quinta-feira, 11 de setembro de 2008

O Queiroz é um burro! (Parte I)

Palmas para Queiroz!

"O problema veio depois: Scolari amedrontou-se e resolveu tirar Simão para colocar Moutinho. Mas que asneirada foi esta sargentão? Ainda estou para perceber aquela alteração... passámos a jogar com 4 (!) médios centro e sem qualquer extremo ou ponta-de-lança (depende como virmos a função de Quaresma ou Cristiano Ronaldo em campo). Uma asneirada total. Quando parecíamos embalados para o terceiro, acabámos por sofrer o segundo [da Polónia]. Inexplicavelmete."
in Mística Gloriosa, 9 de Setembro de 2007

No dia 14 de Maio de 1994, Queiroz jogava uma das cartadas da sua vida, um derby electrizante entre Sporting e Benfica em pleno Estádio de Alvalade. Ao intervalo, e a perder por 2-3, o mister decidiu substituir Paulo Torres por Pacheco. O resultado dessa mesma substituição é conhecido por todos (especialmente pelos benfiquistas). Uma segunda parte demolidora, com três golos criados todos eles pelo flanco de... Paulo Torres. Neste jogo, Queiroz mostrava ao Mundo os seus dotes nas substituições.

No dia 10 de Setembro de 2008, Queiroz volta a repetir a façanha. Apanhando-se a ganhar por 2-1 à Dinamarca, grupo de rapazes valentes, desprovidos de técnica mas com um bom jogo aéreo devido à sua altura, Queiroz surpreende o mundo do futebol novamente, desta vez retirando um extremo (Nani) e colocando o anão João Moutinho, para passarmos a jogar com quatro médios-centro. Afinal, 1,70 m fazem sempre falta quando é preciso segurar o jogo com... cabeça. O que estava a fazer Bruno Alves sentado quando precisávamos de alguém para marrar? Será que o Portugal-Polónia de apurameno para o Euro-2008 não serviu de exemplo? Ou será que afinal o professor não estudou bem a lição? É bem mais fácil meter os pinos no treino do Manchester, não é?

P.S. Após o lance infeliz do Quim lá vão aparecer uns quantos revivalistas a dizer que o Ricardo é que é bom e mais não sei o quê. Força Quim, os portugueses (pelo menos os benfiquistas) continuam contigo. E o pior de tudo, foi que senti saudades de Scolari.

5 comentários:

Anónimo disse...

ninguém fala das asneiradas do pepe no segundo e terceiro golo. o quim é um excelente guarda-redes. mesmo que nao tivesse saído, o cabeceamento do poulsen foi muito forte e teria sido golo na mesma! ser redes é uma tarefa ingrata! perdemos o jogo pelos falhanços do nani, danny, nuno gomes e simão e pela infantilidade do pepe a virar as costas á bola num remate!

ps:se me dissessem que num jogo os autores dos golos fossem: 3dinamarqueses, 1 cabo-verdiano e 1 brasileiro, eu só advinharia que uma das selecçoes em campo era dinamarca e a outra poderia ser ou cabo verde ou o Brasil!

patriarca disse...

Está correcto. Foi um jogo excelente, uma excelente vitória da Dinamarca, com excelentes exibições do NANY e Companhia, excelentes sustituições, com excelentes desempenho de todos. Continuem que vão no excelente Caminho. Á é verdade, embora duvidosa, excelente EXIBIÇÃO dos Comentadores da TVI, deviam ir PREGAR para outro lado.

João Soares disse...

O nani não é cabo-verdiano, os pais sim, mas ele já nasceu em Portugal...
E o scolari é que era mau???????

O 7 Maldito disse...

Ah pois... Vocês só se lembram desse mítico 3-6, mas eu lembro-me de mais. Lembro-me de uma época em estávamos na frente com Robson e conseguimos não ganhar, com uma das melhores equipas que passou por Alvalade (Figo, Peixe, Balakov, Juskowiak, Valckx, Naybet, Amunike...). Grande professor e as suas palestras soporíferas...
Quanto ao Quim é indiscutivelmente melhor que o montijense, mas não estão à espera de escapar a umas ferroadas depois da sua actuação "à lá Ricardo", pois não?
Abr

Anónimo disse...

boas,

tenho ideia que o Queiroz tirou o Paulo Torres e fez entrar o Capucho...mas sim, o senhor Q. é um natural born looser.

Abraços

CE