quarta-feira, 27 de abril de 2011

Eu continuo a acarditar em Jesus!

Antes de mais, é importante para mim referir que aquilo que me move é o amor ao Benfica e não defender x ou y. Jesus, Vieira, Aimar, para mim, o que os distingue são as suas acções, os seus comportamentos e o que fazem em prol do Benfica. Critico ou elogio consoante a avaliação que faço do trabalho por eles realizado e não por casmurrices ou embirrações pessoais.

Posto isto, tenho lido, quer na blogosfera quer em fóruns do nosso Benfica, alguma descrença no Jesus. Já sabemos que, no futebol, rapidamente se passa de bestial a besta e vice-versa. Não é nada de novo, mas, mesmo assim, choca-me algumas insinuações que circulam, sobre o nosso técnico. Não escondo a ninguém que as derrotas com o porto me irão ficar marcadas para sempre e nem uma possível vitória na Liga Europa poderia servir para compensar tal dor, por muita felicidade que esta me possa, eventualmente, proporcionar. Mas também recordo que muitos diziam, antes da chegada de Jesus, que os problemas do Benfica eram estruturais e que nem o Mourinho nos salvava com esta direcção. No seu primeiro ano, Jesus colocou o Benfica a jogar como até então apenas tinha sonhado e, mesmo assim, o Benfica só conseguiu a conquista do campeonato, na última jornada, com uma temporada marcada de casos.

Já sabemos o que a casa gasta, já sabemos como os dirigentes do porto fazem as coisas funcionar, já sabemos que os nossos também compactuam com os valentins loureiros e os fernandos gomes desta vida e, assim sendo, consentem e contribuem para tais situações. Por isso, apenas me vou focar no trabalho do Jesus e em eliminar alguns mitos que se foram criando sobre o nosso treinador e que me parecem ser tremendamente injustos. Faço-o na pior altura, na pior fase de Jesus, de águia ao peito mas com a convicção que, a partir de agora, depois da tempestade, venha a bonança.

Mito 1 – Jesus joga sempre com o mesmo sistema táctico e não estuda os adversários.

Desde já, considero que se mistura estratégias, filosofias de jogo e sistemas tácticos, tudo no mesmo saco, o que me parece ser errado. Métodos ou filosofias de jogo, “o como jogar” na perspectiva de cada treinador é algo que deve ser definido no princípio e não deve ser alterado. E falo no tipo de pressão que se deve exercer, no tipo de passe, de marcação, enfim, as funções individuais que cada jogador deve ter bem incutidas, de acordo com as ideias do treinador e as próprias características dos mesmos. Bem diferente disto, são os sistemas tácticos e que podem ser alterados. No caso do Benfica, o sistema táctico base é o 4-1-3-2. Existem treinadores que optam por ter dois ou mais sistemas, isto é, o plano “B”. Já o nosso mister opta por mudar o sistema durante o próprio jogo, consoante o adversário, de acordo com a estratégia estudada e encontrada para se tentar explorar os pontos fracos dos opositores. Por exemplo, no inicio da temporada, o Benfica jogava, em vários momentos, num 4-4-1-1, sendo que o Saviola descaía para uma das alas (preferencialmente a esquerda) para tentar promover os desequilíbrios que os extremos não conseguiam dar, pois ainda estavam atrasados nas suas adaptações ao clube. Já vi o Benfica em 4-3-1-2, adiantando Aimar e tirando-lhe as tarefas de organizar o jogo, enquanto Gaitán e Salvio fechavam mais o meio campo. E já jogámos, várias vezes, em 4-2-3-1, com Airton/Peixoto/Martins ou mesmo o Aimar ao lado do Javi. Também já jogámos em 4-4-2 clássico, como aconteceu frente ao Lyon, em casa.

Quanto ao estudar os adversários e para quem leu o estudo que realizei ao psv, só pode mesmo se rir com tais afirmações. É, portanto falso, a meu ver, dizer-se que o Benfica de Jesus joga sempre com o mesmo sistema táctico ou que não estuda os adversários.

Mito 2 – O Jesus teve o plantel que quis e contratações.

