sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Porquê as segundas partes são tão más?

O que coincidiu nos últimos dois jogos do Benfica, Olhanense e Basileia, ambos na Luz? Os segundos quarenta e cinco minutos da equipa foram bem piores, quando comparados com os primeiros quarenta e cinco. Relembro que este "fenónemo" não é algo virgem nesta temporada... No início da época com o Gil Vicente e Twente, ambos os jogos fora da Luz, aconteceu precisamente o mesmo... porque então isso acontece? Quais as razões para o abaixamento de forma da primeira parte para a segunda? São várias... em primeiro lugar não me parece que a equipa esteja no seu melhor em termos físicos, são vários os jogadores que demonstram fatiga, como Gaitán ou Witsel... o nosso meio campo é engolido no segundo tempo pelo meio campo adversário... mas estará aqui a única explicação para tal eclipse? Nem de perto... Existe a dependência Aimar... O que isto significa? O argentino é o jogador mais fulcral para o desempenho da equipa, é ele quem gere os ritmos do jogo conforme aquilo que ela precisa, e quando não está num momento tão vibrante, sempre que por isso é substituído, a equipa ressente-se e practica um futebol ainda pior... aconteceu com o Gil Vicente, aconteceu com a Olhanense, aconteceu com o Basileia? Coincidência? Não me parece.

Existe forma de ultrapassar esta dependência de Aimar? Sim, mas Jesus não tem feito uso disso. Dentro do actual plantel existem soluções, desde logo Bruno César, mas onde tem jogado o brasileiro? Sob as alas... Rende o máximo do que pode nesse lugar? Não. Depois há David Simão... Porquê o jovem português não é opção mais vezes, redendo ora Witsel, ora Aimar? Tem qualidade a mais para ser apenas enfeite de natal. E falando de Witsel, sempre que Aimar sai... já deu para perceber ou não que o belga, apesar de ser um excelente jogador, não é um organizador de jogo, antes um jogador de ligação entre sectores? Jogar com ele a 10 é um erro senhor Jesus...

Outro ponto fundamental a abordar e face a indisponibilidade recente de Javi Garcia, é a ligação entre Nemanja Matic e Axel Witsel. Ela existe mas de forma muito rudimentar... os jogadores em si não se complementam, porque são ambos sobretudo jogadores de posse de bola... por vezes é ver Witsel perdido no campo, sem saber mais ou menos que espaço ocupar, e Matic por outro lado, fruto da sua inadaptação ao lugar de trinco, não fecha, não faz as dobras sem bola, que tão importantes são no esquema do Jesus. Reparem na forma como nasce o golo do Basileia, "esqueçam" se for possível, o erro de Maxi e perguntem-se porque o espaço onde caíu a bola está desocupado... Esperemos que Javi Garcia recupere a tempo de Braga, pois dará uma outra segurança defensiva à equipa. Todos estes aspectos que enumerei precisam a meu ver ser revistos e trabalhados. As vitórias têm escondido algumas insuficiências na equipa, não podemos descansar à sombra das recentes vitórias, coisas há que precisam ser melhoradas. A rever rapidamente.

11 comentários:

DeVante disse...

O nosso meio campo passou a fraquejar a partir do momento que o Jesus passou a preferir Bruno César a Nolito.

Estranho que o Bruno César passa imune por entre os pingos de chuva e a ele ninguém exige o pressing e as tarefas defensivas como fazem em relação a Gaitán...sendo que este último até defende mais que o brazuca...

Podem reparar que o Bruno, quando não tem a bola não marca ninguém, não pressiona ninguém e raramente corre...

paixaovermelha disse...

Já reparaste que tal como em Barcelos (2 foras de jogo mal tirados que deixavam jogadores isolados), contra o Twente (golo do empate do Twente em falta), contra a Olhanense (golo mal anulado ao Cardozo) e contra o Basileia (penalti roubado).

Já reparaste as coincidencias que existem nas 2ªs parte que não são tão bem conseguidas?
Não se esqueçam disso, porque para nós sermos prejudicados os rivais foram "empurrados". Isso também explica muito.

Anónimo disse...

os ultimos 3 jogos, em que jogamos mal, foi precisamente os jogos em que não jogou o javi... se calhar é por aí... se calhar, dispensar o airton, ou mesmo o nuno coelho foi um erro.

Anónimo disse...

Espantoso agora os bloggistas ja nao postam sobnre a equipa esperar pela segunda parte para correr... agora e porque se cansam na primeira. Paaaa... o problema cham-se esforco, e a sua gestao tambem faz parte do jogo. De volta e meia tens uma epoca como ha dois anos em que os jogadores correm o jgo todo como se fossem os primeiros 5 minutos, mas isso tem muito a ver com quem controla a amarelinha...

DeVante disse...

O Airton foi bem dispensado...

Rui Sérgio Guerra disse...

