quarta-feira, 28 de outubro de 2009

É o meo treinador!

No final da época passada, como devem estar recordados, defendi a continuidade de Quique Flores. Exactamente, o mesmo Quique que hoje é treinador do Atlético de Madrid. Ora, esta onda de excelentes resultados e ainda melhores exibições do Benfica é precisamente o melhor momento para falar sobre essa minha opinião.

Quique, bem ou mal, foi um treinador que granjeou grande aceitação por parte de um sector do Benfica. Por outro lado, sempre houve um outro grupo ao qual o espanhol nunca conseguiu chegar, fosse pela sua postura e maneira de estar no desporto, fosse pelo futebol pouco atractivo que o Benfica produzia. Teve alguns conflitos com Léo, Reyes, Sidnei, Balboa e talvez tenham existido outros com Nuno Gomes, Petit e Cardozo, mas há uma coisa que não deve, nem pode, ser ocultada: na sua passagem pelo Benfica, Quique Flores foi um homem, melhor, um senhor, sério, que soube sempre aguentar a pressão que o cargo exige.

E era precisamente essa pressão que eu temia que poderia ter um efeito negativo em Jorge Jesus. Temia que JJ não soubesse lidar nem aguentar com a pressão naquele que é um dos cargos mais difíceis deste país. Nunca neste período em que se falou da entrada e saída de elementos das equipas técnicas, nomeadamente Quique e Jesus, fiz algum comentário sobre a qualidade de Jesus. Não critiquei nem condenei Jesus, mas também não fiz o "funeral" a Quique. Acreditava (e acredito) na qualidade do português, desconfiava da sua capacidade de lidar com a pressão, aquilo que era precisamente o trunfo de Quique.

Como estaria a jogar este Benfica com Quique? Não sabemos. Mas podemos inferir, pelo que estamos a ver nesta época, que não poderia ser o mesmo que vemos hoje. Jesus foi a grande aquisição para esta temporada. Os mais cépticos estão convencidos. É altura de, dos muitos que somos, sermos um. E pluribus unum.

P.S. E por falar em qualidade de jogo, futebol espectáculo, super-plantel e grandes craques, hoje, o Real Madrid, com Dudek, Arbeloa, Metzelder, Albiol, Drenthe, Diarra, Guti, Van der Vaart, Granero, Raul e Benzema foi humilhado naquele que deverá ser o maior pesadelo da história do clube. Perdeu 4-0 com o modesto Alcorcón, da segunda divisão B (terceiro escalão espanhol), num jogo a contar para a Taça do Rei. Na sequência do que venho dizendo, reforço: euforia nas bancadas, profissionalismo em campo. É a chave do sucesso.

15 comentários:

Neisseria Gonorrhoeae disse...

Adorei a imagem.

Vou utilizar no Meu blog, com a referida referencia ao eternobenfica.

Bola7 disse...

Quique sério...essa nem dos gatos fedorentos...

JNF disse...

Dá-me um exemplo de uma situação em que não tenha sido sério.

Éter disse...

Eu dou uns exemplos: quando disse que os assobios eram para o Cardozo, quando mandou o Leo para a bancada para aprender a defender observando o Jorge Ribeiro, quando um jogador ao menor erro ia para o banco no jogo seguinte (Sidnei, Jorge Ribeiro, Yebda).

Julgo que quem faz tudo isto não sabe lidar com a pressão. Já em Valência, quando as coisas começaram a correr mal, varreu a velha guarda do clube das convocatórias, como que a querer dizer que a culpa era deles.

Ah, e além disto tudo, o coitado do Quique não percebe patavina de futebol.

JNF disse...

1 - Por acaso, nesse jogo, Quique não afirmou. Perguntou. E digo-te mais, muitos dos que estavam à minha volta no estádio assobiaram, precisamente, Cardozo.

2 - Adoro o Léo. Mas Ribeiro estava em melhor momento e ganhou o lugar, naquelas jornadas inicias, merecidamente. Depois foi o decair de forma.

3 - Não era "ao menor erro". Sidnei gosta de noitadas (e para esta época apresentou com muito mais peso!), Ribeiro pelo decair de qualidade exibicional que já falei, e Yebda por efectivamente fazer jogos péssimos, ele que alternava o excelente com o desastroso.

