós o que assistimos todos os dias é exactamente o contrário. Não há absolutamente nenhuma, quer televisões, rádios ou jornais. Tudo deita abaixo o Benfica, e, tu ajudaste e de que maneira, pois o livro que escreveste, do teu amigo José Veiga, abriu todos os canais televisivos (excepto o canal 2) e teve grande importância, como se de importante se tratasse.
Quanto ao Micolli eu OUVIU-O dizer que gostava de voltar a Itália. Mas, a jogar em Portugal, só no Benfica.
O Simão, também disse que gostava de jogar no estrangeiro.
Por que raio, as outras entrevistas são manipuladas e o que o José Veiga diz não é? Sendo ele uma pessoa que não merece muita credibilidade?

Joaquim Amaral disse...

Já agora (e pegando no que disse o Benfica Sempre), no dia 4 de Dezembro de 2007, o que é que o Marinho esteve a ver, por volta das 20 horas? A entrevista do teu amigo Veiga ou o jogo do "teu" Benfica?

Bakero disse...

Tal como o Pedro Neto, aproveito para deixar os meus elogios ao "Pela Mística Dentro", um daqueles livros que devia ser oferecido a todo e qualquer jogador que chegue ao Benfica, para compreender que este não é, não pode ser, apenas mais um clube na carreira deles.

Quanto à história do Miccoli, está mais que visto que não ficou porque o Benfica não quis. É mais um erro crasso a juntar ao monte de disparates, que a incompetência de LFV, vai fazendo, infelizmente para todos nós, crescer.

Ps: Dê uma vista de olhos ao www.memoriagloriosa.blogspot.com, a memória do Benfica em video ;-). Não diga é nada à sua anterior entidade patronal, se não lixam-me o blog eheh.

Sir disse...

Caro José,

algumas pessoas não merecem que se perca tempo com elas. Com mais tempo de blogosfera, rapidamente se aperceberá de quem é merecedor, ou não, do seu tempo.

Quanto ao post, revela o verdadeiro valor do seu contributo. A sua opinião é tão válida como a de outro qualquer benfiquista, mas o José sabe coisas a que pouca gente e ainda menos bloggers têm acesso.

Admiro a sua coragem, a aplaudo que defenda as suas convicções independentemente do que daí advier. Há que fazer saber ao mundo benfiquista alguns factos importantes. Mesmo aqueles que não sabem reconhecer a um jornalista reputado a imparcialidade perante o seu benfiquismo e uma amizade.

Quanto aos que acham que o Benfica não tem lacaios na imprensa nem encomenda artigos, acordem para a realidade. Ainda há pouco tempo, no jornal desportivo de maior tiragem, o senhor José Manuel Delgado escreve um artigo encomendado - com dados fornecidos pelo Benfica - a defender o descarte deste mesmo Miccoli. A vitimização, por mais que queiramos, nunca será argumento.

Saudações Benfiquistas

Anónimo disse...

o problema do josé é que há muita gente que também sabe muito sobre ele

sobre ele e sobre os amigos

Sir disse...

Aqui, como sempre, quando não há argumentos, começam as calúnias, os fait-divers e as ameaças.

Se não gosta, e não quer debater, só tem uma solução: ponha-se a andar.

Anónimo disse...

não te enerves tanto, sir.

nem sempre os amigos que escolhemos são os melhores. e nem sempre as historias que nos contam (e que queremos ouvir) são verdade).

quando falares de fait-divers, pensa em desculpas esfarrapadas que as pessoas dão para não responder a perguntas incomodas. nisso o teu "amigo" é um belo especialista.

uma boa noite para ti

Urra Apre disse...

Parabéns ao Eterno benfica pela aquisição bombástica. É sempre agradável não só poder comunicar com jornalistas que tanto nos habituámos a ver através de uma caixa, mas também descobrir que professam a mesma religião que nós, o GLORIOSO BENFICA.

E aproveitando o ensejo, se fosse possível dizer-nos, dado ter travado de tão perto com José Veiga, o que realmente aconteceu com o Diego. O que nos foi dado a saber por portas e travessas foi que o jogador foi "chumbado" por Veiga por não ter passado por si a contratação. É verdade?

