quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Epístola de Vieira aos Sócios

É triste e de mau tom que se publique uma carta pessoal para que todos a possam ver, logo, como já se devem ter apercebido, não a coloco aqui. No entanto isso não me impede de analisar o que Vieira (ou quem fez o texto) escreveu e o que quis dizer, ou pelo menos tentou, até porque, pelo menos no meu caso, a mensagem não chegou por uma razão muito simples: não percebi qual era o assunto da carta, assim um pouco à medida dos discursos de Jorge Sampaio, lembram-se?

Foi bonito lembrar-se dos sócios, mas não tenho a certeza de que a mensagem da carta tenha passado. Há um misto de mea culpa e de erros de terceiros que são reconhecidos e analisados, algo de salutar e que, sinceramente, não esperaria ver. No entanto, qual era o principal objectivo da dita? Dizer que estamos a ser prejudicados e que sente muito? Ou apelar a que os adeptos não se desloquem aos campos adversários? Se foi a primeira, prefiro que em vez de falar com os sócios ponha pressão directamente em quem toma as decisões e é responsável pelas arbitragens e nomeações. E que os pressione publicamente. Não basta sentirem que o presidente benfiquista está zangado, têm de perceber que há seis milhões em Portugal que estão furiosos com o que se está a passar. Quero que, quando um árbitro entre na Luz, seja recebido de forma correcta e obviamente imparcial mas sinta o mesmo que sentem os nossos adversários: medo de errar, propositadamente ou não. Sem violência, mas medo. Se foi a segunda, apesar de já ter dito que não concordo, era melhor explicar em que medida é que não indo aos estádios dos adversários paramos de alimentar o Sistema. O quê, concretamente. Porque eu tenho uma ideia, mas não é a minha ideia que diz o que o presidente pensa. Ou se calhar até é. Se for, percebo, concordo, mas outros valores se levantam e por isso não a apoio. Se não for, não sei o que poderá ser. Mas era melhor ficarmos definitivamente esclarecidos.

P.S. Prometi que não falaria do presidente, mas tive de o fazer porque ele falou directamente comigo.

20 comentários:

Neisseria Gonorrhoeae disse...

Será que esses clubes pequenos alimentam o sistema, por apoiarem o candidato do FCP à presidência da FPF? ao invés do candidato do SLB, seja ele quem for, seara ou merdail. Se for essa a razão compreendo o apelo ao boicote nos jogos fora, no entanto, não acredito que seja a forma mais eficaz de convencer esses clubes apoiar o nosso candidato. Sim, porque se trata disso mesmo, do nosso, ou do deles. Não deveria ser assim no mundo do futebol, numa estrutura que se quer independente, mas a triste realidade indica-nos o contrário.

Abraço

Mr. Shankly disse...

"Sem violência, mas medo."

Medo de quê, então?

VHugo disse...

Meu caro JNF, não me parece que a carta tivesse sido pessoal!Será que passa a pessoal só por vir com o meu nome? O conteúdo é igual em todos. E o que eu também fiz no meu blogue nada mais foi do que mostrar ao mundo a vontade do nosso presidente, pois o Benfica não vive só dos sócios!

http://forcamagicoslb.blogspot.com/2010/10/tudo-uma-questao-de-portugues.html

JNF disse...

Mr. Shankly(1) e VHugo(2):

1 - medo de levaram à saída. Mas não devemos dar.

2 - Claro, eu sei que não era directamente para mim.

Anónimo disse...

Ou estamos unidos, ou estamos do lado do porco da costa , esta é a questão.

Anónimo disse...

Os Benfiquistas têm que ter consciencia que têm que estar unidos para enfrentar o polvo. Reservem as lutas internas para depois da decapitação do polvo da corrupção. té lá, cumpram as diretivas imanadas pela direcção do club. Viva o Benfica!

O GLORIOSO disse...

