domingo, 9 de novembro de 2008

Outra vez Queiroz

Em Julho deste ano, a Federação Portuguesa de Futebol apontou Carlos Queiroz para seleccionador nacional com o intuito de reformar o futebol português e desenvolve-lo logo a partir das camadas jovens.

Como seria de esperar, Queiroz, como bom funcionário tuga que é, e para mostrar ao povo que afinal até trabalha, mandou chamar a SIC para mostrar como é um dia normal de trabalho do professor. Esta estação televisiva só pode ter uma simpatia tremenda pelo ex-adjunto de Fergunson, uma vez que passa demasiado tempo a falar desta personagem: quem não se lembra de ouvir o Nuno Luz, repórter da SIC, dizer que Carlos Queiroz estava dentro do Estádio da Luz e já teria fechado o acordo com o SL Benfica para ser treinador principal quando, na realidade, o treinador do Benfica apresentado nessa mesma tarde seria... Fernando Santos? Incrível, não é?

Mas, como disse no primeiro parágrafo, Queiroz veio para revolucionar o futebol português, a partir das camadas jovens. O que é que será que isso pressupõe? Observação directa dos jogos? Escolher os jovens jogadores? Ou será que significa naturalizar mais brasileiros?

O próprio já admitiu não te quaisquer "reservas morais" em naturalizar Liedson e Paulo Assunção. Eu, e boa parte dos portugueses, também já percebemos que CQ não tem quaisquer "reservas mentais", o que ficou provado pelos últimos jogos da selecção. Perante um seleccionador que vem reformar o futebol português logo a partir dos escalões mais jovens e que de repente decide dar continuidade à naturalização de brasileiros frustrados por não jogarem pelo seu país, o que é que uma pessoa há-de pensar?

4 comentários:

Avô Maltine disse...

Inacreditável:

Teófilo Santiago, 52 anos de idade, 25 de carreira. Destemido, teimoso e emotivo. Uma figura incontornável da Polícia Judiciária, um dos quadros com mais provas dadas na investigação. Conta a experiência de ser demitido após fazer parte da direcção que desencadeou o Apito Dourado e defende que só a Judiciária deve fazer investigação criminal.

http://www.correiodamanha.pt/noticia.aspx?contentid=9B65E676-B638-4AA1-A69B-7ECCCDFA31C9&channelid=00000019-0000-0000-0000-000000000019

1- " Não houve confusão, foi tudo muito claro. Em Junho de 2004, quando fomos demitidos [http://dossiers.publico.pt/noticia.aspx?idCanal=1296&id=1195405], foi a primeira vez que, de forma explícita, houve um ataque brutal à integridade da investigação. Feito de forma soez, feia e cobarde. "

2 -" alguém terá entrado em pânico ao não saber o que lá estava. E essa necessidade tornou-se uma necessidade imensa. Nunca me tinha acontecido, que alguém quisesse saber o que estava no processo. Foi a primeira vez e estive envolvido em investigações de melindre. Nunca, por nunca, tinha havido essa quebra de respeito pela integridade da investigação.
"

Sir disse...

Da reportagem, destaco a brilhante tirada: "a máquina de café não funciona sem café". Parecendo que não, diz tudo ;)

Remate Cruzado disse...

Chamo a atenção porque pode acontecer ao Benfica. Falo do sporting-porto da taça. Jogo dois terços dominado pelo sporting, um terço pelo porto. Jogo com erros graves para ambos os lados, na arbitragem.

Mas a chamada de atenção é outra - é a maneira como helton defende os penalties, completamente em falta. Diz a regra que o guarda redes não pode avançar em relação à linha de golo antes da bola partir.

Helton avança um metro / metro e meio, aumentando exponencialmente a probabilidade de defender. não é a primeira vez que o helton o faz. E sabem que a regra existe.

Não estou a falar de corrupções nem de ajudas intencionais do árbitro. Apenas da chico-espertice de um jogador. É que contra o schalke o ano passado o helton fez o mesmo. E isto pode acontecer ao Benfica. Por isso, se acontecer, o capitão do Benfica deve avisar o áribtro para não esquecer as regras...

JNF disse...

É bem verdade, Remate Cruzado. Ainda ontem comentei isso mesmo com uns amigos. Vai já aparecer no post a seguir.