Saudações gloriosas

Pedro Neto disse...

A melhor coisa a fazer é não ligar a estes anónimos, que nada trazem de útil e baseiam o seu discurso no insulto e na provocação. Mais tarde ou mais cedo vão-se embora e, assim, pode-se retomar a discussão séria com aqueles a quem é o Benfica que interessa verdadeiramente. Há muitos na blogosfera, dar-lhes a resposta que não merecem é perder tempo.

Abraço para o José Marinho e boa-sorte nesta sua particapação no Eterno Benfica. Já valeu a pena só pela confirmação deste "escândalo Miccoli". Se tivesse dúvidas no meu voto em 2009, que não tenho, só com isto teria uma certeza. Já sabe que tem, pelo menos, um leitor interessado no que escreve.

José Marinho disse...

Apenas respondo ao urra apre. O que sei é o que está no livro. De facto, José Veiga não o quis no Benfica, na primeira época, apenas porque o anúncio da sua contratação coincidiu com uma altura muito crítica da época do ano em que o Benfica foi campeão. Ele tinha um compromisso com os jogadores, estabelecendo que até final dessa época, para não causar perturbações no plantel, não se falaria de entradas, nem de saídas. O anúncio da contratação precipitou tudo e causou mau humor no balneário. Por isso Veiga tomou a decisão de não aceitar o jogador,para defender a harmonia no plantel e o compromisso com os jogadores. Ainda assim, é uma lástima que Diego não tivesse podido jogar no Benfica o que demonstrou no Grémio. Mas, já agora, quem é que vendeu o Diego, foi o José Veiga?

Kahuma disse...

sinceramente este assunto é um fait-diver para o que realmente interessa...

É triste demais quando se fala num jogador sabendo que a instituição é superior a isso, estou farto deste jogos de bastidores, estou farto de falar em dinheiro, estou farto da corrupção, seja ela do pinto da costa ao bartolomeu (que coisa gira, o antigo lacaio do primeiro está em último)...

Enfim, estou triste, é triste e parece que vai continuar triste, quando teremos um Homem com "h" grande no comando da nação benfiquista?

Pois os íntegros são todos comidos de cebolada...

Bem, puro devaneios.

Fernando Oliveira disse...

Caro José Marinho,
Sou um dos teus admiradores e não por ser da tua "terra", Coimbrões -VNG.
Admirava a forma como comentavas os jogos, era excelente.
Sei que tiveste no colégio de Gaia a dar uma palestra, segundo o meu filho me informou, que frequenta esse estabelecimento de ensino.
Falando de Futebol e do teu artigo, só tenho a dizer uma coisa o Sr. Luis Filipe Vieira é uma homem sem escrúpulos e mau caracter.tenho pena de vêr o meu Benfica entregue a essa personagem.
Continua a tua luta e sem medo, tenho esperança de te vêr na estrutura de comunicação do Glorioso.
Sou Benfiquista revoltado com o actual estado desportivo.Uma vergonha.
Tenho esperança que nas próxima eleições seja derrotado de forma clara.
Vamos aguardar nesta agonia...

Um forte abraço,
Fernando Oliveira

Anónimo disse...

loooooll ... eu sou outro anónimo e digo desde já que gosto de ler os comentários de Marinho... é um prazer tê-lo aqui no eterno benfica...
Quanto ao post, só tenho a dizer que penso que o Benfica com o Vieira vai num bom caminho...

pjin1980 disse...

bom dia
é a minha estreia neste blogue, e antes de passar a comentar o assunto, quero felicitar o jornalista jose marinho(nem fazia ideia que era do glorioso)..
relativamente ao assunto em questão, tenho ouvido e lido versões para todos os gostos...
ja nem sei em quem acreditar...
mas se tiver errado que me esclareçam, fala-se aqui numa entrevista ao Dn que nunca existiu, mas caso esteja enganado que me corrigam, o miccoli n deu uma entrevista no jornal "a bola" em que disse que so n ficou no benfica por causa da familia?
a mim faz-me confusao acreditar que o benfica n fez td p manter o miccoli,sabendo já o que ele valia e a paixao que criou junto da massa associativa, mas com tanto que ja se disse e que n se disse, já tenho duvidas de td?
sr jose marinho n sei se me pode esclarecer, mas caso seja possivel, o que falhou nos negocios tomasson e d´alessandro?
e quem eram os "inimigos" dentro da direcçao que tinham "inveja"(e estou a ser suave na palavra)do trabalho do veiga e do seu poder dentro do clube?
espero que nos continue a brindar c os seus maravilhosos textos..e que mais logo todos nos possamos festejar a passagem de mais uma elimonatoria da uefa
Pedro Nunes

Pedro disse...

