domingo, 21 de março de 2010

Sport Lisboa e Benfica 3 - 0

O nome do adversário nem merece sujar o título. Nem o título nem a crónica, daí que não será utilizado. O Benfica deslocou-se ao Algarve para defrontar um suposto rival 72 horas após um embate dificílimo quer em termos físicos quer no plano psicológico, na cidade de Marselha. Viagem de avião pelo meio, chegada ao Algarve, descomprimir, treinar, analisar o adversário, jogar e ganhar, com goleada e nota artística. Uma tareia monumental. Um banho de bola! Qual foi a melhor ocasião de golo para o... (pensavam que ia utilizar o nome da associação?!) CRAC? Um atraso do Fábio Coentrão? Não me façam rir. Fomos dominadores, escostamo-los às cordas, foi uma tourada. 3-0. Quanto? Eu repito: 3-0. Não perceberam? 3-0.

Tarde de festa? Não. Com claques como as do Porto é impossível haver festa do futebol. Saquearam, roubaram, vandalizaram muito do que lhes apareceu à frente. Nem foi preciso haver adeptos do Benfica para incendiar os ânimos, eles sozinhos conseguem armar confusão. Enquanto aquela corja não estiver atrás das grades, não haverá paz no futebol.

Não há paz mas à Benfica. Depois de uma eliminatória desgastante a nível físico e mental frente ao poderoso Marselha, o Benfica teve tarefa bem mais fácil no Algarve. E muito se deveu à forma dos três médios habitualmente suplentes no nosso clube: Airton, Amorim e Martins. Que jogo! O Porto foi também, diga-se, presa fácil. Não fosse esta Liga tabelada por baixo e o Porto nem estaria em 3º lugar. Mas relativamente à partida há que salientar o profissionalismo do onze titular do Benfica, que realizou uma exibição de encher o olho. 3 golos marcados ao rival do norte, algo que não acontecia desde uma tarde solarenga de Abril ou Maio de 1998, onde Greame Souness desafiou os jogadores da agremiação.

O Benfica actuou com um onze completamente diferente daquele que vinha sendo opção em qualquer competição: Aimar foi o segundo ponta-de-lança, auxiliando Kardec; Martins fez o lugar habitual do argentino, Airton rendeu Javi Garcia e Amorim, que há já um par de jogos anda a evidenciar uma qualidade no processo ofensivo que não lhe reconhecia, tomou o lugar de Ramires. Na defesa tudo normal, com Quim na baliza. O jogo começou em toada normal para uma final entre dois rivais, mas foi Rúben Amorim, com a preciosa ajuda de Nuno, que começou a pintar a festa da taça em tons de vermelho. Com um remate relativamente fraco até para o espaço que tinha, a meio da baliza, rasteiro, que 99% dos guarda-redes da Liga defenderiam, Amorim e o Benfica tiveram a sorte de do outro lado se encontrar o guarda-redes que não faz parte desses 99%: Nuno Espírito Santo (Ámen!). Soltou a franga, logo aos 10 minutos. Eu, que já fui muitas vezes ao Algarve, nunca assisti a um frango ser servido em 10 minutos.

O jogo seguiu o seu ritmo normal, sendo que "normal" para este Benfica é dominar. E assim aconteceu. O Benfica foi dominador (mas não esmagador), até porque o "esmagamento" coube por inteiro a Bruno Alves, um indivíduo sem qualquer preparação psicológica para jogar à bola, nem nas equipas de domingo de manhã. É aquilo que na gíria se chama de "animal". Não é possível impedirem-no de jogar à bola? Não há sumaríssimo? Por causa dos Brunos Alves desta vida perderam-se jogadores brilhantes como Mantorras, entre outros.

E assim foi, o Benfica construía jogo e o Porto destruía como sabia e como o árbitro deixava. Bruno Alves agride, mas quem leva os cartões são jogadores como o Maxi, que fez... o que fez ele? Ninguém sabe. Foi ridículo. Mais engraçado foi o lance que dá origem ao segundo golo do SLB: Meireles comete falta feia sobre Martins e ainda o pisa, no chão. Jorge Sousa, claro, não viu. O resto sabemos nós: Martins pega na bola e lá vai uma bomba bem colocada mas que não deixa o GR isento de culpas. O Benfica chegava ao intervalo com um confortável 2-0, que lhe assentava com perfeita justiça.

Na segunda parte, e apesar da vitória estar bem próxima, tive de baixar o som da televisão. Não suportei alguns comentários ridículos como "olés desnecessários" (pudera, os olés são para s jogadores do Porto, não para os do Benfica...), ou "Aimar é o jogador que mais corre no Benfica por causa do excelente trabalho de Fernando" (todos sabemos que quando há mérito de um jogador do Benfica em algo, isso se deve aos jogadores do Porto...), enfim. Sem grandes oportunidades para um lado e outro, o jogo foi ficando morto e o golpe de misericórdia chegou mesmo em excelente altura, o minuto 90. É assim que gosto de ganhar os jogos: com um golo no último minuto, mesmo que a vitória já esteja próxima. Deu para festejar o golo de outra maneira, como se tratasse ali do apito final.

Vitória justa e merecida de um Benfica que, mesmo jogando na quinta, se mostrou fisicamente muitíssimo mais forte que o rival. E claro, nestes jogos que o Porto perde, deu para ouvir o discurso da "treta" de Jesualdo e sus muchachos. "Um jogo equilibrado", "o Benfica só teve duas oportunidades de golo", "os golos surgiram no início e fim das partes" (esta é a minha favorita, parece que marcar aos 44 ou aos 90 já não vale). Esquecem-se eles de que as suas duas melhores ocasiões que tiveram foram protagonizadas por Coentrão e Kardec. Até tiveram piada, coitaditos...