Boa tarde, "Far" e bloguistas,

É decisiva, logo fundamental, a questão que levantas. Regra geral, os jogos decidem-se nas 2as.partes e,… como diria “Monsieur De La Palisse,… os jogos acabam… só no seu fim!
A exemplo da história recente do n/ Futebol (últimos 20-30 anos), constatámos triste e recorrentemente essas “banalidades” já nesta época: Gil Vicente, B.-Mar, Olhanense, Basileia!

Afinal é essa mesmo, e claramente,… A IMAGEM DA VERDADE RECORRENTE DO N/ SLB NAS ÚLTIMAS 2 DÉCADAS – VITÓRIAS OCASIONAIS E SEM SUSTENTABILIDADE.

Na expectativa da tua aceitação, “Far”, proponho apenas torná-la um pouco mais redutora:
… “POR QUE MOTIVOS O N/ BENFICA GANHA TÃO POUCOS TÍTULOS NO FUTEBOL?”

Humildemente, apenas e só na convicção de sócio apaixonado e benfiquista incondicional, mas que mantém a racionalidade, permito-me RECORDAR OS FACTORES DE DECISÃO:

1- Factor de 1ª. Responsabilidade:

É NÍTIDA A FALTA DE LIDERANçA FORTE E DE QUALIDADE no Futebol do SLB!
NÃO HÁ 1 GESTOR C/ PODER EXECUTIVO… PARA SER EFICAZ (Ganhar! Ganhar!)…
E EFICIENTE (c/ bom espectáculo…, digno das quotas pagas e dos preços dos bilhetes)!
NINGUÉM PENSA O FUTEBOL…, EXIGINDO SEMPRE… RAçA, QUERER E AMBIçÃO!
NÃO HÁ QUEM DEFINA…E FAçA CUMPRIR…UMA CULTURA DE VITÓRIA… E TÍTULOS
DE FORMA SUSTENTADA!

Seja RC ou LFV, ou…“o raio que os parta a todos”, EXIJIMOS GARRA…E NÃO A VEMOS!
MERECEMOS DEDICAçÃO, AMBIçÃO E RESULTADOS… E A EFICÁCIA É… EPISÓDICA!

2- Factor de 2ª. Responsabilidade:

Uma "parede" que se chama Jorge Jesus!... Mais do que nunca,... autista, ridiculamente
arrogante, irresponsavelmente casmurro, incapaz de comunicação eficiente e motivadora à
equipa, vergonhosamente inculto e… “sem berço” para ter tacto humano!

Como isto é espectáculo, ou deveria ser,...QUE ESTE “MAU ENSAIO NA LUZ” PRENUNCIE…
… “ÓPTIMA ESTREIA NA PEDREIRA”… C/ CONT. NA LUZ face ao scp!

FORçA BENFICA!

Um abraço daqui da Palermo lusa,
RSG

xirico disse...

Pois eu penso que o Rubem Amorim é um médio defensivo enquanto que o Matic é um bom box to box.E o problema está no JJ e as suas adaptações.O Matic a jogar será no lugar de Witsel e nunca no de Javi.Para isso temos o Amorim.

Jotas disse...

São várias as questões pertinentes que lanças, eu próprio por vezes me questiono disso, mas uma coisa é certa quer se goste ou não, é Jorge Jesus que trabalha e sabe como está cada jogador em cada momento e eu pessoalmente confio imenso no seu trabalho, porque há mais de 20 anos que não via um Benfica tão forte e tão competitivo mesmo quando não ganha.

SLB4EVER disse...

Caro Far, acabei de deixar um post no mágico em que acabo por responder á pergunta, se houver tempo e interesse dá uma olhada, ñ gosto de repetir posts em blogs diferentes, é como se fizesse spam ou propaganda.

De qq modo:
A equipa reentra em campo como que desligada do jogo, só acorda e intranquila depois de sofrer o golo da praxe. Tb tem sido habitual baixar muito as linhas e ainda pior deixar muito espaço entre elas o que por consequencia leva a equipa a deixar de jogar como um bloco coeso e a conseguir ligar o jogo.
Aimar muito avançado ñ recua qd é necessário transportar o jogo a partir da defesa, isto resulta em circulação de bola no meio campo defensivo qd devia ser ser feito no meio campo contrário e depois no habitual chutão para a frente a ver no que dá. Não sei como tantos anos depois volta-se a isto pq ñ é nada de novo, Aimar nestas transições tem que recuar para construir e abrir espaços e linhas de passe, é raro o futebol da equipa sair a ganhar qd ele fica á espera da bola lá a frente assim como é um desperdício ele ter que correr atrás dos centrais adversários qd só está ele o o Avançado para fazer essa pressão.
Sai Aimar e regressa o 442 sem 10, que resulta em um futebol feio e ineficaz, com o Gaitán, César e D.Simão não encontro motivo para deixar o meio campo sem maestro e jogar um futebol directo que não resulta.
Quando o adversário ajusta o seu jogo ao nosso e melhora a equipa técnica continua a não mudar nada, nem posicionamento em campo, nem substituições que resultem em voltar a ter um domínio absuluto do jogo, continua-se a não saber reagir ás incidencias das partidas, nem a ler o jogo como aconteceu na obtusa subsituição L.Martins/M.Vítor.
O Nolito que estava a mostrar veia goleadora e uma agressividade benéfica para a equipa é encostado para o César passar a fazer 3 jogos a titular por semana. O que aconteceu á rotação que até então deu frutos entre Nolito/César/Gaitan? Ainda se torna mais duvidoso qd se vê o mau estado fisico do César e em especial do Gaitán no último jogo.
Witsel inexplicavelmente caiu a pique, com o Amorim e o D.Simão era bom fazer-lhe ver que não existem lugares cativos nem vacas sagradas(ou será que existem?), se calhar podia ficar alguns momentos a ver estes a jogar para refrescar as ideias.
Existem jogadores que não estão a ser usados que a entrar vão comer a relva e mostrar serviço, no entanto desmotiva-se jogadores para eles entrarem a passo. Qd se diz que se conta com todo o plantel é necessário confirmar isso nas convocatórios e nas escolhas para o 11 inicial e banco. D. Simão e Oliveira são mais valias e começa a ser tempo de terem alguns minutos ou no mínimo de se sentarem no banco.
Por último começa a ser evidente que o mestre não abdica de ideias decrépitas que não são benéficas para a equipa, apenas as tem andando a disfarçar, agora numa fase complicada e de extrema importancia volta á carga, ñ sei o que isto vai dar mas ñ me deixa confiante.

