domingo, 19 de setembro de 2010

O Campeão voltou

Classe, esforço, segurança, tranquilidade, um matador e, mais que tudo, qualidade e competência. São estes os ingredientes para se fazer um campeão, um verdadeiro campeão. Outros preferem outra matéria-prima, mais saudável, é certo, mas com frutinha não há mérito. Daí uns serem reconhecidos e outros... esquecidos. Felizmente, por altura da entrega da taça de campeão relativa à época transacta, o público benfiquista soube reconhecer os seus heróis e vaiar enormemente um dos vilões do futebol português.

Pouco ou nada havia a ganhar neste jogo: um Benfica visivelmente fragilizado por questões internas e, sobretudo, externas, entrava em campo sabendo que apenas e só a vitória interessava, mesmo tendo conhecimento que muitos dos adversários continuariam alguns pontos acima na tabela classificativa. O que fazer perante isto? Reagir à campeão! Dito, pensado, e feito.

Jesus surpreendeu ao colocar César Peixoto no onze titular, a defesa esquerdo, avançando Coentrão para o meio-campo. E acredito que esta foi, de entre todas as decisões possíveis, a mais acertada e a mais correcta, o melhor Benfica neste momento é aquele que pode contar com Coentrão a meio-campo, e se isso implica que Peixoto jogue a, que seja. Se Gaitán poderá vir a ser um grande jogador, acredito que sim, mas neste momento a melhor e mais eficaz ala esquerda é com os dois internacionais portugueses, exactamente naqueles lugares. Esteve mal Peixoto nos últimos jogos? Esteve. Péssimo, até. Mas não duvidem que é bem melhor que aquilo que mostrou e do que muitos benfiquistas pensam sobre ele.

O Sporting entrou em campo com a intenção de mandar na partida, mas logo ao quinto minuto as esperanças de tal acontecimento caíram por terra: o Benfica deu mostras de uma força surpreendente, começou a jogar com personalidade, atacando e mandando no jogo, controlando bastante bem. E como dizia, logo ao quinto minuto, eis que Cardozo desencanta uma jogada à "avançado móvel", tira o central do caminho e, já pressionado, atira ao poste de Patrício. O aviso estava dado, não faltaria muito para se passar das ameaças aos actos.

Minuto 12. Canto de Pablo Aimar na direita, Luisão cabeceia contra André Santos e a bola sobra para o homem que, geralmente, está sempre no sítio certo no momento exacto, Óscar Cardozo, que não pestanejou e assinou o primeiro golo da partida. A partir daqui, no primeiro tempo, só deu Benfica, com o Sporting a acusar nitidamente o golo sofrido e a perder o meio-campo por completo. O Benfica só não chegou ao segundo golo no primeiro tempo por uma questão de azar, não que as ocasiões tivessem sido muitas, mas alguma displicência em alguns contra-ataques não o permitiram.

No segundo tempo Jesus mexeu na equipa e colocou Rúben Amorim a médio direito jogando na posição de Carlos Martins que descaiu para o meio face à saída de Aimar, pois o argentino não estava no máximo das suas capacidades físicas, apesar de ter estado em bom plano na primeira parte. E se dúvidas houvesse sobre como iria reagir o Benfica sem o seu número 10, Cardozo fez questão de as dissipar fazendo um golaço do tamanho do Estádio, depois de, nesse mesmo lance, ter ganho a enésima bola aérea aos centrais leoninos. Com dois golos de vantagem só muito dificilmente a vitória fugiria da Luz.

E se dois era muito bom, podiam ter sido três poucos minutos depois, com Coentrão a falhar na cara de Rui Patrício o 3-0 que mais que matar o jogo afundaria o Sporting e quem sabe quantos mais poderiam seguir-se. No entanto tal não aconteceu e foi mesmo o Sporting a conseguir algumas boas ocasiões fruto de um "tirar o pé do acelerador" por parte do Benfica. Liedson primeiro, com a mais escandalosa de todas, falhou um golo feito na cara de Roberto, num lance que ele nunca desperdiçaria há uns anos. Depois, em remates de longe, Postiga e Maniche colocaram Roberto à prova, que tremeu mas não quebrou, defendendo sempre a dois tempos. Face a esta superiorização do Sporting, o Benfica voltou a reagir e surgiu com mais e melhores ocasiões, por ventura as mais flagrantes do segundo tempo, com Cardozo sempre em evidência, colocando um chapéu a Rui Patrício que saiu ligeiramente ao lado da baliza leonina e depois num cabeceamento que passou ligeiramente por cima. No final, vitória mais que justa do Benfica que dominou o jogo, foi muito superior e, a haver mais golos, seriam para os da Luz, que, como disse, ainda desperdiçaram 4 ocasiões soberanas de golo (3 de Cardozo e uma de Coentrão, contra uma apenas de Liedson).