Realmente há algumas pontas soltas nesta questão toda.

Primeiro: É verdade q Miccoli afirmou q queria regressar a Itália. Isso significa o q? Q Veiga está errado ou q Miccoli fez o "favor" a Vieira? Sinceramente acho q o Miccoli teria mais q fazer do q se sujeitar a isso...

Segundo: O povo diz "diz-me com quem andas e digo-te quem és". fazer um livro de Veiga q iria criar um reboliço no Benfica não choca um pouco com o benfiquismo revelado? Associar-se a um dragão de ouro, q festejou derrotas europeias do Benfica para escrever um livro q, seja real ou ficticio, vai causar incomodo ao clube e adeptos era coisa q eu nunca faria. E sou do mais anti-Vieira possivel...

Pois Veiga não gostou da contratação do Diego mas já não se importou de contratar o Yannick no tempo da primeira passagem do Camacho....

Urra Apre disse...

Mas, já agora, quem é que vendeu o Diego, foi o José Veiga?

Obrigado pelo esclarecimento. Devo dizer que não li o livro que escreveu com José Veiga daí pôr questões que eventualmente poderia ler nesse livro. Mas li e tenho a sua lombada à minha frente, o fantástico Pela Mística Dentro :).

Voltando ao assunto. Pese embora a boa intenção de Veiga em defender o balneário (coisa que - há que dizer - sempre conseguiu na perfeição) há algo nisto tudo que indicia já nessa altura algum mal-estar entre LFV e JV. Se o souber gostaria que nos dissesse os contornos do negócio de Diego (quem o ofereceu ao LFV, com quem negociou, e porquê de não ter consultado o director desportivo na altura, responsável por esse pelouro).

Quanto à frase que retirei da sua resposta e que reproduzi no início deste comentário, convenhamos que não havia outra solução senão vender definitivamente Diego, uma vez que a motivação para voltar a um clube onde praticamente foi ostracizado não é propriamente um sonho para um jogador.

Outra dúvida que tenho, e que se calhar é mencionada no livro, é o porquê de LFV sempre se ter manifestado solidário aquando dos problemas pessoais de JV, mantendo sempre o seu lugar em aberto para um possível regresso, e quando finalmente pôde, regressou, para pouco tempo depois sair (quase diria intempestivamente). O que aconteceu?

PS - A minha opinião em relação a JV sempre foi um pouco contraditória, tipo amor-ódio.
Não me esquecerei nunca os seus tempos da casa do do fcp no Luxemburgo e os festejos que fez quando fomos eliminados numa final europeia (creio que contra o PSV??). São situações que um Benfiquista nunca conseguirá pôr de lado quando recebe no seio da sua família uma personagem assim.
No entanto foi de extrema utilidade a sua passagem pelo Benfica, que coincidiu (e não foi por acaso) com o título 11 anos depois, a forma como protegia e incentivava o balneário, e foi também a forma como enfrentou os corruptos do norte. Ao contrário do que os sábios aconselham há que descer o nível para responder a gente sem nível e o JV foi uma figura essencial, profundamente conhecedora dos podres do corrupto-mor, o que lhe permitiu responder à letra sempre que necessário. Não é bonito de se ver, mas é (foi) eficaz.

PS2- não quero entrar em diálogo aqui, mas referir apenas que no negócio do JVP, até agora, não há provas que indiciem JV de alguma prática incorrecta. Pelo que se sabe é o próprio sporting quem tem o ónus do caso que ainda não conheceu o seu desfecho

Saudações gloriosas

José Marinho disse...

