sexta-feira, 5 de outubro de 2012

As Casas do Benfica

Estamos a 3 semanas de eleições. Apesar de faltarem poucos dias para as candidaturas se apresentarem oficialmente, já todos sabemos quem vai e quem não vai concorrer. O resultado é facilmente previsível, é quase tão simples como adivinhar quem vai ganhar o encontro entre uma equipa que joga e outra que falta à partida. Ainda assim, apesar de sabermos o que vai acontecer a 26 de Outubro, importa falar sobre os estatutos do Benfica, nomeadamente no que ao sistema de votos diz respeito.

Fernando Valente, presidente de duas (!) Casas do Benfica, afirmou que os acontecimentos ocorridos na AG da semana passada foram fruto de uma organização planeada para desestabilizar o Benfica, dizendo ainda que as Casas do SLB se manifestarão em favor de Vieira, combatendo (sic) quem se opuser ao querido líder. Mais: Valente manifesta a opinião de que Vieira deveria adoptar o democrático e eticamente correcto método de se demitir e candidatar rapidamente para evitar encontrar oposição nas urnas. Se este senhor, que duvido que tenha estado presente na AG, for sócio há 20 anos, terá, fruto dos anos de associado e de ser presidente de duas casas, 150 votos. Uma besta destas com direito a 150 votos. Pergunto-vos em que terra entre a Venezuela e a Coreia do Norte é que isto é "democrático".

E o problema não é ser o senhor Valente a ter 150 votos. Podia ser o senhor Oliveira, o senhor Colaço, o senhor Guerra, ou qualquer outra pessoa. O problema é mesmo o surreal número de votos nas mãos de alguém. E isto acontece fruto de uns estatutos que são aquilo que tecnicamente se chama de "palhaçada". Se já os anteriores, em que o máximo de votos que um sócio poderia possuir eram uns excessivos 20, eram pouco democráticos, os 50 actuais são uma aberração. Como é que uma pessoa pode ter mais 50 votos que outra? O argumento de que se deve premiar o número de anos de filiação até pode ser compreendido, mas nunca, nunca da forma como se faz actualmente. É excessivo e abusador o poder que alguns sócios têm em relação aos outros.

E se os 50 votos de que uma pessoa pode usufruir são excessivos, o que dizer dos mesmos 50 votos que cada Casa do Benfica tem? Quem é que vota? O prédio?! O andar? Não, é uma pessoa, obviamente. Um indivíduo que deverá ser sócio e que assim votará duas vezes numa eleição, podendo dar 100 ou mais votos a um candidato. Que sentido tem uma Casa poder votar numas eleições?

Claro que há interesses por trás desta situação. Convém a um certo grupo de pessoas manter os 50 votos. E nem estou a falar dos associados. Afinal de contas, a maioria dos "yes man" pertence a esta facção dos 50, pelo que convém aumentar os poderes desta gente. Independentemente do que lhes seja servido, eles comem e pedem mais, votando a favor do que o dono propõe. Viu-se na AG. Ao presidente, seja ele quem for, interessa ter os yes man com muito poder, são eles que dão as vitórias. São estas pessoas que defendem Vieira. São estas pessoas que há dez anos defendiam Vale. São estas pessoas que há quinze anos defendiam Damásio. E é esta gente que hoje diz que nunca defendeu Damásio ou Vale, gente essa que dirá dentro de dez anos que nunca defendeu, votou ou apoiou Vieira.

12 comentários:

José Ramalhete disse...

De Em Defesa do Glorioso:
Era condição ""sina qua non"" que para a unificação dos projectos, para o enterro da clivagem entre os Benfiquistas que Vieira aceitasse uma auditoria à situação financeira do Benfica já que é forte a convicção que, apesar do passivo monstruoso, a realidade seja ainda pior.

Este ponto Vieira não aceitou e os Benfiquistas perguntarão, porquê??? Será que esta não era uma medida que poderia reforçar a sua credibilidade???

B Cool disse...

Segundo informação que me deram, a direcção de qualquer casa do Benfica tem que ser composta exclusivamente por sócios com mais de 25 anos de filiação.

