quarta-feira, 11 de junho de 2008

Considerações sobre Scolari

Scolari, goste-se ou não do estilo, é um treinador polémico que tem obtido resultados muito satisfatórios por onde tem passado. Conseguiu unir um Brasil fragmentado em 2002 levando-o à conquista da "Copa" do Mundo e conseguiu aproveitar a matéria prima portuguesa, arrecadando um vice-campeonato europeu e umas meias-finais de um Mundial. No entanto, não é só no plano desportivo propriamente dito que Felipão se destaca.

Scolari também sabe ser polémico durante as grandes competições. Vejamos os quatro casos seguintes:

1. Durante o Europeu 2004, muito se falou sobre a (não) renovação do contrato de Scolari. Para onde iria? Ficaria com a selecção ou sairia para um grande clube europeu? O Benfica, efectivamente, tentou adquirir os serviços do Sargentão, mas assim que alguém relativamente próximo do nosso clube deu com a boca no trombone espalhando a notícia pelos jornais desportivos, Scolari, obviamente irritado, recusou-se a assinar pelo nosso clube, sendo que compreendi a sua posição. Hoje, quatro anos depois, agradeço a essa tal pessoa, pois em vez de Scolari veio il Trap e fomos campeões.

2. Durante o Mundial 2006, mais uma cena Scolariana. Desta vez foi o interesse inglês que surgiu. Muito se falou, muito se especulou, mas o brasileiro acabou por dizer que não. Ficava por mais dois anos em Portugal a apanhar Sol, trabalhar pouco e fazer anúncios à Caixa.

3. Uma das novelas do momento: Manchester-Ronaldo-RealMadrid. Este trio ainda vai dar muito que falar. O madeirense, esse desbocado, quis provar ao Mundo a sua falta de neurónios ao dizer que queria sair do Manchester (ou Manster, para alguns) e jogar em Madrid. Scolari, mais uma vez muito bem, disse que não queria misturas entre os clubes e a selecção. Para ele, os atletas, só estavam ali para trabalhar. É isso mesmo, Felipão: para já dou-te 3 em 3.

4. Aqui é que a situação descamba: Scolari sempre conseguiu colocar os interesses da selecção em primeiro lugar. Aí, tiro-lhe o chapéu. O problema é a notícia de hoje: o Chelsea, através do seu site anuncia a contratação do seleccionador português que começará já a trabalhar a partir de Julho. Esta notícia, para além de poder desestabilizar a equipa de todos nós, prova uma tremenda incoerência daquilo que Felipão sempre defendeu. Pela primeira vez, Scolari é ultrapassado pelos clubes. E agora, o que é que o Sargentão vai fazer? E melhor, quem será o novo seleccionador? Querem ver que vai ser o indivíduo que mencionei discretamente acima?

3 comentários:

Filipe disse...

O Filipão é um homem que beneficia o espírito de grupo. Ele entende que o essencial para se jogar neste tipo de competições curtas é um grupo unido e receptivo à sua lavagem cerebral. Ele prefere isto em detrimento de um melhor momento de forma por parte deste ou daquele atleta e é aí que não concordo com ele, pois se ele escolhe um grupo de 23 atletas, que no entender dele não vão causar problemas de disciplina e vão ser unidos, qual seria o problema de haver trocas no onze dentro desses jogadores convocados?

dezazucr disse...

quem? o Trap? acho q começou como seleccionador de uma paisito qualquer este mês. Logo não me parece.

JNF disse...

Dezazucr, não me estava a referir ao Trap.