sexta-feira, 11 de abril de 2008

Senhor LFV...

...Faça-nos um FAVOR, assuma responsabilidades nesta merda de época e:


PEÇA PARA CAGAR E SAIA!

15 comentários:

ric disse...

o benfica precisa de ser desinfectado!!!!com urgencia.

John Billy disse...

Cuidado Shoky já vão aparecer os anónimos apreciadores de credibilidade financeira...

ric disse...

o camacho nao saiu por acaso...
e porque nao o joe berardo???lembram-se do queele disse no principio da epoca???

Blackcat disse...

Nem mais. O seu tempo à frente do Benfica já há muito que passou.
Quanto ao Berardo, tão interventivo no inicio da época: onde é que ele anda agora?

Snatch disse...

Amigos, hoje ninguem goza com o Sporting!?

Power Rangers né?

Temos pena...

Velho Estilo disse...

"John Billy disse...

Cuidado Shoky já vão aparecer os anónimos apreciadores de credibilidade financeira..."

Ahahaah. Não dá. Ainda devem a estar a receber instruções das altas esferas da SAD (but true)...

Mas como comentei na Tertúlia o Benfica está bem. Vou para a saída dos carros para contestar os jogadores e ao contrario das multidões da velha Luz estavam umas 30 pessoas a pedir camisolas e autógrafos...

Estes sócios merecem este clube. E o resto são Posts e Coments...

O INFERNO DA LUZ disse...

Os actuais jogadores do Benfica não se dão ao respeito. O respeito que devem aos milhões de adeptos espalhados pelo Mundo. Olho para Fernando Chalana e vêm-me à memória as milhares de horas de alegria que ele me ofereceu. Olho para aqueles jogadores do Benfica e não digo o que sinto.
O que podem dizer agora aqueles homens que mancharam uma camisola gloriosa aos milhões de adeptos? O que podem dizer a Chalana, a Shéu, a Rui Águas, a João Alves, a Néné, a Pietra, que com eles convivem todos os dias? Eu sei o que diria Chalana, que só não o disse na conferência de Imprensa por pudor: “Pedimos desculpa”.
É isso: “Pedimos desculpa”.

paul disse...

Eu cá não sou anónimo. Era bom saber quantas reuniões teve o Domingos Paciênncia com o Jesualdo Ferreira antes deste jogo. Ou vocês já se esqueceram do que o Jorge Costa disse um dia destes no ponta pé de saida que o Domingos reunia com frequência com o Jesualdo. Quantos jogadores tem o POrto emprestados na académica. Nós é que somos parvos e em vez de apoiarem o Luis Tadeu ou esse tipo de pessoas com credeibilidae andaram por aí a apoiar o Vale e Azevedo e depois veio gente que pode ter boa vontade mas não passamos disto. O Benfica precisa de pessoas competentes e que pensem não de demagogos. Vejam só aos anos que o Vale e Azevedo saiu e só hoje é que está a ser julgado. Deviamos apoiar direcções com o nível da de Luis Tadeu

Velho Estilo disse...

Não acredito que uma pessoa competente como o Luis Tadeu se vá meter nisto. Essa fase já passou...

O Benfica (e o futebol) estão como a Política neste país: as pessoas SÉRIAS e COMPETENTES não se querem meter nisso...

You'll never walk alone disse...

O chalana disse que não era preciso ajudas..o árbitro não ajudou...o benfica foi banalizado.

Catenaccio disse...

