quarta-feira, 11 de novembro de 2009

João Tomás

Um verdadeiro ponta-de-lança. E português! Uma raridade nos dias de hoje. O que é facto é que já tem 34 anos. Olhando para trás, vejo uma carreira simplesmente mediana que nunca atingiu um patamar verdadeiramente alto em termos pessoais. Mesmo tendo jogado no Benfica, aquele sexto lugar marcará para sempre aquele conjunto de jogadores, João Tomás incluído, apesar de não ser o responsável.

Revendo a sua carreira, João Tomás, apesar das qualidades óbvias que tinha, pouco ou nada alcançou. Deu nas vistas em Coimbra, na Académica, trocando a Briosa pelo Benfica em Janeiro de 2000, altura em que os estudantes andavam pela segunda divisão, mas onde iam bem destacados na frente, fruto dos sucessivos golos do avançado português. Chega ao maior clube do país por 40 mil contos e com 24 anos, idade ideal para começar a demonstrar serviço, fazendo uma época e meia de águia ao peito, marcando vários golos na condição de suplente utilizado. Era uma das armas secretas de Mourinho, na altura.

A grave crise económica que assolava o Benfica, aliada à desastrosa participação no campeonato que culminou num sexto lugar, levou João Tomas a sair para Sevilha, para jogar no Bétis, numa transferência que valeu aos cofres encarnados 800 mil contos (4 milhões de euros), cerca de 20 vezes mais aquilo que o Benfica tinha pago ano e meio antes. A partir daí foi a penumbra total. Pouco utilizado em Sevilha, foi emprestado ao Guimarães e ao Braga, saltando de clube ano após ano. Foi ao Qatar e voltou a Braga, passou pelo Boavista, na segunda divisão e está de novo na primeira, no Rio Ave, equipa que teoricamente luta para não descer.

Por que falo de João Tomás nesta altura? Bom, por vários motivos. Um dos quais é o brilhante jogador que podia ter sido mas não foi, pois ninguém teve coragem suficiente para apostar nele, talvez por ser português. Passou ao lado de uma grande carreira. Numa altura em que nos queixamos que não há pontas-de-lança de qualidade em Portugal, se calhar deveríamos pensar se na realidade a culpa não é dos treinadores e dos presidentes que não querem apostar neles. A outra razão é que, e apesar de já não ter a velocidade de outros tempos, o killer instinct continua lá. Vejam o segundo golo que apontou ao Sporting. É de um verdadeiro ponta-de-lança. E vejam o festejo, na foto acima. Faz lembrar outro festejo, de outros tempos...

7 comentários:

John Wakefield disse...

http://www.youtube.com/watch?v=Kjlw2OtNHog

tenho aqui uma pérola meus amigos benfiquistas! Vejam as analises do Kuruado no seu melhor em relaçao ao Benfica.

desculpem se o video nao tem som, mas a ideia é clara. vejam até ao fim.

Sérgio_alj disse...

http://visaodemercado.blogspot.com/2009/11/noticias-da-luz.html

Coluna D'Águias Gloriosas disse...

e porque não o João Tomás em Dezembro no Benfica?

para acabar a carreira Campeão Nacional?

seria um bom suplente para o Cardoso e Saviola....

Anónimo disse...

coluna tb nao exageres.

Anónimo disse...

não sei se não era uma boa ideia....

baratinho e sinceramente é daqueles jogadores q sempre gostei e q tive pena de não ter tido oportunidades em clubes de jeito


faltou-lhe padrinhos

Pedro disse...

Acho q devia ter tido muito mais oportunidades na selecção do q teve. É de longe muito melhor q o Almeida por exemplo.

Coluna D'Águias Gloriosas disse...

anónimo,

se calhar fazia melhor que o Keirrison....

e quando o Cardoso não joga falta ali um tipo grande na frente para levar os centrais adversários com ele....

e com isso libertar o Saviola.....