segunda-feira, 4 de outubro de 2010

In your face!


Na do Braga, na de Domingos e na de Duarte Gomes, que até equipou da cor de quem lhe paga. Vitória categórica do Benfica num jogo nem sempre bem jogado onde houve cabeça, coração e razão. Com a margem de manobra cada vez mais reduzida, o Benfica consegue uma vitória importantíssima e fecha assim um ciclo de três jogos muito complicados (Sporting em casa, Marítimo fora e Braga em casa) com nove pontos, mantendo-se na corrida pelo título, passando de décimo quarto para segundo classificado num piscar de olhos. E há jogadores que dão mostras de melhorias significativas. Ainda vamos a tempo.

À hora a que escrevo, a esperança é redobrada: o Porto perdeu pontos e desta forma o Benfica aproximou-se do rival directo na luta pelo título, tendo um calendário até final de Dezembro bem mais fácil do que o dos azuis-e-brancos. Da mesma forma que disse anteriormente, em Agosto, que o arranque de campeonato seria dificílimo pois o calendário era muito complicado, agora temos razões para estarmos mais confiantes. Mais confiantes mas com acrescidas responsabilidades, não podemos escorregar, até porque é com as equipas mais pequenas que se perdem campeonatos.

Mas falando do jogo, o Benfica, com a curtíssima margem de erro que tinha, entrou em campo decidido a mandar na partida, carregando sobre o Braga desde o primeiro minuto. Ao contrário do que se passou em outros campos onde jogou mais aberto, Dragão incluído, o Braga revelou mentalidade pequena, preferindo jogar para o pontinho, como fazem "n" equipas que vêm à Luz na esperança de saírem com um resultado positivo. A estratégia bracarense deu frutos, mas apenas até ao intervalo. O Benfica foi, durante a primeira parte, a única equipa que procurou de forma constante e sistemática o golo, tendo algumas ocasiões, como uma de Kardec, num remate colocado, apertado e sem preparação, uma de Martins, a remate forte após pontapé de canto, , Luisão também teve a sua chance e até Moisés ia facturando para o Benfica. Roberto foi chamado a intervir por uma vez, e que intervenção, com uma sapatada a defender uma bola com selo de golo, que poucos guarda-redes do nosso campeonato defenderiam.

O Benfica, que havia terminado a primeira parte por cima do Braga, começou o segundo tempo de forma irreconhecível. Foi o Braga a dominar territorialmente e a aproveitar alguns erros crassos da nossa equipa. Voltámos do balneário sem ideias, zero, demos os primeiros dez minutos ao Braga. Mas a partir daí... voltou o rolo compressor. Não em termos de resultado, mas até final da partida só deu Benfica. Mais segurança, muita bola no meio-campo adversário e o Benfica ia crescendo de minuto a minuto. E eis que numa jogada de génio de Saviola, ele que esteve horrível durante o jogo, falhando inclusivamente um golo certo, o pequeno argentino assiste Martins na perfeição depois de uma desmarcação de génio, e o médio encarnado, após recepção orientada, remata forte para o canto da baliza, sem hipóteses para Felipe. O mais difícil estava feito, tanto sofrimento mas o golo tinha finalmente chegado. Restavam 15 minutos e havia que segurar o resultado.

Dizem que a melhor defesa é o ataque. E foi seguindo esta máxima que o Benfica segurou jogo no meio-campo adversário, dispondo de muita posse de bola sem que os bracarenses conseguissem chegar à nossa área. Apenas nos últimos cinco minutos de tempo útil, aos quais se acrescentam os incríveis seis (!) que Duarte Gomes concedeu de compensação, o Braga esteve mais perigoso, com alguns remates pontuais e uns pontapés-de-canto mas sem perigo efectivo para Roberto. No entanto, foi novamente o Benfica quem esteve mais perto de marcar, nomeadamente em lances de contra-ataque, com Salvio a demonstrar-se displicente e Coentrão a perder no um-para-zero com Felipe. O jogo chegava ao fim com vitória benfiquista por 1-0, o mesmo resultado da época transacta.

A sete pontos do Porto, sete é o número mágico. Sair do Dragão com sete ou menos pontos de desvantagem deixa o Benfica com hipóteses reais de conquistar o título. Vamos ver, faltam dois jogos até lá e por agora é fundamental ganhar esses mesmos jogos. Concentração e profissionalismo já em Portimão, daqui a três semanas, para que não suceda o que aconteceu em Dezembro último no Algarve. Profissionalismo!

8 comentários:

lp disse...

O Carlos Martins é simplesmente um Deus!!! Porque é que só cá tá há 3 anos?? Devia estar connosco desde sempre! Aquela sua garra, vontade, querer! Dá gosto ver jogadores assim com o Manto Sagrado!

Anónimo disse...

Grande Benfica! Grande capacidade de luta! Entrega! ... Assim SIM ! (P.S. O Braga está muito fraquinho também....)

Anónimo disse...

Grande Benfica! Grande capacidade de luta! Entrega! ... Assim SIM ! (P.S. O Braga está muito fraquinho também....)

Toneca disse...

ontem demonstrámos vontade, determinação e com o pensamento único na vitória. só marcámos 1? contam os 3 pontos na mesma! Benfica até debaixo de água.

PS: o Kardec confirmou ontme ser alternativa... a fazer dupla com Cardozo, joga melhor a 2º que fixo lá na frente!

troza disse...

Concluída a primeira parte da recuperação (ficar com mais vitórias que empates+derrotas), agora é ganhar todos os jogos inclusivé no Dragão para o campeonato poder ser uma realidade.

Bom bom, era mesmo a vitória do Guimarães hoje para que o Porto passe a paragem do campeonato com preocupações...

helderrocha disse...

espero que esta jornada fikemos em 3!

VHugo disse...

Eu ainda acredito, mas a segunda volta promete com sporting fora, marítimo em casa e braga fora!

http://forcamagicoslb.blogspot.com/2010/10/nunca-pensei-dizer-isto.html

PB disse...

JNF, não sou. Nunca estive nesse forum. Apenas comento em alguns blogs.