Caro JNF sinceramente não o percebo bem. Afinal quando o Presidente está calado é porque está calado com as vergonhas que desde o incio da epoca temos sido vitimas. Quando envia uma mensagem a todos os Benfiquistas (e não só) também não o deve fazer tem é que agir de outra forma. Em que ficamos?
Concordo que a forma de agir devia ser mais incisiva, mais acutilante com outro tipo de acções mas parece-me bem a mensagem do Presidente a qual como sócio subscrevo inteiramente.
Já aqui se abordou muito estas questões: Como mostrar a força dos Benfiquistas contra a vergonha do Sistema do Futebol Português? Na altura das varias ideias aquela que realmente poderia ter impacto no sitema e seus acolitos era a financeira. Já o disse o Benfica é o sustento do futebol português a todos os niveis, sem ele o sistema acabavaem 3 tempos. Os pequenos vivem á nossa custa, á espera do Euromilhões da epoca. A TV do Oliveirinha vive de quem? Os patrocinios querem quem?
Então não será uma medida forte os nossos adeptos faltarem e alimentarem os subitos do sistema? Não será essa uma medida com efeito? Basta ver o panico de todos, do parvo de Portimão á rasca sem o "abono" que pode fugir, dos paineleiros e comentadores aflitos com impacto directo no futebol, enfim pode ser essa uma forma de mostrar indignação.
O Presidente Vieira até poderá ter culpas na forma como tem conduzido principalmente a eleição do Gomes Corrupto na Liga, ou como a sua amizade com o Oliveirinha permitir sequer que o contrato da TV seja negociado (espero que a suspenção das negociações seja mantida para sempre) mas concordo e apoio plenamente a mensagem.

JNF disse...

Mais uma vez ficou provado que eu estou do lado do porco da costa. Sou um mauzão. Acordem para a vida, isto não é uma luta interna, faço aquilo que acho que é o melhor para o Benfica, como acredito que o presidente o faz, mas não vejo as coisas da mesma maneira, só isso.

JNF disse...

O GLORIOSO,

"Afinal quando o Presidente está calado é porque está calado com as vergonhas que desde o incio da epoca temos sido vitimas. Quando envia uma mensagem a todos os Benfiquistas (e não só) também não o deve fazer tem é que agir de outra forma. Em que ficamos?"

Já o disse e fui suficientemente explícito: deveria ter criticado publicamente as arbitragens tal como fez em Guimarães, mas antes (ou duvidam que se o aviso tivesse sido deixado antes, aquela arbitragem em Guimarães não tinha acontecido?). Quanto à mensagem que me enviou a mim e aos outros sócios (atenção, a mensagem foi para os sócios e não para todos os benfiquistas, a minha mãe não recebeu nada!) eu já disse que é positivo e que fez bem, mas o conteúdo da mensagem não passou para mim. São coisas totalmente diferentes, é uma questão de reler o texto que escrevi para perceber que em nenhum ponto eu digo que o presidente não deveria ter escrito a carta.

Quanto ao resto do comentário, concordo e já disse aqui no blog, anteriormente, que é minha opinião que essas medidas decretadas pela Direcção têm esse objectivo, mas, e agora é que é importante perceber isso, é minha opinião apenas, não vi ninguém dizer explicitamente que o que eu penso é o que eles querem. Só isso. Claro que temos de acabar com o Sistema, mas não acho que é apoiando o Major, sentando-se ao lado do Oliveirinha e emprestando jogadores ao Rui Alves que o vamos fazer.

Mr. Shankly disse...

"1 - medo de levaram à saída. Mas não devemos dar."

Eu percebi e concordo contigo. Mas eles já perceberam que não levam, portanto não têm medo.

Jotas disse...

Não só subscrevo, como tenho defendido o boicote aos jogos fora, mas com uam diferença assinalável, é que para essa medida ter impacto, o Benfica tem de trazer esses adeptos a verem um jogo na Luz sem custos acrescídos, para que na nossa casa haja sempre um Inferno e que aqueles que só têm a oportunidade de ver o clube uma vez por ano, nas deslocações à sua localidade, possam saber que o Benfica lhes poprociona uma vinda à Catedral.

jlopes disse...