www.catenacc10.blogspot.com

Cheguei do Estádio da Luz, comi uma peça de fruta e, como não poderia deixar de ser, sentei-me em frente ao computador, a ler as mais diversas reacções à "catástrofe" desta noite.
Começo por afirmar que o momento mais triste não foi protagonizado por Miguel Pedro, Berger ou Luís Aguiar. Faltavam cerca de 10 minutos para o final quando vejo uma miúda, que deveria ter entre os 10 a 12 anos, levada pela mão de um Pai inconsolável. Quando passaram perto de mim, ouço a seguinte frase: "Pai, eu não disse que preferia ter ido ao McDonald's"?
Depois da exibição bem conseguida no Bessa, os adeptos compareceram em número bastante considerável. Na blogosfera identificada com o ideal encarnado, foram vários os pedidos para uma comparência em massa, quase como um chamamento à esperança que resta(va) até ao fim da temporada. Mais uma vez o público correspondeu. Mais uma vez saímos defraudados. Desanimados. Envergonhados.
A "Briosa" não vencia os encarnados como visitante desde a época 1953/54 mas igualou a pior derrota caseira de sempre das águias em jogos do campeonato nacional. Nem o mais faccioso adepto de capa e batina esperaria tal resultado. A realidade não podia ser mais irónica e cruel.
Quando relembro a desconfiança respeitante a Edcarlos, fico perplexo como aos 4 minutos Luisão consegue fazer o impensável: falha colossal num atraso de bola e o avançado da Académica a entrar na área encarnada e a abrir o marcador. Após o "filme de terror" realizado por Luisão, a restante sequência protagonizada pelo "girafa" e pelo seu colega Nélson, foi como se nas bancadas estivéssemos a assistir a uma trágico-comédia. Será que Luís Filipe, Edcarlos e Maxi Pereira fariam melhor? Quando a dúvida se coloca é porque o "filme" já acabou há muito e ficámos estáticos a olhar para um "pano negro".
Chegou a hora de uma intervenção mais pessoal. Depois do terceiro golo, pensei que havia ameça de bomba ou tinham raptado a águia Vitória. Vi um mar de gente a abandonar o Estádio mas, como sempre, fiquei até ao fim. Chamem-me masoquista. É certo que nos últimos 20 minutos já não falava com ninguém. Limitava-me a tapar as mãos, com frio, e a olhar para o relvado com aquele semblante de quem já viveu situações semelhantes, num passado não muito distante. O jogo teve 90+4 minutos, porque se tivesse prolongamento poderia ter vindo para casa com uma derrota de mão cheia.
Hoje, a "Catedral" estava repleta de famílias e crianças, talvez pelo facto dos menores de 18 anos não terem de pagar bilhete. Perto de mim, estavam novos e velhos, homens e mulheres. Eu tenho trinta e três anos, sou sócio há dezassete e hoje senti-me como um elemento de uma geração à parte. Por um lado, é visível o desencantamento no olhar daqueles que têm quarenta, cinquenta ou mais anos. Agitam-se nas bancadas. Barafustam. Mas, acabam por não resistir ao desgosto e terminam derrotados. Perderam a esperança. Por outro lado, é notória a resignação na cara daqueles que ainda lutam com o borbulhar da adolescência. Agitam-se nas bancadas, mas sem a paixão dos mais velhos. Barafustam, mas falta-lhes o espírito de vitórias e a presença da história. Entende-se o fenómeno quando olhamos para as estatísticas: um adepto do FC Porto com dezoito anos, já viu o seu clube campeão em doze ocasiões. Assim, compreende-se quem prefira ir ao McDonald's.
Não querendo generalizar, até porque o sentimento não escolhe idades, julgo que pertenço a uma geração que está no limiar de dois mundos. Da glória e do fracasso. Pertenço ao tempo em que o Benfica partilhava o domínio nacional com o FC Porto e dividia campeonatos. Pertenço a um tempo de dirigentes ainda competentes, de treinadores qualificados, de jogadores de classe. Porém, também fui observando o lado escuro da decadência, da quebra de hegemonia desportiva e do declínio financeiro. Não vivi o período dourado das conquistas europeias, mas senti as noites "infernais" do antigo Estádio da Luz. Talvez esteja na fronteira: já sou velho para saber decifrar o peso da história, mas ainda sou novo para não perder a esperança.
Esta noite, ao terminar o jogo, apeteceu-me um regresso ao passado. Lembrei-me de como há dez ou quinze anos atrás, este resultado teria consequências completamente diferentes. Desde logo, jogadores e dirigentes sentiriam a fúria de valentes milhares de adeptos que não arredariam pé tão cedo. Violência nunca, mas um clamor colectivo na hora certa faz milagres.
O futuro não se conquista com falinhas mansas, mas sim com o legítimo direito à indignação. Lembram-se do FC Porto antes de José Mourinho? Recordam-se dos cânticos utilizados? Essas frases de "joguem à bola, palhaços joguem à bola" e "são uma vergonha, vocês são uma vergonha", serviram, como gritos de união no balneário de um FC Porto que venceu a Taça Uefa e a Liga dos Campeões, nos anos seguintes.
Sou a favor de apoio incondicional durante 90 minutos, mas não consigo tolerar, de ânimo leve, exibições como a desta noite. Não há desculpas. Os jogadores mereceram todos os assobios e impropérios no final da partida e, se calhar, ainda ficou aquém. Neste sentido, durante toda a época desportiva, as claques fazem o seu trabalho fantástico de apoio e paixão por uma causa, mas são acéfalas e cegas na hora em que se devia abanar o status quo. Aquela ladainha no final do jogo é irritante. A atitude correcta, no momento certo não é uma forma de criticar o Benfica. É uma forma de ajudar a torná-lo mais forte, como forma de agitar mentalidades e promover a mudança.
Durante a semana, após a bela exibição no Bessa e, principalmente, derivado de acontecimentos ligados à arbitragem e aos casos de corrupção, desejei que o Estádio da Luz apresentasse uma moldura humana que fosse o espelho fiel da união e força benfiquista. Pela blogosfera pedia-se que o patamar dos 50.000 fosse ultrapassado. Os adeptos sempre responderam. A equipa é que nunca soube receber esse apoio. Não ganhámos ao FC Porto. Nem ao Sporting. Tampouco ao Braga. Nem ao Nacional. Idem para o V. Guimarães. Nem sequer ao Getafe. Na bwin Liga, perdemos dezoito pontos em casa. Hoje foi a gota de água. A paciência esgotou-se. No próximo jogo, frente ao Belenenses, o meu pedido é diferente. Não vão ao Estádio. Fiquem em casa, a ver pela televisão ou escolham outro programa mais interessante, desde que não seja o McDonald's. A sério, não vão. Esqueçam a fasquia dos 50.000 ou prenúncios de casa cheia. O ideal mesmo seria uma lotação a rondar os níveis de Leiria. Vamos tentar contribuir para o fenómeno das bancadas vazias, como sinal de protesto. Talvez os jogadores não sintam a pressão da nossa presença. Depois, frente ao V. Setúbal, esqueçam estas últimas linhas. Na despedida, o Rui Costa merece um estádio com 65.000 almas a cantar.