Caro Pedro: Não há pontas soltas nenhumas. Há uma decisão legítima de uma direcção e uma tentativa ilegítima de esconder a verdade. De resto, quando começámos a escrever o livro, ainda o José Veiga tinha a expectativa de continuar no Benfica. Este livro não é anti-Benfica e, no limite, nem é anti-Vieira. Eu próprio não sou anti-Vieira. Mesmo no livro, em várias passagens está demonstrada a importância que Luís Filipe Vieira teve na restauração da imagem do clube. Está lá tudo. Porém, pareceu-me que era um livro útil para abrir uma discussão pública sobre o actual modelo de gestão do Benfica. O livro não é um ataque, é uma pista. O livro tornou-se polémico pelo lado da reacção, desproporcionada em relação ao contexto. O Benfica precisa de massa crítica e aquele livro nem sequer é uma moção de censura a Vieira e à sua direcção. Por favor, leia o livro e veja o que nele está contido sobre a abominável batota que está instituida no futebol português? Veja nele, a forma como o actual presidente do Benfica é elogiado pela sua persistente na denúncia do processo Apito Dourado. Eu não estou a inventar nada. Está tudo lá. No meu próximo post, vou recorrer a algumas passagens do livro, que a imprensa deliberadamente omitiu, para que todos afunilassem na mesma ideia: Vingança contra Vieira. Ridículo. Não há vinganças. Há denúncias. E não são contra o Benfica e o seu presidente. No livro, a única coisa que é apontada ao presidente do Benfica tem a ver com a sua confirmada incapacidade para gerir o futebol. Não existe nem um único ataque pessoal, ao seu carácter e até ao seu benfiquismo. O que lá está dito é o que dizem muitos benfiquistas do seu presidente: Tem um lugar na história do clube, pela recuperação da sua imagem, mas inábil a gerir o futebol. Mas, repito, nada nem ninguém ataca o Benfica nesse livro. Espero tê-lo esclarecido em alguma coisa. Um bem haja e que o Benfica consiga ganhar na Alemanha.

BP disse...

Mais uma vez caro José, respeito, mas quer-me parecer que so esta a responder às perguntas mais convenientes! Ou seja àquelas que deitam abaixo LFV...
Cumps

Pedro disse...

Caro José antes de mais obrigado pela resposta e parabens por ter coragem de dar a cara num blog.

Lá mais para cima referiu q a imprensa protege a SAD do SLB. Não sei se a imprensa protege a SAD do SLB mas tenho a certeza absoluta q protege Vieira e isso é completamente diferente de proteger o Benfica mas infelizmente muitos não percebem isso.

E é essa protecção q leva a q "dizem muitos benfiquistas do seu presidente: Tem um lugar na história do clube, pela recuperação da sua imagem" mas um dia a verdade virá ao de cima. São contas de outro rosário.

Diz que o livro não é uma arma de arremesso contra Vieira mas será que foram assim tão ingénuos a pensar q não seria assim tratado pela tal imprensa amiga de Vieira? Acho q o José anda nisto à muitos anos para cair num erro desses...sabia q isso ía ser assim e publicaram o livro á mesma.

Agora Vieira dizer q é amigo pessoal de Veiga, defendê-lo sempre e de repente passam a arqui-inimigos...enfim...vieirices..

José Marinho disse...

Pedro, mas o que é verdade é que o objectivo foi plenamente alcançado. As pessoas começam a pensar, começam a discutir e sobretudo têm uma versão das coisas que foge de toda a propaganda da imprensa situacionista. Porque não se iluda, não é o Vieira que eles adulam, porque muitos deles viveram durante muitos anos à custa das informações de José Veiga. E se amanhã, José Veiga voltar ao Benfica, eles lá estarão na primeira fila para estender o tapete. Não é o Vieira que lhes interessa, é a situação. E a situação é o Benfica. E, no limite, o que o livro pretende, é abrir a discussão sobre o Benfica e o seu futuro. As pessoas devem perceber o seguinte. O Benfica não sobrevive a este maniqueismo de pensar que os bons estão todos de um lado e os maus do outro. Pessoalmente sabia que o livro seria polémico, mas convictamente sempre pensei e continuo a pensar, que essa polémica podia ser o alimento ideal para a discussão que o Benfica tem de fazer sobre si próprio. E essa discussão envolve todos os benfiquistas que se interessem pelo bem do clube e não apenas a direcção ou meia dúzia de caixas de ressonância que tentam controlar o pensamento geral, seja na imprensa ou até mesmo nos blogues. Por isso, considero oportuna a minha participação neste blogue, como considero o Mágico SLB e outros blogues, uma força positiva que o clube deve aproveitar. Aliás, em matéria de comunicação, os clubes devem virar-se cada vez mais para estes espaços, onde a intermediação com os adeptos deixa de ser jornalística e passa a ser directa. No dia em que for director de comunicação de um clube, é o que farei, estabelecendo laços entre as duas partes. Há muita complementaridade entre a forma como um clube deve comunicar com os seus adeptos e a forma como os adeptos se devem relacionar no apoio a esse clube. Abraço e obrigado pela decência e educação como coloca as suas questões.