Lembro-me bem de tentarem fazer passar esta ideia, quando a época começou logo a correr mal. Mas, azar do caraças, ainda me lembro melhor, até pelas expectativas que criei, das declarações e entrevistas dadas pelo Jorge Jesus. Quem se conseguir recordar da sua participação no Trio de Ataque, das entrevistas dadas aos jornais desportivos ou mesmo da entrevista do Presidente Luís Filipe Vieira à Benfica TV, prometendo um substituto para o Ramires em dois dias, facilmente descobre que é mentira que Jesus tenha tido o plantel que quis. Aqui fica um auxiliar de memória.:

23 de Maio 2010: "...Desde que cheguei ao Benfica todas as contratações que temos feito é aposta em jovens, miúdos entre os 20/22 anos… Mas já disse ao presidente que temos de ter atenção: Parece que estamos a contratar uma equipa de juniores. É um risco, apostar em jogadores que ainda não se afirmaram, que têm valor, mas que só os mais atrevidos é que os ao buscar, porque há sempre a dúvida sobre se depois rendem ou não. Mas o Benfica tem de começar a contratar jogadores como fez na época passada com o Saviola e o Javi García..."

http://benfica73.blogs.sapo.pt/68570.html

Foram prometidos jogadores feitos para se substituírem titulares que pudessem vir a sair por propostas irrecusáveis. Jogadores já com provas dadas na Europa mas que eventualmente estivessem a passar por uma má fase, o que facilitaria a aquisição dos mesmos, como os exemplos de Reyes, Suazo, Miccoli, Aimar, Saviola. Por isso Jesus deixou sair Yebda, Urreta pois, provavelmente, contaria com as promessas do nosso presidente, ficando à espera do substituto do Ramires e do Di Maria... que não apareceram.

O ano passado o Benfica tinha Ramires e Rúben Amorim para o flanco direito, jogadores que equilibravam a equipa e ficou esta época toda só com Salvio, sendo que, em Janeiro e após nova lesão do Amorim, tivemos oportunidade de rectificar e fomos buscar um "extremo" esquerdo, chamado Fernández.

Mito 3 – Jorge Jesus inventa muito.

Todos os treinadores inventam, percebam isso, por favor. Inventar faz parte desta profissão. Mas o que considero ser mais engraçado, é pedir-se para o Jesus não inventar e depois falar-se em Coentrão a defesa esquerdo, Amorim na direita, Aimar ou Peixoto ao lado do Javi. Ora, isso são tudo invenções do Jesus, mas como o pessoal gostou, já as considera normais. Inventar, principalmente quando não temos Amorim e Salvio, quando temos tido tantas lesões, é comum e legítimo. Foi perfeitamente compreensível colocar-se o Jara na ala, porque nenhum outro conseguiria dar a mesma profundidade e velocidade, à excepção de Coentrão.

É, então, importante que se compreenda que um treinador é obrigado a inventar sempre que não dispõe de alternativas válidas.

Mito 4 – Forma física dos jogadores.

Se existe coisa que me parece ser controlada no Benfica, é a forma física dos jogadores. Porquê? Porque o Benfica dispõe do LORD, que nos garante dados precisos e preciosos. Aceito e concordo com as críticas da rotatividade, pois também a mim me parecem um tanto exageradas e de 8 ou 80, mas a verdade é que quando os índices de motivação se encontram elevados, os jogadores superam as dores, pois sabem que falta pouco para se triunfar. Mas ao contrário, é o psicológico a dar cabo dos índices físicos. Já o disse várias vezes e cada vez mais penso assim. Em alguns casos é preferível um jogador menos dotado tecnicamente mas que seja inabalável em termos de confiança, do que muitos dos jogadores talentosos, mas que depois são muito instáveis em termos psicológicos. A equipa não está de rastos fisicamente mas sim mentalmente.

Mito 5 – Jesus a fazer panelinha para ir para o porto.

Não o vou comentar. Simplesmente porque tenho vergonha na cara e não sou ingrato. Jesus teve oportunidades para ir lá parar. Não foi, independentemente de a história não ser um conto de fadas, está cá e nem me passa pela cabeça acreditar em tais cenários ridículos. Jesus pode não ser do Benfica mas adora vencer e é um excelente profissional. Isso basta-me.

Enfim, já vai longo o texto, havia mais a dizer mas resumo a isto. Demorámos 20 anos para acertar em dois treinadores: Trapattoni e Jorge Jesus. Correr com este, como fizemos com o Trapattoni, para se ir buscar um Koeman, Quique Flores ou alguém semelhante, não me parece ser o caminho certo. Principalmente porque o principal problema é não termos uma estrutura forte, principalmente quando o grande culpado delega as culpas nos outros e tapa o sol com a peneira aos sócios, com novos ciclos, novas promessas, novos jogadores, treinadores. Quando esse é o culpado pelos erros cometidos e por não ter delegado a pasta do futebol a quem de direito. Eu não tenho palas nos olhos, gosto de argumentar e nunca tive problemas em dar a mão à palmatória. Já inúmeras vezes o fiz, dentro e fora deste mundo virtual, já assumi erros, relembrei erros por mim ditos ou cometidos, sem que me tenha caído alguma coisa.