No plano individual, há que destacar pela positiva Cardozo, o homem mais deste Benfica. Hoje fez aquele que foi, muito provavelmente, a sua melhor exibição de sempre de águia ao peito. Também gostei bastante do "homem invisível" Javi Garcia e da ala direita formada por Maxi e Martins. Elogiar Coentrão seria dizer mais do mesmo, é claramente o melhor jogador da actualidade a actuar em Portugal. Pela negativa não há ninguém a destacar no Benfica, só queria fazer aqui uma chamada de atenção para dios magníficos empolamentos da nossa comunicação social a um par de jogadores ridiculamente banais: Carriço e Nuno André Coelho. Eles são a prova viva de que é possível ser-se elogiado mesmo sendo um incompetente.

Xistra esteve num plano razoável relativamente à técnica mas completamente desastroso no capítulo disciplinar, mostrando amarelos completamente exagerados e desnecessários a jogadores do Benfica (Fábio Coentrão, Airton, Peixoto, Luisão (levou, não levou?)), perdoando outros a Maniche, André Santos ou Liedson. Curioso é também verificar que todas as letras da palavra "artista" encaixam em "Xistra". E por falar em curiosidades, estou mortinho por saber qual vai ser a avaliação de Jorge Coroado ao seu cunhado.

Excelente vitória que pode relançar o nosso campeonato, seja ele qual for, contra quem for. Neste momento é difícil fazer uma previsão sobre o que pode vir a acontecer, o único que se pode antecipar são putativos cenários face a vitórias, empates e derrotas do Benfica. O que me parece é que, se no final do jogo no campo do cavalo marinho o Benfica não estiver a mais de sete pontos dessa equipa, pode perfeitamente lutar pelo título, mas até lá muita água correrá.

10 comentários:

Galaad disse...

Manuel,

Apesar de concordar com o conteudo, o seu comentério, expresso nos modos que foi, nunca poderia passar.

Abraço com selo do Tacuara

JNF disse...

Por favor... dizer que a culpa de termos perdido 3 pontos por culpa dos adeptos é do mais ridículo que já ouvi.

Galaad disse...

Referia-me á parte do Cardozo...

Galaad disse...

E continuo a dizer o que já disse na terça feira:

O Cardozo pode mandar calar os adeptos as vezes que quiser, de preferencia, 3 ou 4 vezes por jogo!!!!

MAMEM SAPOS!!!!

Manuel disse...

O Benfica é um todo, não é apenas os adeptos, os dirigentes, os jogadores ou os treinadores. Quem não entende isto, não entende nada!

Sim, estou convencido que as críticas feitas ao Benfica, em geral, e ao Roberto, em particular, por parte de alguns "adeptos benfiquistas", fazendo e ampliando o papel dos nossos inimigos, podem ter sido a causa directa e indirecta para termos perdido alguns pontos. Apesar das arbitragens escandalosas.

As vibrações negativas que se espalharam por todo o país, com a CS nas mãos dos nossos inimigos a dar eco delas, e a ampliá-las, prova isso mesmo.

É difícil de entender? Só para aqueles com défice de inteligência!

cadu1981 disse...

se ele fizesse isto os jogos todos...

JNF disse...

Entender é fácil, aceitar é que é ridículo. Agora passámos do nível de "a culpa é da arbitragem" para o nível "a culpa é de pseudo-benfiquistas". Está bonito, está...

Far(away) disse...

Excelente crónica.

Que seja o início da remontada!

Bimbosfera disse...

Começando pelo fim do post, não me doa a mim a cabeça até lá, ehehehe!
Grande análise. Sim senhor. Do que vi parece-me corresponder a 100% à verdade, mas, verdade seja dita, não vi tudo, estava a trabalhar ao mesmo tempo no computador, onde tenho estado ligado ao mundo, por não ter TV em casa...
A ver vamos como isto acaba! Gostei do pormenor, de classe, atenção, do cavalo marinho! Sim senhor!

Abraço

Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

Bimbosfera.blogspot.com

P.s.- Agora, por mim, Cardozo não tem desculpa. Se no momento não lhe tinha criticado nada, agora, por forma de uma redenção completa do que ele fez, contra o Hapoel, terá que continuar a marcar 1,5 golos por jogo, ser o melhor marcador do campeonato, e só desculpo mesmo, mesmo, se a aliar a isto formos bi-campeões, sim, porque a mim ninguém me manda calar, sobretudo se eu estiver calado!!! Ah, pois é!

VHugo disse...

Tivesse o Cardozo jogado assim na 3ª e teríamos dado 6 ou 7 ao Happoel!

Por mim está perdoado desde que continue a jogar assim e com a mesma entrega.

http://forcamagicoslb.blogspot.com/2010/09/tas-perdoado.html