Espero bem que os "jogos fora" seja o aquecimento para "não vamos renovar com a olivedesportos", espero bem!

Ontem estive precisamente a escrever sobre o tema, fica aqui um excerto:

"Os órgãos sociais do glorioso sugeriram as suas medidas, pode-se discutir a justiça de cada uma delas, no entanto a única medida que realmente terá impacto seria anunciar desde já que não iremos renovar o contrato dos direitos de transmissão televisiva com a empresa que sustenta o sistema, e que estamos dispostos a assumir o prejuízo financeiro se não conseguirmos outra solução que seja financeiramente boa, pois não nos enganemos o sistema existe porque existe um suporte financeiro, sem dinheiro o mesmo implode por si …"

Quem quiser ver a versão completa está no blog,
http://nok20.com/2010/10/13/gloriosamente-encarnado/

Bimbosfera disse...

Sem ler os comentários, vou dizer que concordo com uma coisa do texto, que a mensagem deveria ser mais crítica, mais incisiva, mais assertiva. Ou seja, deviamos «chamar os bois pelos nomes».
Agora, ainda sem ler os comentários, pergunto, de que serve contrariar a medida da direcção? Ainda por cima quando já os jogadores disseram compreender a mesma? Será que não é apoio não ter apoio efectivo? Será que ao verem que não há adeptos nas bancadas, que não sentem que os Benfiquistas estão com eles, ao apoiar o que o clube diz? Só lamento, sinceramente, que aqui, um blog onde tenho imenso respeito por todos os opiniadores, todos, haja dúvidas neste assunto, mais que qualquer outro, neste... Agora aos comentários.

Bom, já vi alguns dos pontos que eu acho serem defendidos, mas lamento que não haja a percepção clara de todos que não se pode ir, que é pela via do dinheiro que o Benfica vai acabar com o «polvo».

Vou começar uma lista, espero ser curto, mas é raro quando me entusiasmo:

1º - Sem dinheiro dos adeptos do Benfica grande parte dos clubes perdem percentagens consideráveis dos seus orçamentos para o ano todo. Creio que o Leiria teve 30%, sensivelmente, à conta da casa do Benfica, pois o resto são 500 gajos perdidos no estádio por jogo.

2º - Há a acrescentar que todos os clubes, agora, ou no passado, já tiveram ligações previligiadas com o Porto. É um dado assente, e até já nós as tivemos, quando eles começaram a usurpar o poder. É um facto, não é uma presunção.

3º - Mistura-se aqui uma coisa que apoia a mensagem do JNF, sobre a mensagem ser pouco incisiva. No caso da Federação o Benfica não deveria apoiar Madaíl, (o meu cognome para ele é «O Nojento») e ter o seu candidato próprio. Não se pode elogiar quem nada fez. Não se pode apoiar quem quer que as coisas continuem como estão, com o apoio das associações. (Ver excelente artigo do Gil Vicente no Coração Encarnado sobre isto!)

4º - Quem são os sócios das associações regionais? Os clubes. Se lhes faltar a «teta», «mama», Benfica, e se virem a acabar-se-lhes o poleiro nos clubes e depois nas assoociações, mais cedo ou mais tarde terão que se por contra o Porto. E no seguimento disto não votam Madaíl. Ou ficam como estão, mas sem dinheiro, ou com dinheiro dos nossos sócios e adeptos, mas mudam a face do futebol por cá.

5º - Oliveirinha e demais à conta. Se lhes faltar o Benfica, que é uma possibilidade real, os mais pequenos vão sentir nas contas também, faltando capital por aí.