Nunca fui o senhor da razão e, se defendo o Jesus com unhas e dentes, é por acreditar que este é o melhor para o Benfica. Já o fiz no passado com o Vieira, por exemplo e souberam-me provar e explicar o porquê de estar errado. Sou uma pessoa fácil de relacionar e de conversar, por várias razões: Não acredito em verdades absolutas, gosto de ouvir, gosto de argumentar e desenvolver os temas, procurando ter informação e conhecimentos para me basear nas minhas convicções e não só porque sim. Gosto muito de pensar pela minha própria cabeça e não sou facilmente influenciável. E, de inicio, gosto de tratar todos por igual.

Isto tudo para pedir ao caro leitor que faça o seu julgamento à vontade, mas que não crie juízos de valor sobre a minha pessoa. Se quero o sucesso de Jesus, é por acreditar que, com ele, o Benfica também terá o sucesso que merece. E pode começar com a conquista de um título europeu. Mas, para isso, é preciso vencer já amanhã. Não existe outro caminho e dos fracos não reza a história.

Vamos Benfica, eu Acardito!

19 comentários:

Carlos Alberto disse...

Excelente post.

Anónimo disse...

Parabéns pela lucidez.

John Wakefield disse...

Bom post Edu. Eu também acardito (xD)

1- Esse mito do JJ estar feito com o pintinho é das coisas mais ridículas que já ouvi dizer. É mesmo típico de adeptos que parece que adoram colocar o clube na anarquia.

2- Na minha opinião, o JJ é o melhor treinador do Benfica desde Eriksson. E digo desde já que estou farto de ter 1 treinador por cada ano (Camacho, Trapattoni, Koeman, Fernando Santos e Quique - 5 treinadores para 5 anos). Vamos acabar com o cemitério de treinadores e jogadores, pois cada técnico transporta consigo uma filosofia de jogo o que implica novas mexidas no plantel.

3- Por fim, a única crítica que aponto à equipa técnica é a seguinte - Como é que os jogadores podem estar de rastos nesta altura do campeonato, quando até houve rotação para os jogos do campeonato? Gaitán, Martins e Peixoto estão de rastos. Saviola e Cardozo parecem também estar longe do ritmo físico recomendado. Enfim... isso é que nunca consigo perceber. Já no ano passado em Liverpool, foi a mesma coisa...

Anónimo disse...

os BENFIQUISTAS acreditam no JJ SEMPRE jj contra tudo e contra todos ....

Viva o Benfica força JJ vamos a eles vamos a vitória que só assim os avençados os abutres se metem nas covas ...

FORÇA JORJE JESUS ..
FORÇA BENFICAAAA.
FORÇA JJ FORÇA BENFICAAAAAAAAAAAAA

PM disse...

Brilhante, assino por baixo.
Jesus foi o melhor treinador dos ultimos 20 anos e há benfiquistas que o querem despedir, enfim devem ser os mesmo que achavam que o Koeman, ou o Quique é que são bons.
Aconteça o que acontecer Jesus deve ficar e por muitos anos.

Olho Gordo disse...

Contra os Aprendizes,
MARCAR! MARCAAAAAAAR!

BENFICA SEMPRE!!!

CAP CRÉUS disse...

Amanhã só quero ganhar pá! Quero o Benfica na porra da final!
Sejam humildes e demonstrem garra!
Carrega!

Anónimo disse...

Para mim o melhor foi mesmo o Trap. Vencer um campeonato com aquele plantel foi incrivel!

Quanto ao texto... Nessa situações todas é altamente improvável que o JJ esteja inocente de tudo (da mesma fora é também improvavel que seja o culpado).

Em 1º Lugar o Urreta tinha lugar no plantel. Lembro-te que no inicio da época nao tinhamos o Carole, logo o Peixoto era uma altenativa ao Coentrão. Só faltava mesmo uma alternativa ao Gaitan.

Roderick (ainda) não tem lugar no Benfica. Talvez não tenha até lugar numa equipa da 1ª liga! Que mal tinha em empresta-lo a uma da 2ª? Miguel Vitor deveria ter ficado no plantel no lugar dele. Acabava por ser também uma alternativa melhor que o Luis Filipe ao Maxi.

Roberto... Um dos maiores erros da história do glorioso! Para mim saia no final da época (por emprestimo) e contratavamos o Artur ao Braga (a custo 0). Julio Cesar também pode ir embora. Moreira, Artur e um sub-19 em caso de alguma lesão nos outros dois eram suficientes.

Quanto ao inventar dou-te razão! Foi uma invenção que fez dum extremo banal um defesa-lateral de classe mundial. Mas, contra o Porto a vencer por 2-0 não precisavamos de poder de explosão nenhum! Com Aimar de inicio em vez do Jara e o Martins a fechar mais na direita tinhamos um meio-campo com o dobro da capacidade de ter a bola. Era o que nos bastava, não deixar o porto ter a bola. esta não lhe perdou-o! Quis ganhar o jogo e acabou por perder a taça!