E assim já vou deixar de ouvir a frase "este ano ainda não ganharam nada". Um já está, faltam dois. E no próximo sábado poderemos dar um passo de gigante em relação a um deles. Concentração, querer e profissionalismo podem decidir a época ainda este mês de Março, sim, esse temível mês com um ciclo de jogos infernal que neste momento contabiliza 3 vitórias em 4 jogos, sendo que o empate não teve consequências absolutamente nenhumas. Siga o bom futebol do SLB, isto dá prazer de ver. É a melhor equipa dos últimos 20 anos.

13 comentários:

Jotas disse...

Enquanto uns se entretem com histórias de túneis e afins, como forma de justificar os seus fracassos, o Benfica entretem-se a dar autênticos recitais de bom futebol, espalhando perfume e classe.
Depois de Marselha, foi agora o Algarve que teve o previlégio de assistir a uma sinfonia maravilhosa, com um grande compositor e artistas de fino recorte.
No fundo e pelo que todos vimos, foi a vitória do futebol do Benfica, sobre o Wrestling do Porto.

ReYeS disse...

É nestes moemntos que vale a pena dizer "A MÃE DO BRUNO ALVES É UMA PUTA" LALALALALALALALALAL

Anónimo disse...

Que grande banho de bola. Ainda não apareceu um árbitro que ponha o Bruno "cotoveladas" em sentido. Será que a Liga vai pôr um sumaríssimo nesse brutamontes?

Adamastásio disse...

Admito, sem rodeios: fui uma besta, ao declarar ontem, mais ou menos por estas palavras, que "queria que a taça da liga se prejudicasse com F grande". Disse-o, contudo, por ter como certo que o jogo da final só iria servir para nos arranjar jogadores castigados e, ou, lesionados. Felizmente que (também) por aí tudo parece que correu pelo melhor. Por outro lado, realmente, ganhar a esses jumentos tem sempre um sabor especial. E há uma pessoa (ou melhor, duas) a quem em particular devo um pedido de desculpas por menosprezar antecipadamente a conquista do caneco: refiro-me a Jorge Jesus, e a seu Pai, a quem ele dedicou sentidamente a vitória de hoje.

Aos adeptos do futebol corrupto do porco, desejo-lhes uma péssima viagem de regresso ao curral.

Quanto a ti, burro alves, estimo que venhas a contrair uma infecção incurável de gonorreia na bocarra e vejas crescer-te um furúnculo do tamanho da torre dos clérigos na peida. Puta que te pariu, assassino e cobarde de merda, mereces mesmo capitanear essa agremiação corrupta!

redjan disse...

O jogo? Simples: 3-0

Um frango do lider da revolta hulkeira!

Um nojo de jogo do pseudo jogador de selecção que só mesmo por cá... pode jogar à javardo e ainda ter quem o admire!

Os comentadores da sic ... até tinham medo de falar na coisa. É grande o polvo!

mariofarm disse...

Dedico a vitória ao sr jorge de sousa que queria que a taça rumasse ao norte! Sr jorge de sousa,paciência,contente-se com o que lhe atribuíram a meio da semana e veja lá se rouba menos o Benfica, seu GRANDE FILHO DA P...!FORÇA BENFICA!

Vermelhusco disse...

Tou-me pouco borrifando para a Taca da Liga (nao acredito que esta competicao sobreviva muito tempo...) mas humilhar os corruptos tem um sabor especial.

Ainda para mais quando jogamos contra duas equipas do Porto.

Éter disse...

Mal o Cardozo entrou vi logo que ia começar a levar como gente grande. Passado um minuto, pimba na tromba. Confesso que tive medo que ele respondesse...

Anónimo disse...

LÁ CONTINUA O ANDOR...!!!

SLB 4ever disse...

Brilhante, sublime, fenomenal a nossa vitória! O fcp soltou o frango, o SLB soltou a ÁGUIA!!
Somos grandes!! Força Benfica!

djeiti disse...

A TAÇA É NOSSA!
Foi lindo! Grande Final! Grande Ambiente!
80% do estádio do Algarve vestido de Vermelho!!!
Não há cansaço! Não há suplentes ou titulares! Há uma equipa! Uma equipa vencedora!
Os outros reles só vieram para tentar lesionar e expulsar jogadores nossos. Desde o 1º minuto que 3 grunhos atras de mim disfarçadamente infiltrados à paisana no meio de Nós o diziam uns para os outros que nem queriam ganhar o jogo só queriam que os Nossos se lesionassem à grande e fossem castigados! Festejei em cima deles o tempo todo! Saíram com o cú envergonhado e ensanguentado no lugar das fuças!
FORÇA, FORÇA BENFICA! CLUBE DO MEU CORAÇÃO!
A JOGARES ASSIM À BOLA, TU SERÁS O CAMPEÃO!!!!

Tasmaniapt disse...

os nossos jogadores foram grandes pois até o Carlos Martins se soube conter às provocações constantes!!Não sendo um jogo brilhante foi um grande jogo!!
Parabéns BENFICA!!
Saudações gloriosas :D

sloml disse...

Como eu havia defendido, não soube tão bem vencer esta Taça? Defender que o Benfica deve entrar em campo com equipas secundárias nunca é boa opção. Assim ganhámos, sem forçar minimamente, e continuamos fresquinhos para o jogo com o Braga.