6º - Volto à minha primeira pergunta, o que é ganhamos, efectivamente, para além de um apoio no jogo, em ir contra a medida da direcção? Ganhamos alguns sócios ou adeptos contentes por ir ver o jogo, ganhamos os tentáculos do sistema a rir-se por continuar, afinal, tudo na mesma, e ver que lá por sermos muitos não temos uma opinião junta, etc. Lá nisso dou os parabéns ao Porto. Podem não lhes dar directivas para os programas de televisão, mas lá que é tudo a uma só voz, lá isso é...

Acho que me consegui conter, ehhehhe!

Abraço

Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

Bimbosfera.blogspot.com

FelDriX disse...

Apesar de achar que deveremos seguir o que diz a direcção, acho que as medidas relativas à Olivedesportos serão as mais eficazes.

Os clubes mais pequenos contam pouco para isto, a não ser que alguém explique que de facto contam muito. Então vão-se virar contra o polvo? Têm menos uns euros mas continuam a sobreviver.

Como digo, acho que tem que haver impacto financeiro e esse só através da Olivedesportos. E não jogarmos a Carlsberg Cup, atingindo assim directamente os fdps da Liga.

Em termos políticos, apoiarmos incondicionalmente candidatos definidos pelo SLB para a FPF, Liga, Arbitragem, etc. Não haver cá coligações com porcos e clubes B. Barulho na imprensa, todas as jornadas, e divulgação fora das escutas, pagando-se a tradutores, a ver se alguém na FIFA tem tomates de investigar esta merda.

Resumindo, boicote aos jogos fora acho parvo. Mas é de respeitar, se a nossa direcção assim o pede.

Abraços!

JNF disse...

Ah, já percebi: nem sequer posso pensar em que esta medida pode trazer-nos mais dissabores que vitórias, ok. Registei.

Bimbosfera disse...

Caro JNF, não sabendo se é directamente para mim ou não, mas assumindo que sim, e pelo respeito que tenho aqui a todos os bloggers deste espaço, vou refazer a pergunta, pois andei sem net uns tempos, e posso ter perdido a resposta algures durante estes dias, pois agora não a vejo aqui, nem no post, nem nos comentários, sobre o que é que ganhamos mesmo furando a medida. Cada um livre de pensar o que quiser, e até posso mudar de opinião se vir as coisas fundamentadas de maneira que eu compreenda. Estou a falar totalmente a sério, sem tiques, sem gozos, sem nada, o que é que ganhamos em furar esta medida da direcção?

Abraço

Márcio Guerra

JNF disse...

Márcio,

não era dirigida particularmente a ninguém em especial, pois quando o faço ou dou uma resposta a alguém menciono sempre para quem estou a responder, como é o caso. E isso é visível nas caixas de comentários deste blog, refiro sempre para quem escrevo. Se não o faço, é porque se dirige a todos, a um grupo.

Mas já que a questão é colocada, o que importa saber não é o que o Benfica ganha caso os adeptos furem a medida, mas sim o que ganhamos em promove-la. Se amanhã a Direcção decretar uma sardinhada em Cinfães, a pergunta que eu ponho é "para quê?" e não "por que não não a realiza-la?". E é o que deve ser feito neste caso que debatemos.

Mas respondendo concretamente à questão, é simples: apoio. Apoio aos 11 que estarão em campo e que precisam dos adeptos para ganhar. Simples. É em campo que temos de ajudar os nossos jogadores. Porque a diferença entre o primeiro e o segundo lugares ou entre o segundo e o terceiro pode ser feita pelo 12º jogador. Se tantas vezes ao longo dos últimos anos assisti a adeptos dizerem que outros adeptos não apoiavam a equipa como deviam, por que raio parar de apoiar numa altura em que se apoia bem, em que precisamos e em que podemos ganhar?

Abraço

Bimbosfera disse...

Como é óbvio, caro JNF, respeito a tua opinião, que como já disse antes, muito valorizo, e acho que dá para perceber isso nos meus comentários quando cá venho. Creio ser o mais honesto e justo possível, mesmo que tenha opiniões contrárias.