RGC

Socio slb nº 218219 disse...

muito bom! obrigado e amanhã que tenhamos o benfica europeu, o melhor da presente época!

Papoila calmante disse...

Bom Post Edu... é acreditar até ao fim e que os nossos rapazes nos encham de orgulho.

Nuno@ disse...

Um artigo bem lúcido, que vai de encontro ao que eu penso. JJ é um excelente treinador, o melhor de à muitos anos para cá, comete erros, certamente que sim pois é humano, mas é suficientemente capaz para dar muitas alegrias ao Benfica.

Faltou sem dúvida substituírem devidamente o Ramires e, erro crasso, venderem David Luiz foi um sinal de fraqueza.

Para concluir, se Rui Costa nos trouxe Aimar, Reyes, Suazo, Javi e Saviola, porque foi ele "apagado" este ano das contratações. Há, já sei!!!

Sede de protagonismo do Orelhas!!!

Força Benfica, rumo a Dublin!!!

João Maia disse...

Koeman foi um grande treinador que esteve no Benfica. Por favor não me digam essas coisas dele. Se for preciso discutir sobre isso, discutimos. Mas que não se ponha Koeman no mesmo saco do quique!

Anónimo disse...

«O Benfica venceu seis títulos nos últimos 17 anos, eu conquistei três em menos de dois» JJ

chefe disse...

Concordo com a generalidade do post. Mas não considero que seja mito o ponto 1. Durante o jogo é verdade que as movimentações dos jogadores dão origem a outras formações tácticas, mas isso não basta para dizer que se muda a formação. De facto JJ utiliza o 4-1-3-2, mudando nos jogos que considera mais dificeis para um 4-4-2. Mas a verdade é que tem sido notório que não chega. Não conseguimos, como não conseguimos o ano passado, controlar jogos, pausar o ritmo a nosso gosto, jogar seguro e não no risco, etc. Isso contra equipas melhores é fatal e tem sido fatal. O ano passado e ainda mais este, por causa por exemplo do Mito2. Resumindo, é algo intrinseco ao JJ. Quanto ao Mito4, é uma meia verdade, porque de facto o psicologico ajuda o fisico e vice-versa. Mas não é tudo. O que me parece um facto, é que pela forma de jogar da equipa esta rebenta fisicamente facilmente.

JNF disse...

Excelente post, Edu.

Filipe disse...

Objectivos para a época

.Renovar o título - falhado com laivos de humilhação.
.Vencer a Taça - falhado com laivos de humilhação
.Passar a fase de grupos da CL - falhado com laivos de humilhação
.Vencer a taça da cerveja - conseguido

Eu chamo a isto um fracasso. Levamos até agora 13 derrotas, 55 golos em 27 jogos no campeonato onde devemos acabar com média de pontos por jogo inferior à do Fernando Santos.

Comparar o Jesus com os que vieram antes não faz sentido. Nenhum outro treinador teve tantos recursos à disposição. Koeman teve de haver-se com Betos e Ricardos Rochas e conseguiu vencer um Liverpool superior àquele que nos goleou, além de ter conseguido impôr algum respeito ao Barça. Eu nem imagino o que nos espera se defrontarmos Barça ou Real Madrid com o JJ.

Vermelhusco disse...

Grande post. JJ é o melhor treinador do Benfica desde 93/94 juntamente com Trap.

E o que mencionou na última conferência de imprensa devia estar bem presente na mente de todos: ganhou metade dos títulos do Benfica desde 93/94.

Pedro Veloso disse...

Excelente - lúcido e sem radicalismos, é o que se quer.

JNF disse...

Filipe,

quanto às comparações com outros treinadores, acho que há aí muitos erros de análise. O meio-campo de Fernando Santos era muito superior a este. Enquanto Jesus tem Javi, Salvio, Gaitán e Aimar, Santos tinha Petit, Katsouranis, Karagounis, Simão e Rui Costa. O meio-campo do engeneiro era mais constante, mais homogéneo e sabia ter bola. Na defesa e na baliza as diferenças de qualidade não são assim tão notórias, apesar de melhores laterais, o actual Benfica não tem um central de qualidade indiscutível para fazer par com Luisão, como tinha Koeman (Anderson) e Santos (Rocha). Os avançados do actual plantel têm mais nome mas oscilam muito em termos de qualidade exibicional. E mesmo em termos de golos... nessas épocas de Koeman e Santos, Nuno Gomes marcou 21 golos no campeonato. Quantos marcou Saviola nestas duas épocas? 20...