4 - O erro mais grave que cometes no teu comentário. Não foi Quique que fez isso. Foi o nosso amigo Koeman, pelo qual ainda muitos suspiram. Canizares, Angulo, Zigic, Manuel Fernandes, Albelda, só assim de cabeça.

5 - Quique vs. Mourinho, post de Janeiro deste ano no teu blog. Volta a le-lo. Eu continuo na minha. Quique sabe (muito) de futebol. No Benfica cometeu erros graves (bem graves, alguns), mas não foi por sua culpa que não fomos campeões. Em duas ocasiões soberanas que o Benfica teve para alcançar ou solidificar a liderança, não nos deixaram: Pedro Henriques com o Nacional e Pedro Proença com o Porto.

sigmund disse...

Eu nao gostei do Quique essencialmente por dois motivos:

1) Nunca assumiu a responsabilidade de NENHUM fracasso: ele era perfeito, lá com os seus resultados invisíveis, os jogadores é que eram sempre os culpados;

Não percebe rigorosamente nada de futebol. Colocar o Aimar a avançado qdo até o mais desatento adepto sabia que ele renderia 1000x mais no meio-campo; Cardozo no banco qdo o homem nem precisa de correr para marcar golos (voltou à equipa a meio da época, graças à lesao de Suazo, e ainda assim marcou 17 golos); jogava em contra-ataque contra equipas pequenas; equipa tacticamente inflexível e previsível.

Quique é só imagem. Se eu nao visse o Benfica jogar, se só ligasse à sua lábia nas conferências de imprensa, acharia que era um treinador de elite. Como vi a porcaria que cá andou a fazer durante um ano, sei é um profissional extremamente incompetente.

Agora, com todas estas goleadas e exibições fantásticas que o Jesus nos trouxe, é fácil falar. Mas eu já dizia isso bem antes do final da época passada. Enganou-me durante uns meses, mas não mais que isso.

JNF, eu só queria que tu me exemplificasses, com exemplos práticos, situações em que Quique tenha demonstrado capacidade. Não me venhas com discurso, imagem, educação. Fala de futebol. O que é que ele trouxe à equipa, se nós jogávamos pior a cada jornada que passava? Nunca, em momento algum, vi a equipa mostrar fio de jogo. Nada. Considerando a qualidade do plantel que teve à sua disposição e a qualidade das exibições, foi o pior treinador desde Artur Jorge. É que Jupp Heynckes ainda teve a desculpa de ter jogadores que nao valiam um chaveiro.

Éter disse...

JNF, nesse meu antigo post apenas comparei como a comunicação social via certas acções de Quique e Mourinho. Confesso que ao princípio, tal como o sigmund, também eu fui na cantiga do Quique. Mas depois de começar a ver as exibições miseráveis do Benfica tive obviamente que mudar de opinião.

Já escrevi várias vezes que a colocação em campo de Aimar sobre o lado esquerdo deveria ter dado um processo crime, movido pelo Benfica e pelo próprio Aimar. O facto de Cardozo abancar é mais um exemplo típico de que como Quique sempre quis implementar uma estratégia de contra-ataque no Benfica. Isso é não conhecer a história do Benfica nem a história do futebol português. Pior, é um exemplo de arrogância.

Apenas mais duas coisa. Quique teve inúmeros problemas com jogadores do Valencia e afastava-os simplesmente das convocatórias. Não foi só o Koeman que fez isso.

E por último, na minha modesta opinião, o Jorge Ribeiro em pico de forma será sempre infinitamente pior do que o Leo.

JNF disse...

Sim, Jupp Heynckes tinha muito lixo no plantel, e quem é que ele estava mortinho por mandar embora, quem era? Pois é. O homem que arrancou um brilhante 7º lugar ao Real Madrid ou lá o que foi.

Mas vamos lá então elogiar Quique com pontos concretos, como pedes:

1 - Primeiro, uma correcção. No Valência, mesmo antes de Quique, Aimar jogou bastantes jogos como segundo ponta-de-lança. E até rendia. Por isso, não foi propriamente uma invenção como parece que dizes, apesar de eu concordar totalmente que Aimar é melhor no meio-campo do que na frente de ataque.