Em relação ao teu comentário subscrevo na integra.

Rui Sérgio Guerra disse...

Boa tarde, "Far" e bloguistas,

Quanto a jogadores, a m/ análise qualitativa é:

EXCELENTES: Artur, Luisão, Garay, Javi Garcia, Aimar, Witsel, Gaitán e Rodrigo
BONS : Eduardo, Mika, Maxi, D.Simão, Saviola, Nolito, B.César, Cardozo e N.Oliveira
MEDIANOS : Ruben Amorim, Miguel Vítor, Jardel, Emerson, Matic
DÚVIDAS : Capdevila, Enzo Pérez, Luis Martins, Rodrigo Mora.

Análise funcional nas “posições”:

GR: Estamos ok; 1 titular (Artur), 1 opção “madura” (Eduardo) e 1 jovem c/ mto potencial (Mika)
DLat: Maxi é titular (grande profissional, mas sem velocidade nem qualidade p/a titular no SLB)
R.Amorim fala… mas não se impõe! É alternativa… apenas “sofrível”.
Face à ostracização de JJ a Capdevila e c/o não há nenhuma opção de real qualidade,
reitero que…o n/ DE deveria ser…D.Simão (classe, velocidade, raça e alma benfiquista).
Médios: Falta-nos 1 Extr°.Dt° p/a titular (E.Pérez?) e treinar Nolito c/o Extr°.Esq° “a ir à linha”!
Matic não convence; Nuno Coelho tem mais qualidade, é mto + rápido… e português!
Não há opção à classe de Aimar, c/o “10”, pois JJ não valoriza B.César nem D.Simão.
Witsel deve jogar a 8, tipo box-to-box; tem classe, dinâmica e excelente visão de jogo.
Gaitán está…”híbrido” a médio-ala… e c/ uma displicência recorrente e vergonhosa!
Avanç.: Rodrigo é o único c/ classe pura. Sonho c/ a dupla c/ N.Oliveira, que bem o merecia.
Cardozo não me convence; é claramente 1 matador, mas não + que 1 bom suplente.
Saviola está “finito”; sistematicamente lento e complicativo.
Creio que continua a faltar-nos um “9” de grande poderio no jogo aéreo e ambidextro.

FORçA BENFICA!

Um abraço daqui da Palermo lusa,
RSG

CP disse...

Concordo com a observação, mas acrescento que a falta de atitude por parte da maior parte dos jogadores também ajuda a explicar a grande moleza que tem sido evidente na 2ª parte de quase todos os jogos desta época. Começa a referência às dispensas e neste domínio volta à baila o nome de Urreta, sabendo-se que Enzo Perez já vinha da Argentina com problemas físicos, quase preso por arames como se diz na gíria.
Bater no JJ desta época parece-me um tanto ou quanto injusto, já que, creio, tem demonstrado a mesma ambição de há dois anos e não o amorfismo da época passada. Para mais sabendo ele que está no fio da navalha. Há quem refira que ele está a preparar o terreno para aproveitar o desnorte "Vitor Pereira" e rumar até à tripeirada, onde os títulos aparecem "que nem ginjas". Mas seguir esse raciocínio será entrar numa pretensa "teoria da conspiração".
Da equipa, espero um comportamento de raça nos próximos jogos. Avizinham-se embates difíceis, acrescidos de viagens - Manchester e Marítimo - que acabam sempre por ser desgastantes. É preciso Javi Garcia e mais atitude por parte de todos. Muita atitude. Caso se apanhem a ganhar e entrem na habitual moleza, por certo que não conseguirão os necessários três pontos. Por isso, CARREGA BENFICA!