segunda-feira, 12 de março de 2012

Uma questão interessante

Atentem neste post.

O Benfica tem a melhor linha defensiva do campeonato nacional. Artur está ao nível de Hélton, o outro grande guarda-redes do campeonato, sendo superior a qualquer outro. Maxi é indiscutivelmente o melhor defesa direito da prova. Luisão e Garay também são, a meu ver, os melhores centrais. Não só se complementam como também são a nível individual os dois melhores. Emerson não é um dos três melhores do campeonato na sua posição (e até estou a ser muito lisonjeiro), mas não é por ele que o Benfica deixa de ter a melhor defesa da competição. Javi e Witsel constituem a melhor dupla de médios-centro a actuar em Portugal. Posto isto, por que motivo sofre o Benfica tantos golos?

Ontem vimos porquê. O Benfica defende mal. Não basta ter o melhor conjunto de individualidades, têm de ser trabalhadas. Há dois momentos do jogo em que o Benfica defende particularmente mal: em (des)organização defensiva com especial destaque para a transição ataque-defesa, os nossos jogadores são demasiadas vezes apanhados em contrapé. Vimos ontem o golo de Michel, foi numa dessas jogadas em que a equipa se balanceia loucamente para o ataque e deixa a defesa completamente desguarnecida. Tal como aconteceu no golo de James Rodriguez. O outro momento do jogo são as bolas paradas defensivas, onde a marcação zonal efectuada deixa muito a desejar. Na Mata Real, tal como em Guimarães ou em tantos outros jogos, revelámos debilidades nos lances de bola parada defensivos. Dos 20 golos sofridos nesta época para a Liga, lembram-se de algum que tenha sido fruto de uma jogada de ataque organizado do adversário? Estando eu longe de ser um catedrático da bola, pergunto-me porque não fazer uma marcação mista (à zona e homem-a-homem a alguns jogadores)? Fica a opinião e a pergunta.

P.S. O nosso escriba PB decidiu criar um projecto próprio e assim fundou o seu blog, o Catedráticos. Obrigado pela colaboração com o Eterno Benfica e boa sorte para o novo projecto.

9 comentários:

Anónimo disse...

Na minha opinião, a presença do Emerson desiquilibra a esquipa. O Garay é defesa central e defesa esquerdo, Luisão fecha e Maxi ñem por isso. Fica o buraco no meio.

Outra situação tem a ver com os amarelos que o Javi leva muito cedo. Amarelado, deixa de fazer pressão/faltas, que matavam o contra ataque adversário ainda em zonas longe da baliza. Ontem foi gritante. Depois de amarelado, não fez mais nenhuma falta.

GNR

FMH disse...

Hoje em dia em futebol só ouves falar de defesa homem-a-homem em distritais, e mesmo aí já é rarp. Apenas em casos excecionais, contra avançados poderosos, se utiliza a marcação homem-a-homem em bolas paradas, e muitas vezes é a zonal.

EPluribusUnum disse...

Boa análise, no entanto não podias deixar de mandar a piada reles e baixa em relação ao nosso treinador, completamente desnecessária, mas é mais forte que a razão.

L. disse...

não concordo em nada com o 1º comentario.

simplesmente, o benfica tem um futebol que joga com muito risco. a nós não nos caem penalties nem vermelhos do céu, por isso não podemos fazer o jogo paciente do porto. temos que nos expôr. isso leva a sofrer golos, e como dizes, muitos deles na transição ataque-defesa quando o adversário acerta com um bom contragolpe.

quando jogamos, ocasionalmente, em 433 defendemos melhor - mas temos mais dificuldade em romper os autocarros. é um dilema, efectivamente.

e com os jogadores que temos acho dificil jogar sempre em 433.

no proximo ano, adorava que javi e rodrigo ficassem e saisse so o gaitan, mas estou a sonhar muito alto. se o rodrigo sair, podiamos jogar sempre em 433, com o cardozo, o nolito, e um novo extremo direito titular, que teria que serum tipo de jogador diferente, menos artista e mais atletico, mais forte: artistas no onze ja teriamos nolito e aimar, e na direita jogaria esse nome novo...

JNF disse...

EPluribusUnum,

estás muito sensível, não há aqui nenhuma piada reles ou baixa, aliás, quem se assume como Catedrático é o próprio Jesus. Algum problema? Não há pachorra para certas criancices...

PMM disse...

Também leio esse blog que acho interessante em alguns aspectos apesar de me parecer que os autores (creio treinadores de futebol) por vezes exageram e sinceramente gostava de os ver a trabalhar deviam ser uns genios do treino, enfim...
Pois é obvio que uma equipa de ataque como a nossa possa ter situações de desequilíbrio atrás mas é assim que há 3 anos jogamos com um futebol fantástico e é assim que gosto de ver.
Mas se a ideia é criticar o Jesus até vai mal pois os autores são fãs do JJ há muito tempo. Como eles dizem ele sabe muito de futebol e eles proprios reconhecem que a 1º coisa que Jesus faz nas suas equipas é o movimento defensivo.
Mas mais que tudo quero é ser campeão nem que sofra 50 golos se marcar 80 tudo bem.
Já agora eles afirmam com convicção que o Benfica de Jesus é das melhores equipas do Mundo a defender em desvantagem numérica mas isso não dá jeito referir, ou não?

JNF disse...

PMM,

o trabalho de campo é algo totalmente diferente do teórico, sim. Mas quem escreve o que escreve não tem de provar nada em campo. Da mesma forma que os que provam em campo não têm de provar o que valem a escrever.

A ideia não é criticar Jesus usando para isso o blog Lateral Esquerdo. Aliás, quanto ao conhecimento do jogo, já disse que JJ (e todos os outros, até o Luís Campos) sabe mais que eu. Obviamente. Quanto ao facto de não referir isso, não o faço porque não concordo. Acho que o Benfica defende ridiculamente mal. Não é por uma questão de dar jeito ou não. Não fujo a um debate de ideias, até gosto.

PB disse...

Obrigado pela correcção e pela nota no final do texto.

Boa sorte com o Eterno!

Abraço!

eupensopelaminhacebeçaeusoulivre disse...

Temos que ter jogadores rápidos para esse processo... e neste caso parece-me que só o Garay(?) se enquadra neste pressuposto... outro tipo rápido é o Miguel Vítor, mas não é titular...

Rodrigo e Nelson são neste momento a dupla de avançados do Benifca, porque são rápidos porque têm disponibilidade física para defender... coisa que Cardozo e Saviola parece não terem...

Witsel não é rápido, Garcia desenrasca-se bem... se tivessemos um Coentrão não é?
Nuno Coelho parece-me ser um gajo a levar em linha de conta, mas não nos devemos esquecer que não é sul americano, espanhol, nem internacional, por isso não sei...