domingo, 5 de junho de 2011

Deve o Benfica ir buscar um "Octávio Machado"?

Ultimamente algumas notícias têm vindo a público sobre a entrada na estrutura de futebol do Benfica, de algumas figuras, figuras essas que teriam a função de por um lado, impor mais disciplina junto do plantel principal e por outro, fossem capazes de blindar o balneário. É sabido que Rui Costa à partida seria a pessoa ideal para isso, mas a verdade é que o clube tem mostrado estar órfão de alguém que domine esses domínios. Que me lembre, desde a saída do polémico José Veiga, que se se sente essa necessidade.

Deve o Benfica então buscar alguém com esse perfil? Deve o clube procurar um Óctávio Machado para essas funções? Ou existe dentro da actual estrutura, gente capaz de desempenhar esse papel? Tenho que referir, que não seria contra, encontrar uma pessoa que soubesse impor respeito e transmitir a mística do clube junto dos jogadores, pelo contrário. Acho mesmo que é um dos défices dentro do organigrama desportivo do clube. Mas não me falem em "Octávios Machados"... nem essa pessoa terá que ser alguém com notoriedade dentro do panorama desportivo, basta que tenha o perfil adequado.

Aprofundando o assunto, parece-me evidente que alguns jogadores têm tido a corda muito solta, ou seja, fora de campo o seu profissionalismo não tem sido o mais correcto. Não vou falar em nomes, apontar o dedo a x ou y, mas falta de facto um polícia sinaleiro que diga o que eles podem fazer e o que devem evitar, que seja capaz de os controlar "amigavelmente", e que ao mesmo tempo possa saber quais as necessidades de cada futebolista, procurando manter o jogador feliz, pois um jogador feliz, é um jogador que poderá render mais. Não tenho dúvidas disso. O Benfica não pode correr o risco de automatizar futebolistas. São pessoas, com desejos, sentimentos e ambições como quaisquer outras.

Procurem essa pessoa, pois realmente precisamos dela.

9 comentários:

DracoSLB disse...

Acho que o Benfica tem é de arranjar um jogador para encerrar de vez o "síndrome Ramires"...e não é só o preenchimento do lugar que continua vago, é o efeito motivador para a nova época. Foi o que os lá de cima fizeram quando contrataram o anão, depois de terem feito uma época miserável! Esta deve ser a contartação chave se quisermos ser campeões!!

Ricardo disse...

Concordo que há essa necessidade, até para libertar Rui Costa para funções onde pode e deve fazer a diferença.

Mas nunca, NUNCA, Octávio Machado.

Mozer, por exemplo, seria uma excelente opção.

John Wakefield disse...

Concordo com o post. O Benfica precisa dum dirigente com o perfil disciplinador do Octávio Machado. Eu desconheço quais os jogadores que têm sido pouco profissionais (se é que existem) mas sei que não faltam maus exemplos, se tivermos em conta um passado mais recente.
As noitadas e outras coisas têm que acabar definitivamente.

Mesmo que os jogadores actuais sejam todos profissionais, continuo a defender a entrada do mesmo dirigente-tipo, pois basta um reforço mal acostumado para criar desestabilização e influenciar os outros a seguirem os seus hábitos pouco profissionais.
Por isso, espero que os dirigentes do Benfica tenham também em atenção os jogadores que se contratam. Não se pede só qualidade, mas sim profissionalismo e postura decente num atleta contratado. Não é dificil encontrar jogadores que tinham muita qualidade mas que o seu perfil problemático tramou-lhes a carreira e o clube que confiou nas suas capacidades!

Far(away) disse...

Draco essa lacuna que referes está mais do que identificada, cabe ao clube colmatá-la. O ano passado não o fez e custou-nos caro, ainda para mais com um Amorim encostado às boxes quase toda a época.

Ricardo, gostei do nome que avançaste, Mozer tem esse perfil, mas nesta altura, penso que o foco dele está na carreira de treinador. Mas o caminho é por aí.

Mentiroso disse...

Mozer, Álvaro Magalhães ou José Veiga têm perfil para a função. Octávio nunca seria consensual (Veiga também não é mas deixou obra no clube) para além de estar desfasado e sem pedalada para as exigências de um clube com a grandeza do Benfica.

Olho Gordo disse...

Já o tivemos antes na posição de Treinador Adjunto... Jaime Magalhães.

Manuel disse...

Olho Gordo, e porque não o André ou o Baia? Melhor ainda, o Paulinho Santos, esse é que era! Andrade por andrade... Só aquele sotaque à saloio levava os benfiquistas à loucura!

Olho Gordo disse...

Manuel, parto então do princípio que se tiver sotaque, não serve. Peço desculpa, então. Não estava a par do pré-requisito.

Já agora, em termo de estrutura, talvez não fosse assim tão mau ter alguém do Norte. É que ao menos com eles, a mensagem parece passar. Cá, a conversa parece ser outra.

Miguel disse...

Penso que o amigo Olho Gordo se estava a referir ao Álvaro Magalhães! Jaime não faria qualquer sentido...

Precisamos URGENTEMENTE de alguém para esse lugar. Urgentemente. É aí que se começa a blindar um balneário, e quando se blinda um balneário tem-se mais do que meio caminho andado.

Vou receber uma chuva de críticas, já sei: para mim, Veiga era a pessoa indicada. Não podendo ser ele, Mozer, tal como referiu o Ricardo, seria uma excelente opção, embora pessoalmente gostasse muito de o ver a treinador ou a adjunto, e não sei se ele estaria disposto a aceitar o cargo, também por ter estado conotado com o Movimento Benfica Vencer, e não ser do agrado do actual Presidente... mas para mim era a opção ideal depois do Veiga. Tem o perfil adequado. Álvaro (e não Jaime...) Magalhães também é um excelente nome.

Mas é imprescindível encontrar alguém. Rui Costa seria muito mais bem aproveitado noutras funções.

Com os inimigos que temos, com a comunicação social agressiva sempre à espera de "furar" o balneário, e com a fraca cabeça de muitos jogadores novos que chegam e se deixam deslumbrar pela noite de Lisboa e pelo dinheiro fácil, é fundamental termos quem os saiba e nos saiba proteger. Se na próxima época continuarmos com o mesmo director desportivo, receio que tudo fique na mesma relativamente a essa "política de balneário."

Saudações Benfiquistas