Claro que é, ou até não, mas adiante, questionável uma sardinhada em Cinfães. Aliás, para além de não ser o mesmo tipo de situação, pois não implica nada para a justeza do futebol em Portugal, e mesmo pegando no caso, que compreendo que seja para ilustrar algo, e entendo a boa-fé nisso, mas que não ilustra, a pergunta pode sempre ser feita no sentido inverso, o que é que ganhamos em não ir. Se é pelo bem do clube, se o pessoal vai para pic-nics (eu não, que não gosto do Tony Carreira, mas adiante) do Modelo, também iriam, certamente, para uma actividade de cariz social, proposta pelo Benfica. Compreendo que sendo tu de Lisboa, presumo eu, que não quisesses ir ou que questionasses o porquê da Sardinhada ser em Cinfães, mas podíamos, portanto, colocar sobre o que é que ganhávamos em não ir. Eu podendo, mesmo não sendo fã de sardinhas, ía. Aliás, acho que neste momento, mesmo neste, até umas sardinhas com broa marchavam, mas isso deve ser a fome às 3h30 da manhã.
Creio que os argumentos que dei acima, e lamento ser tão extenso no que escrevo, e tentei ser mais sintético desta vez, corroboram bem a minha opinião. Se tiveres tempo de o fazer, tipo, contra-argumentar os mesmos, pesar os prós e contras da argumentação, com todo o gosto que se sentir que estou errado dou a mão à palmatória. Isso é a minha palavra de honra, pois nem é tanto honra, é mais o meu modo de ser, se me justificam de forma cabal, eu mudo de opinião para a nova e que me foi justificada. Preciso é de a compreender. E só com a falta de apoio dos sócios não compreendo.
Compreendo que os próprios jogadores já se puseram ao lado da direcção, eles mesmo, dizendo que apesar de não gostarem, mais palavra, menos palavra, que compreendiam e aceitavam a mesma.
Porque é que não se olha para isto do apoio como sendo apoio o não-apoio? Pode parecer confuso, mas não é. Os jogadores, ao verem que não há adeptos do Benfica no estádio, cerrarem os dentes, os punhos, e partirem com mais afinco para a luta.
E em nossa casa, Luz, aí sim, sermos TERRÍVEIS para os adversários, para perceberem o que é que os Benfiquistas podem fazer ao apoiar a equipa. O tal medo que falavas, mas em nossa casa. Na deles, medo da falta de receitas e tudo que disse no primeiro comentário. Mas gostava mesmo que rebatesses, se puderes, o que disse, para te entender melhor.

Abraço

Márcio Guerra

JNF disse...

Eu podia, como dizes, tentar rebater ponto a ponto os teus argumentos para tentar convencer-te da minha opinião, mas não o farei por duas razões: primeiro porque ia perder tempo a fazer uma coisa que acho impossível, tentar convencer-te a ti, que tens opiniões firmes; segundo porque a direcção acabou de se contradizer, tendo sido a emenda pior que o soneto.

Abraço.

Bimbosfera disse...

Boas. Já fui ver a notícia. Ainda assim espero, sinceramente, que o pessoal faça o que a Direcção pede.
Não pertenço a nada no Benfica, só um mero adepto, com um kit para pagar e tornar-me sócio, mas uma coisa digo sobre isto:
«Queira Deus que não nos apedrejem o autocarro na ida ao Porto».
Não me lembro de mais nada, mas sinceramente, espero que isto tudo mostre um plano bem urdido, com o apoio do MAI, Ministério da Administração Interna, para colocar pressão em quem tem poder, e que as coisas sigam no sentido que devem ser feitas!
Seja como for, vamos lá ver o que isto vai dar, aliás, se for o que penso, não me importava mesmo que o Vieira dissesse precisamente aos sócios para só atenderem a este jogo.
Pode ser me mim, ou porque estou sugestionado para isso, ou porque quero que assim seja, mas sinto um plano por trás disto tudo. Pode ser de mim, lá está!

Abraço

Márcio Guerra