Anónimo disse...

ora aí esta a propaganda eleitoral do meu camarada Marinho.

se era para isso, porque é que deste tantas voltas? a tua conversa só engana quem não te conhece.

assume-te de uma vez, pá.

o teu problema é que vcs têm muita lábia mas ninguém vos pega. estão à espera da onda que vos leve, mas ela teima em não vir.

vais ver o jogo do "teu" Benfica?

José Marinho disse...

Boa anónimo. Já ganhei um fanático dos meus posts. Abraço. Camarada. Pá. E não te preocupes com a minha onda. Não me conheces assim tão bem que saibas de onde é que ela vem e para onde é que ela vai. E gosto do modo íntimo como te apresentas. Qualquer dia ainda seremos amigos...Quando fores alguém.

Anónimo disse...

marinho, meu querido.

um dia? sim um dia te direi quem sou, até lá podes te roer!

hoje deves ter vibrado até aos 90 minutos. mas o tal Cardozo, que o teu amigo Veiga foi buscar, deu vos cabo dos planos.

que pena.

S.L.B. disse...

Caro José Marinho: sou mais um a felicitá-los pelos seus posts e pelo seu livro "Pela Mística Dentro". Não li o livro do Veiga e não sei se me apetece lê-lo. Acho bem que haja uma discussão séria e profunda sobre o estado do nosso Benfica, mas duvido que possa ser despoletada por um ex-dragão de ouro. Vai desculpar-me, ele é seu amigo, mas há coisas que eu não esqueço: os festejos do falhanço do Veloso em Estugarda, comemorados com champagne, é algo que nunca perdoarei. Não o quis no Benfica, mas reconheço que teve a sua quota de importância nos títulos que conquistámos. Agora, é uma figura pela qual nunca poderei ter simpatia. Sejamos claros: uma pessoa muda de muita coisa, mas eu desconfio sempre de quem muda de clube. Custa-me sempre muito a acreditar nela. Apesar de ter tido a sua importância nos títulos que ganhámos, eu deixo-lhe aqui uma pergunta: não haveria mais ninguém que pudesse consegui-lo? Teria de ser mesmo ele? Em milhões de adeptos, ninguém teria competência para isso? Custa-me a crer.

Por outro lado, também não se deve branquear o facto de, pelo que se sabe, ter sido ele o responsável por uma série de contratações falhadas. Corrija-me se estiver errado, mas o André Luís, Delibasic, Everson, Marco Ferreira, Laurent Robert, Moretto, Marcel, Manduca (estes últimos cinco custaram-nos um título, porque deram cabo da coesão no balneário, com o beneplácito do Sr. Koeman), Bergessio, Zoro, Butt (manda-se embora o Moretto, para ir buscar outro igualmente mau, mais velho e mais caro?) não tiveram a sua chancela? Quanto é que custaram ao Benfica em comissões, pagamento de luvas aos próprios (os famosos “custo zero”) e salários todos estes senhores? É fácil colocar as culpas no LFV (que as tem e não são poucas: toda a preparação desta época e o despedimento do treinador ao fim da 1ª jornada, só para citar dois exemplos, são uma vergonha; e eu que sempre fui um defensor do Camacho, mas na altura escrevi que o Benfica não pode ser gerido como uma mercearia), porém não acho que o Veiga possa lavar as suas mãos por completo.