Não sei se é verdade ou não, pois quem me falou disso disse-me que queriam criar uma nova casa do Benfica, mas que precisavam de elementos com mais de 25 anos de sócio para a direcção da futura casa.

Anónimo disse...

"maioria dos "yes man"

Espectáculo és fã do CM Punk? xD

RedCristal disse...

Amigo o Sr. em questão é presidente só de uma casa( Moita/Marinha Grande),sócio há mais de vinte penso que sim.
Sou sócio da casa em questão e não partilho da mesma opinião dele.

moleculasdeamor disse...

Um homem um voto! isto que se passa é uma total ESTUPIDEZ... um sócio antigo é mais benfiquista que um recente? Até aceito que para votar fosse preciso ter dois anos de sócio efectivo com cotas actualizadas... agora 5 votos, 20 votos e o crl... isto é a total subversão de uma qq coisa que possa chamar-se democracia... a cena dos 20 e 50 votos serve para os mais velhos imporem as suas ideias - não me venham com merdas é o objectivo claro de impor as minhas ideias pela força - pró crl com essa mentalidade!

Anónimo disse...

Deus é grande e LFV vai continuar a enterrar o clube com nome de freguesia.
O PORTO gosta de Deus e LFV.

Águia Preocupada disse...

Há muito venho alertando para os vários perigos que agora se confirmam. Já nos últimas eleições pus a nu estes e outros factos...
Mas o papão Vale e Azevedo com que os Queridos Líderes amedrontam a malta, tem surtido efeito. Até ao dia em que encontrem as portas fechadas...

Caro B cool

Artigo 74. Estatutos SLB

2. Os membros dos órgãos sociais das entidades supra referidas deverão,
preferencialmente, ser sócios do SPORT LISBOA E BENFICA, sendo obrigatória
esta qualidade com pelo menos um ano de associado para os membros que
exerçam a presidência dos referidos órgãos.

Note-se na palavra "preferencialmente"...

Isto é mesmo uma farsa e um assalto ao nosso clube!

Anónimo disse...

A casa da Moita e Marinha Grande é só uma (Moita é uma freguesia da Marinha Grande).

VHugo disse...

Podem mudar as pessoas da direcção ou ficar as mesmas! o importante é mudar de vontades, mentalidades e acima de tudo ver quem se apoia as altos cargos do futebol e protestar quando se deve e não só quando nos dá jeito.

http://forcamagicoslb.blogspot.pt/2012/10/quel-tal-ideia.html

Djosa do Nascimento Gomes disse...

Caros Benfiquistas
É uma hipocrisia tremenda um indivíduo, seja lá qual idade ou tempo de filiado tenha no clube, ter mais de 1 voto. Isso em lugar algum é democracia. Se no fêcêpê o bimbo da costa é absoluto e sua gestão tem dado frutos (sem trocadilhos), não significa que temos de seguir isso também. É ridículo uma pessoa ter mais do que um voto! Gostaria de fazer referência a um movimento que houve no futebol brasileiro durante os anos 80, no Corinthians na presidência de Waldemar Pires, que se chamava "Democracia Corinthiana". A princípio surgiu como forma de combate ao autoritarismo do governo militar mas acabou servindo como instrumento de democratização nas relações trabalhistas dentro do próprio clube. Nesse período, tanto o presidente quanto o jogador ou o roupeiro tinham direito a um voto cada, sem distinção. Se revelou também um modelo eficaz de autogestão, conseguindo o clube quitar suas dívidas e deixar ainda um caixa sadio.
Não quero aqui dizer que seria necessário imitar um modelo que já foi ultrapassado, até porquê no atual modelo do futebol mundial seria quase impossível de implementar tal projeto, mas nos leva a pensar acerca do direito dos sócios do Benfica. O Benfica sempre foi uma referência de Democracia no futebol português, portanto, está na hora de mudar o atual modelo de gestão do nosso clube.
MUDANÇA JÁ NOS ESTATUTOS DO CLUBE!

Fake Blood disse...

Cancros do Benfica.

Anónimo disse...

Awesome post.
Here is my web blog :: football transfer news bbc