domingo, 13 de março de 2011

Era uma vez um ídolo...

Quem me conhece sabe que considero o Nuno Gomes um ídolo, um símbolo do Benfica. Não é de hoje…

Recordo-me da sua estreia no clube dos axadrezados contra o MyPa 47. Teve uns míseros minutos em campo e marcou um golo… Desde esse dia que comentava com o meu pai que gostava de ver aquele cabeludo no Benfica. Na Páscoa de 1997, estava eu de férias no Brasil, quando me chegou a boa notícia: o Nuno Gomes tinha assinado pelo Benfica. Eu estava feliz, considerava que o Benfica tinha contratado um grande jogador. E apesar de poucos meses depois me ter dado a primeira tristeza no Jamor, o Nuno veio-me a dar razão… 3 épocas no Benfica sempre a marcar, onde apenas um fenómeno mais a norte o superava, e um fantástico Euro2000 na sua primeira grande competição internacional. Festejei o seu golo à França que nem um louco, mas fiquei também triste, pois soube naquele momento que o Nuno ia-nos deixar: era inevitável, por mais que ele reconhecesse que de facto estava bem em Lisboa.

Penei no ano seguinte ao sentir a falta do Nuno para fazer dupla com Van Hooijdonk: ainda hoje digo que teria sido portentoso. Mas o se não marca golos, e a história Nuno Gomes – Benfica só seria reatada em 2002…

Foi no jogo de apresentação dessa época, diante do Grémio, que se deu o regresso. Um regresso em apoteose, seguido duma lesão no tornozelo; infelizmente foi a primeira de muitas nesta sua segunda passagem pelo Benfica. No entanto, jogando mais ou menos, ainda deu para marcar mais uma centena de golos ao serviço do clube, com especial destaque para a época 2005/2006 onde uma entrada assassina de Sandro Gaúcho, já na recta final, ajudou a afastar o sonho europeu do Benfica, bem como o título de melhor marcador na carreira do Nuno. Mas o Nuno voltou, e mesmo jogando menos, continuou a marcar, tornando-se finalmente no justo Capitão do Benfica, no exemplo para quem chegava, na saudade para quem saía, e num dos mais carismáticos jogadores do Benfica no século XXI.

Esta é a última época do Nuno no Benfica, ele próprio o disse. É por isso que grito os seus golos mais do que os outros, nunca sei quando será o último. Hoje foi mais um. Mais um daquele homem que me permitiu levar o Saviola ao Hospital de D. Estefânia visitar uma criança, mais um daquele rapaz de 20 anos que chegou ao Benfica e se achava o dono do mundo e rapidamente se fez homem. Mais um do 21… Que não tenha sido o último, e que alcance os 400 jogos pelo Sport Lisboa e Benfica. Já faltam tão poucos…

Obrigado Nuno!

8 comentários:

DMC disse...

Joga Bonito,
Sou seguidor desde blog à bastante ainda que comentador activo só o seja à menos tempo, mas este post diz tudo e diz-me muito. Gosto muito do Nuno e acho-o terrivelmente injustiçado em muitas alturas. Sou capaz de me lembrar o quanto gritei com esse golo à França, e estava no estádio, no meio de muitos espanhois naquele golo no Euro 2004. Foi o golo que mais festejei em toda a minha vida, onde saltei saltei e saltei no meio de uma bancada de adversários. É um dos nossos, daqueles que nunca se esquece. Tenho pena que não jogue mais mas compreendo.
Se nos leres Nuno, um grande abraço de um benfiquista, e que saibas que jamais deixarás de estar presente.
Quantos aos golos.. :) acredito que virão mais!
cumps,
DMC

JNF disse...

Excelente estreia, Joga Bonito, concordo em absoluto com este post, e ainda acrescento uma coisa: os que afirmam que o Nuno não pode ou não deve ser titular porque o Benfica tem de pensar no futuro esquecem-se sempre do mesmo problema: antes do futuro, está o presente. E neste momento, Nuno Gomes tem valor mais que suficiente para ser alternativa a Cardozo e Saviola, como suplente.

Joga Bonito disse...

Ora aí está JNF. Pensar no futuro antes do presente é por a carroça à frente dos bois. E já agora, nao se valorizam jogadores sem vitórias!

Acorda, Benfica!

DMC, esse golo diante da Espanha tambem foi a loucura, é verdade, bem como muitos dos 164 marcados com o Manto Sagrado!

AG disse...

A minha vénia a este post e ao seu autor. O Nuno Gomes por direito próprio conquistou a sua imortalidade no Benfica.
Um senhor dentro e fora dos relvados... um exemplo.

Obrigado Nuno!

DMC disse...

É bem verdade joga bonito, muitos golos com o nosso emblema.
O comentário que mais vezes fiz ao Nuno com colegas sempre foi, com um avançado de qualidade ao lado o que ele não faria.. adorava vê-lo jogar em futebol apoiado com o Saviola e Aimar do lado. Que regalo!
Quanto ao valor, totalmente de acordo com o JNF..
cumps
DMC

Bimbosfera disse...

Grande texto, parabéns, sobretudo se foi estreia!
Por acaso sou dos que apoiam Jesus na não utilização tão frequente de Nuno Gomes, sobretudo por estar a fazer épocas fracas há uns anos, tirando eventualmente essa da lesão, ia com 15 golos, creio, no campeonato, e por aí ficou, salvo erro. No entanto, o argumento de que o presente tem que vir antes do futuro é bem válido e reconheço que posso ser por vezes injusto com o Nuno, de quem, diga-se, gosto muito! Acho, no entanto, que com Saviola e Cardozo, não lhes tira o lugar, mas verdade seja dita, se de vez em quando jogar no lugar de um deles, que ele faz bem, à sua maneira, a posição, não virá mal ao mundo, antes pelo contrário!
Grande abraço também caro Nuno, de um fã, ainda que apoie as decisões do nosso mister!

Abraço

Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

Bimbosfera.blogspot.com

Far(away) disse...

Será interessante perceber para onde vai o Nuno no próximo ano, já que ele confirmou que vai continuar a jogar.

Edu disse...

Excelente texto, arrepiante mesmo. O Nuno Gomes é uma referência, ficará para sempre nas minhas memórias a sua forma de jogar, as tabelinhas, a inteligência na forma como se posiciona em campo, muitos e grandes golos e a maneira como simplifica o futebol, tornando tudo mais fácil, quando alguns tendem em complicar.

Mesmo a maneira como o Nuno Gomes defende o Benfica, é única.
Obrigado capitão, por mais um momento. Espero que depois de abandonar o futebol, continue ligado ao Benfica.