dustin disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
John Billy disse...

Grande comentário Catenaccio.
Velho Estilo fiquei estupefacto ao saber que havia gente a pedir autógrafos no fim do jogo. Pensava eu que os jogadores necessitariam de escolta policial pra sair.

Velho Estilo disse...

Só me apeteceu chorar John Billy. Nunca me senti tão revoltado no Estádio da Luz...

Que vergonha...

Já não temos sócios. Apenas clientes. Que quando não estão satisfeitos limitam-se a suspender o "serviço" (deixam de pagar quotas ou ir ao Estádio).

You'll never walk alone disse...

Humilhado e em casa....e a prova que este ano quem manda é outra pessoa que não a que se senta no banco,é eu ver Chalana com um discurso idêntico ao de Camacho,onde para ser o mesmo,bastava dizer "ay que salir a ganar"...como é possível sair duma goleada em casa e dizer-se "há dias assim,tivemos azar"..azar?azar porque a académica criou 6 situações de golo e dessas concretizou só 3 ?Não era suposto o Benfica impedir que a briosa criasse tantas ocasiões ? Enfim..o Chalana já em Getafe também tinha visto "coisas bonitas" (devia tar a ver algum jogo da premier league numa tvzita)..é um discurso programado por alguém,só pode...alguém que pretende branquear as más exibições,aligeirando a gravidade que se vive e lançando motes à Vieira "a equipa tem qualidade,ainda vamos a tempo de fazer coisas boas,temos confiança" coisas assim......
E depois os adeptos...que parece que estão envolvidos nesse conluío,insultam e criticam os outros que não toleram isto,que se indignam,que apoiam nas vitórias e derrotas,mas que se recusam a ficar de braços cruzados,impávidos,a assistir à chacina do Benfica em nome dum "temos de apoiar a equipa,é agora que mais precisam"...Meus jovens..os adeptos apoiam sempre a equipa..mas aqui,devem responder como assalariados que são,do clube que nos pertence de direito e ao qual entregamos as nossas economia..as coisas não andam simplesmente a correr-lhes mal,azar...isso foi com o Boavista,ontem..foi uma vergonha.
Ganhem vergonha na cara quando se chamam Benfiquistas e engolem isto..