2 - Reyes. Espicaçou, elogiou, criticou, enfim, fez tudo para que ele rendesse. E a mim parece-me que o espanhol era, em termos de capacidade de jogo, o melhor jogador daquele plantel. Fez o que pode para aproveitar ao máximo um jogador que não queria dar o máximo.

3 - Luisão e Katsouranis. Soube segurar dois jogadores que estavam de costas voltadas, atribuindo-lhes responsabilidades acrescidas. Não acredito que muitos mais treinadores conseguissem o que Quique conseguiu com duas pedras chave no balneário.

4 - Ausência da vacas sagradas. Quim, Léo, Katso, Yebda, Ribeiro, Balboa, entre outros. Quem joga mal, sai. Acho muito bem. Há sempre muita gente a dizer que o Benfica só tem vacas sagradas, mas quando alguém as tira de campo, são exactamente os mesmos que reclamavam que agora vêm dizer que estamos a jogar sem os melhores. Enfim, critérios.

5 - Coragem. Até podia dizer outra palavra começada por "c", mas coragem também serve. Quando, frente ao Sporting, se apercebeu que não havia nem David Luiz nem Luisão, o que fez? Recuou Katso? Não! Apostou em Miguel Vítor e ganhou o jogador. Um óptimo jogador. E quando o MV for posto a andar em Janeiro ou Julho (nem sequer é convocado!) ninguém se recordará quem apostou nele.

6 - Acabou com o discurso do coitadinho e do desgraçadinho apesar de ter sido roubado à grande. Isso é uma função de outros quadros superiores.

7 - Ganhou um troféu.

8 - Trapattoni, Koeman, Santos, Camacho e Quique. Foram os treinadores do Benfica nas últimas 5 épocas. Destes 5, sabes qual foi o que obteve melhor média de pontos no campeonato a 30 equipas? Santos. E o segundo? Quique.

Quique era defensivo? Pois era. Sabes quem foi o último treinador campeão pelo Benfica? Claro que sabes, e também sabes qual a sua mentalidade.

JNF disse...

Éter,

não te esqueças da mentalidade do último (e único!) treinador campeão pelo Benfica. Futebol espectáculo? Futebol de ataque? Exibições de classe? Exibições razoáveis? Nada disso.

A propósito, sabes qual foi a última vez que fui ao Estádio da Luz nessa época de Trap? Foi no Benfica 0-2 Beira-Mar. Jurei que não voltava lá. Deixei de acreditar. Depois disso, tentei ir ver o jogo em casa com o Belenenses, mas já não havia bilhetes. Pensei em comprar para o derby com o Sporting, mas a incerteza de não estar em Lisboa levou-me a não comprar.

Sabes, foi isto mesmo que me levou a acreditar que o Benfica poderia ser mesmo campeão com Quique, mas Pedro Henriques e Pedro Proença não deixaram. O primeiro impediu que o Benfica ficasse com 4 pontos de vantagem sobre o segundo classificado, antes de se deslocar ao campo dos dois últimos classificados com uma moral extra. O segundo impediu a ascenção ao primeiro lugar por troca com os fcpigs, num derby marcado pelo mergulhão de Lisandro.

Éter disse...

Tens toda a razão quando referes as arbitragens do Henriques e do Proença, e eu até acrescentaria a do primeiro jogo do campeonato contra o Rio Ave (penálti sobre Aimar não assinalado), do jogo fora contra o Leixões (golo invalidado por Olegário por falta inventada ao Yebda) e do jogo em casa contra o Setúbal, onde a criatura que nos visitou há dois dias nos gamou um golo limpinho porque voltou atrás com a lei da vantagem. Esses pontos eram o bastante para sermos campeões.

Mas o certo é que esta época também estão a tentar e até agora nada conseguiram. O Benfica está demasiado demolidor e é assim que eu gosto de o ver.

Anónimo disse...

boas

bem á uma coisa que me esta a me xatear á umas semanas.E,como tal,no ultimo comentario,(sem ofender) muito se fala na arbitagem portuguesa(corrupçao),axo uma palhaçada o que estao a fazer aos arbitos,toda vez k vou ler uma noticia do benfica na bola,os comentarios estao semprea dixer k benfica ganha roubado.

