domingo, 13 de fevereiro de 2011

"Show Dji Bola"

Na melhor exibição de época, com nota artística, o Benfica massacrou autenticamente o Vitória de Guimarães num jogo em que mostrou um caudal ofensivo brutal, qual rolo compressor, foi um autêntico Boeing a atropelar o sinaleiro na pista de aterragem. Foi uma exibição, a meu ver, melhor que a maioria das protagonizadas no ano passado, quando fomos campeões. Foi um autêntico massacre, um hino ao futebol. O Benfica conseguiu assim a 16ª vitória consecutiva, estando num momento excelente para enfrentar o compromisso europeu que se avizinha, algo que era impensável em Dezembro.

O Benfica beneficiou, em muito, da excelente condição física dos seus jogadores. Uma coisa é conseguir atacar e dominar o jogo durante 90 minutos, outra é fazê-lo em alta rotação sem dar espaços ao adversário e ter a baliza deste sempre no olhar. Luisão e Sidnei foram intransponíveis na defesa e lançaram o ataque de forma rápida e inteligente, com maior destaque para o camisola "27". Maxi Pereira voltou numa forma incrível, incansável, fazendo o corredor direito como uma locomotiva. Juntamente com Salvio, fizeram a cabeça de Bruno Teles (bem fraquinho, ele que chegou a ser falado para o Benfica) em água. Do outro lado, à esquerda, foi sobretudo Coentrão a assumir as despesas de jogo, com Gaitán muito desinspirado, como vem sendo hábito. Apesar de se perceber que o argentino tem talento a rodos, falta-lhe ainda alguma confiança e mais garra para ganhar mais lances, mas a qualidade está lá, vê-se ao longe. A subida de forma de Javi Garcia também contribuiu para que o Benfica conseguisse atacar mais, uma vez que o espanhol foi muito importante na recuperação da bola ainda no meio-campo vitoriano, sem esquecer os sprints que fez para acudir a defesa, sempre muito importantes. Aimar é mais que um número dez clássico, com Jesus ele ataca e defende como poucos, a sua inteligência é notória quando se posiciona, corta, lança o ataque, conduz a bola ou indica o posicionamento aos companheiros, sou um privilegiado em ver Pablito com a camisola encarnada. O fabuloso trabalho entre linhas de Saviola também tem de ser valorizado, uma vez que El Conejo conseguiu abrir espaços na compacta defesa vimarenense, e há que destacar também pela positiva o bom jogo de Cardozo que, não obstante a grande penalidade falhada, rubricou uma exibição muito conseguida, ao conseguir descer no relvado e ajudar o meio-campo a construir jogadas de ataque.

Três a zero ao Vitória de Guimarães é um excelente resultado, mas face ao volume de jogo criado pelo Benfica, o resultado é lisonjeiro para os vimarenenses. Cinco ou seis a zero não chocariam ninguém, tal foi a avalanche encarnada para tão pouco Vitória. Foram bolas ao poste e à barra, defesas de Nílson, cabeceamentos e chutos a rasar os ferros, um golo mal anulado e outro que deixa imensas dúvidas, o Benfica poderia ter dado uma cabazada histórica à equipa de Manuel Machado, mas ficou-se pelo recital de futebol, com nota artística, somando assim a 16ª vitória consecutiva.

Na próxima jornada há a deslocação a Alvalade, num jogo em que as contas do segundo lugar podem ficar definitivamente arrumadas, apesar de, para mim, já estarem. Contaremos com Coentrão, Luisão, Jardel e Salvio, que estavam em risco de verem o quinto amarelo, e face ao que tenho ouvido e lido, teremos uma boa moldura humana vestida de vermelho no campo Grande. Prepara-se a invasão ao terreno do Sporting com a certeza da vitória. Espero é que não se esqueçam que, para ganhar, é preciso respeitar o adversário, o que nem sempre acontece nestas situações.

6 comentários:

Anónimo disse...

Por favor vamos passar a mensagem e fazer ver a toda a gente a agressão de bellushi ao árbitro !

FireHead disse...

O problema é que a merda azul e branca continua também a ganhar...

Anónimo disse...

"O Benfica não tirou o pé de acelerador, marcou mais duas vezes (nenhuma valeu pois Cardozo estava fora de jogo, primeiro e Saviola terá tocado a bola com a mão depois) e viu ainda o paraguaio Oscar Cardozo falhar uma grande penalidade."

in A BOLA

Cardozo fora de jogo? Mão de Saviola?

antlpereira disse...

Excelente exibição com todos os jogadores empenhados e a praticar bom futebol... o Machadio livrou-se de uma mão cheia... Agora, com mais força mental, temos que abordar a Europa com a mesma determinação e não nos deixarmos amolecer, afinal é agora que temos que levantar voo, rumo a outras paragens, mais consentanias com a nossa grandeza e valor...

Carlos Alberto disse...

É uma questão de joanetes.

1º era o joanete do Cardozo que estava off-side,

2º O braço do Saviola estava no joanete deste. É ilegal, convenhamos se fosse permitido isto ainda veríamos árbitros com 2 olhos na cara e isso não pode ser...

Jotas disse...

Foi deslumbrante o público, a exibição de gala, a qualidade dos golos, numa noite de pura sinfonia a que assistimos na Luz, nem um árbitro que se entreteve a anular golos faltou.