Por fim, permita-me voltar a dar-lhe um conselho que já outros lhe deram: não alimente discussões com anónimos. Não adianta nada e só baixa o nível da conversa. Um abraço benfiquista.

o glorioso disse...

Olhe sr. Marinho nem sei o que diga se lhe dou ou não os parabens.
Não tenho nada contra o sr. e respeitou-o como profissional, mas digo-lhe que fico contente e triste por algumas situações: 1ºpor sair dos comentários televisivos e o que é uma benção então quando fazia com o Joaquim Rita Meu Deus que dupla; em 2º sinceramente fico triste por ser do meu clube enfim mas nem tudo é perfeito.
Conta algumas histórias da corochinha que podem até ter algum suspiro de verdade, agora caro não venha com poeira para os olhos. O presidente Vieira de facto tem cometido imensos erros na area do futebol (1 deles foi a vinda do Veiga) mas é evidente que o sr. ao "apoiar-se" no Veiga está á espera de qualquer coisa não é verdade? Infelismente o Benfica continua a ser uma grande tentação para todos assim...

Catenaccio disse...

Caro José Marinho, já tinha comentado mais acime, mas deixe que faça uma breve apresentação:

Em Novembro de 2004 criei um blogue, denominado Catenaccio que entretanto ficou inactivo derivado a questões técnicas com a account do gmail.

Tenho 33 anos e desde os 15 que sou sócio do Sport Lisboa e Benfica. Quotas em dia, obviamente. Mesmo passando pela fase Manuel Damásio e João Vale e Azevedo.

Em tempos, fui participante do blogue Terceiro Anel, espaço de encontro e partilha de inúmeras opiniões. Actualmente, sou colaborador da revista Futebolista, nomeadamente na Secção Táctica e Raio-X.

O que tenho lido neste espaço levaram-me a escrever um texto que resume o meu pensamento sobre algumas das questões aqui colocadas. O resultado pode ser encontrado em:

http://catenacc10.blogspot.com/2008/02/lfvieira-jmarinho-e-jveiga.html

www.catenacc10.blogspot.com

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Também conheci o Miccoli na marina de Cascais, mera casualidade, corria o mês de Abril do ano passado, entre dois dedos de conversa franca, depois de me ter declarado um «não-adepto» de Vieira, falou-se e o teu testemunho confirma isso mesmo, só não sei se seria mesmo caro, mas dependeria da taxa de sucesso alcançada no final desta época!

(...)Também não saí porque estivesse a fugir do actual presidente do Benfica, que prometeu a várias pessoas no clube e na SAD que ia «fazer-me a folha». Não me perdoa a participação no livro de José Veiga e sei que tudo fará para me prejudicar no futuro. Uma coisa é certa. Se este é o preço que tenho de pagar pela minha amizade com José Veiga, pois então, estou a disposto a pagá-lo. As minhas amizades sou eu que as escolho. Só não consigo explicar aos meus filhos como é possível gostar tanto de um clube e ter um presidente do mesmo clube atrás de mim com um desejo tão sádico de vingança.(...)

Não te preocupes com isso, cresci em Lisboa, ao pé do Bairro das Furnas, sei quem é Vieira, o perigo de ser contra, e nunca deixei de o ser, infelizmente nem tudo teve um final «engraçado»...problemático explicar a «antidemocratizada maneira de ser» do Benfica a um filho, quando a mentira, como tu dizes, é tão natural como o acto de respirar, mas luta-se pela verdade sempre!

Abraço

ManCam

Anónimo disse...

É vergonhoso a forma como se desperdiça dinheiro em jogadores que nunca se vêm.. Pior, só mesmo o facto das camadas jovens, dos novos talentos do Benfica serem, quase que "censurados".

Quanto às corrupções e falcatruas cometidas por presidentes do Benfica já têm barba branca.

Mais uma vez, após novo título de campeão, parece que as caras do clube recusam-se a mostrar ( aos sócios, aqueles que realmente merecem saber ) a verdade.

Como é possivel uma transfigurão tal, de um ano para o outro, como o mesmo plantel, e mesma direcção técnica.

Como benfiquista, assumo com grande tristeza que a verdade directiva do Benfica está se a revelar este ano.

Em relação à verdade desportiva, essa continua "invicta" ;)

R.Arriaga.