Questoes sobre a arbitagem ke devem em ter em conta antes de falarem

1- hoje em dia que arbito vai aceitar suborno?(apito dourado,com todos em cima)

2-pelos vistos os arbitos "lixam é todos os jogos".

3- qual a ekipa no mundo ke nunca foi benefeciada pelo arbito?

4-existe uma coisa ilusao optica(arbitos nao podem ver td)

etc

agora.............
o mais importante de tudo
kem ja subornou,ker seja benfica,porto,kem for,e sejamos sinceros,nem todos sao santos,ja dixeram akilo da chamda do luis filipe videira,mas nao sei se é verdade ou nao,seja como for imaginem uma arbito x,recebe dinheiro dum clube(suborno),depois dixo exe arbito x esta tramado,quer aceite dinheiro ou nao mais ,ele tem pressao em cima de si,podem fazer mal a familiares ou axim,se houver algo errado no futebol portugues so pode ser ixo.


Quanto a forma do benfica,SIM SENHOR,DÁ GOSTO VER BENFICA JOGAR

E PA FINALIZAR..............
NINGUEM PARA O BENNNNNNNNNNNNNNNNNFIIIIIIIIIIIIIIIICCCAAAAAAAAAAAAA

ABRAÇO

PS;adorei a piada do meo(muito fixe)

Bruno Venâncio disse...

JNF, podes ter razão e saber fundamentar muita coisa do que dizes, mas aqui concordo com os meus colegas de comentários: Quique foi uma grande surpresa e pela negativa. Durante muito tempo via nele um bom treinador, com um discurso sério, calmo, ponderado. Mas depois comecei a ver o bom orador que ele era. E resultados? 0. Ganhou uma taça da Liga? Sim. E bom futebol? 0. Nunca na vida eu tinha visto o Benfica a jogar apenas em contra-ataque, a defender na sua área o pontinho ou a vitória por 1-0 frente a Naval, Rio Ave, Trofense e tantos outros. Minto: Camacho também o fazia. Trap não mandava a equipa recuar desmesuradamente. Quique sim. Ou pelo menos não se opunha. A sua táctica era mandar a bola para o Suazo apanhar. Quique queimou Léo, Cardozo, Balboa, Aimar, estragou uma época ao pôr David Luiz na esquerda e não querer Cissokho. São tantas coisas, que nem cabem aqui. Quique foi dos piores que vi na Luz. Mas Heynckes, Koeman não lhe ficam atrás, claro. E Camacho também não. Mal por mal, Fernando Santos was the man!

sigmund disse...

Eu pedi-te que me falasses de futebol, de algo positivo que tenha trazido à equipa. Vamos lá esmiuçar os teus argumentos:

1) Colocar Aimar a avançado é inaceitável. Tanto aqui, como em Saragoça, como em Valência. No Valência de Benitez a situação era diferente: por vezes jogava com apenas um avançado, mas ainda assim Aimar partia do meio-campo, de frente para a baliza. No Benfica, o que viamos, era aimar jogar de costas para a baliza, entre os centrais. Lembro-me de um jogo em que no espaço de 10 minutos, foram lançadas 3 bolas para a cabeça de Aimar, em plena pequena-área. Ridículo.

2) Reyes nao foi o melhor: foi o menos mau. Por algum motivo nao ficou. Não ficou pq nao conseguiu convencer; nao conseguiu convencer pq era intermitente, pq so se destacava nos lances de bola parada e em alguns pormenores individuais. Ao contrário do que dizes, provavelmente Reyes nao deu mais pq Quique escolheu-o como saco de pancada. Tivesse um treinador que soubesse tirar o seu melhor rendimento, que soubesse apoia-lo nos piores momentos, e teriamos tido um craque.

3) Não percebi esta. Qdo ele chegou as relaçoes entre estes 2 estavam sanadas.

4) Nao havia vacas sagradas? Lembro-me de uma vaca gorda e imensa: Suazo. Nunca jogou a ponta de um corno (mt por culpa de quique) e mm assim tinha lugar cativo. Nao tivesse sofrido a lesao e a época teria sido ainda mais desastrosa (sem os golos de Cardozo).

5) Coragem? Coragem é dar o peito às balas. É puxar a si a sua quota de responsabilidade nos maus resultados, nao é empurrar tudo para os jogadores, nao é falar em "resultados invisíveis" qdo nada se aproveitava. A equipa nao jogava, os mais talentosos (Di Maria à cabeça) nao rendiam, os resultados nao apareciam, a equipa nao tinha sequer frescura física.

6) Acabou com o discurso do coitadinho? Fechou os olhos ao gamanço, deixando Rui Costa a falar sozinho, a defender-nos sozinho e a apanhar uma série de castigos por isso. E, por outro lado, começou com o discurso do "se acabarmos em 3º já será melhor que no ano passado". Isso ainda é pior que o discurso do coitadinho.

7) Jogando mal e porcamente. Tivessemos jogado 1/10 do que jogamos hoje e nao teriamos passado pelo embaraço de que passamos nessa final.

8) Por algum motivo, tirando Trap, todos esses treinadores acabaram despedidos. Comparaçao ineficaz.

Quique nao era defensivo. Até jogavamos com 2 avançados e 2 extremos. Quique era incompetente, pouco ambicioso, era remetido à defensiva por equipas mediocres e defendia resultados de 1-0 com essas mm equipas. Isso nao é ser defensivo, é ser incompetente.

JNF disse...

Agora sou eu a esmiuçar :)

2 - "pq so se destacava nos lances de bola parada e em alguns pormenores individuais."

Não, não é assim. Não eram só pormenores individuais nem lances de bola parada. Muito mais que isso.

2 - "Tivesse um treinador que soubesse tirar o seu melhor rendimento, que soubesse apoia-lo nos piores momentos, e teriamos tido um craque."

Como assim? Então a culpa é do treinador? Bom, se mandámos o treinador embora e contratámos um melhor, que sabe tirar o melhor de cada jogador, por que não ficou Reyes no SLB?

3 - "Qdo ele chegou as relaçoes entre estes 2 estavam sanadas."

Guerra fria...

4 - "Nao havia vacas sagradas? Lembro-me de uma vaca gorda e imensa: Suazo. Nunca jogou a ponta de um corno (mt por culpa de quique) e mm assim tinha lugar cativo."

Suazo era o melhor avançado da equipa. O mais completo. E em termos de qualidade exibicional, para mim, esteve acima de Cardozo. Mas o paraguaio marca mesmo sem estar a jogar nada, isso é um facto. Jogando com Aimar na frente e sem um nº10 no meio-campo, o que o Benfica precisava era de uma avançado rápido como Suazo, mas esqueces-te que ele também foi saco de porrada.

5 - "os mais talentosos (Di Maria à cabeça) nao rendiam"

não rendeu, foi intermitente. Logo deveria ter recebido guia de marcha como Reyes?

6 - "Acabou com o discurso do coitadinho? Fechou os olhos ao gamanço, deixando Rui Costa a falar sozinho, a defender-nos sozinho e a apanhar uma série de castigos por isso."

O que é que querias, que ele fizesse como o Paulo Bento a quem ninguém liga? O PB já gastou o crédito todo. A função do treinador não deve ser essa, só se desgasta. Por alguma razão há um senhor chamado João Gabriel.

7 - "Jogando mal e porcamente."

Trap também o fazia. E ganhava.

8 - "Por algum motivo, tirando Trap, todos esses treinadores acabaram despedidos. Comparaçao ineficaz."

Ineficaz? Deixo-te a estatística. Num campeonato a 30 equipas, eliminando as duas piores nos campeonatos a 34, teríamos o seguinte registo:

Santos: 2,23 pontos por jogo
Quique: 1,97
Koeman: 1,93
Trap: 1,87
Camacho: 1,73

"Até jogavamos com 2 avançados e 2 extremos"

Não concordo. Amorim não era extremo. Pelo menos ofensivamente não era!

"pouco ambicioso, era remetido à defensiva por equipas mediocres e defendia resultados de 1-0 com essas mm equipas. Isso nao é ser defensivo, é ser incompetente."

Então e Trapattoni, também era incompetente?!

mariofarm disse...

Adorava que este spot publicitário estivesse actualizado no domingo e dias seguintes...