terça-feira, 15 de março de 2011

Miguel Vítor vs. Roderick Miranda

Miguel Vítor e Roderick Miranda são os dois defesas centrais mais mediáticos oriundos da formação do Benfica nos últimos anos. Jogadores com um percurso tão semelhante e que opiniões tão diversas conseguem gerar entre os benfiquistas merecem ser analisados.

Miguel Vítor iniciou a sua carreira como médio-defensivo e cedo despertou o interesse do Benfica quando ainda muito novo (11 anos, penso) representava o Torreense. O jovem de Ponte do Rol foi aposta regular desde o início do seu percurso nas camadas jovens, mas com a ascenção aos juvenis e depois aos juniores, mais que um mero jogador, tornou-se uma referência, assumindo-se como líder e capitão de equipa. Foi lançado a titular pela mão de José Antonio Camacho com 18 anos acabados de fazer, num sempre difícil Benfica x Vitória de Guimarães. Ao primeiro corte conquistou os aplausos dos mais de 55.000 adeptos que nesse dia foram à Luz, tendo arrancado uma boa exibição. Nesse mesmo ano jogou em Copenhaga, na Choupana e em Milão, sempre em bom nível, para surpresa de tudo e todos. Acabou por ser emprestado ao Aves, para rodar e ser opção com maior frequência. Na época seguinte, com Quique ao leme, foi opção regular tendo actuado em 22 jogos oficiais, algo que para um jovem defesa central português de 19 anos vindo das escolas do Benfica é tudo menos normal. Mas com a passagem de testemunho de Quique para Jesus, o treinador português deixou de apostar em Miguel Vítor, que cedo percebeu que estava apenas a fazer número, não tendo feito mais de 300 minutos em toda a época. Acabou por ser emprestado ao Leicester City.

Roderick Miranda tem um percurso curiosamente semelhante ao de Miguel Vítor. Iniciou-se no Odivelas e o seu talento foi rapidamente reconhecido pelos olheiros do Benfica, tendo chegado ao clube na época 2000/2001. Começou como médio defensivo mas recuou para central à medida que foi avançando na sua formação. Estreia-se na equipa principal do Benfica ainda em idade de júnior, aos 18 anos, mas já relativamente conhecido, mais que não fosse pela sua semelhança física com Mozer e pelo golão marcado ao FC Porto na fase final do campeonato nacional de juniores. E a sua estreia calhou logo numa prova europeia, frente ao AEK Athens, tendo feito uma exibição extremamente segura, mostrando uma qualidade de passe e leitura de jogo surpreendentemente boas para um jovem da sua idade numa estreia. Fez apenas mais uma aparição nessa época, frente ao Guimarães para a Taça da Liga e nesta temporada jogou em 3 partidas oficiais.

Sinceramente, penso que temos aqui dois jogadores com características totalmente diferentes mas que, com trabalho e determinação, podem chegar muito longe no futebol.

Cai-se no erro de dizer que Miguel Vítor é um jogador baixo. Nada mais errado. Com 1,83 metros, é apenas 2 centímetros mais baixo que Sidnei, tendo a altura de Otamendi, Polga ou Carriço, sendo mais alto que Cannavaro ou Córdoba, eles que foram dois dos melhores centrais do mundo no seu tempo. Entroncado, forte, soube desenvolver o seu físico para adaptar-se ao futebol de alta competição. Não sendo um portento técnico, o seu profissionalismo, várias vezes elogiado por Quique, e a sua determinação e concentração durante os jogos, fizeram com que Miguel Vítor se conseguisse afirmar no clube e que não tremesse nem na estreia nem nos jogos de maior dificuldade. É difícil lembrarmo-nos de uma exibição menos conseguida do camisola "28". Para mim, neste momento, face à irregularidade de Sidnei, seria o titular ao lado de Luisão se cá estivesse. E não é por ser português, das escolas do Benfica, etc. É por ter qualidade, qualidade essa que ainda não foi (será no futuro?) reconhecida por Jesus.

Roderick é extremamente diferente de Miguel Vítor. Bastante mais alto (1,91m) e mais esguio, ainda não tem o físico que lhe permite ir ao choque, algo que vai precisar na sua posição. Continuo a achar que tem imenso talento, mais até que Miguel Vítor, mas precisa de o desenvolver, bem como os aspectos físicos e a agressividade, pois ainda parece algo "mole" dentro de campo. Ao contrário do jogador lançado por Camacho, Roderick não tem sido feliz quando chamado para defender as nossas cores, protagonizando alguns erros de posicionamento e falhas de concentração que custaram golos ao Benfica. Não parece falta de humildade, mas sim de concentração. O que é certo é que, com a mesma idade, Miguel Vítor não dava as casas que Roderick dava, mas ainda não tinha um potencial tão grande quanto o que vejo em Roderick.

11 comentários:

Far(away) disse...

MV provou já ao mais alto nível no Benfica que pode ser opção real. Roderick não.

MV com a idade de Roderick, realizou excelentes exibições no Benfica, demonstrando uma maturidade invulgar para alguém com a idade que ele tinha. Roderick demonstra que tem ainda muito que crescer.

MV devia regressar na próxima temporada, embora não acredite nesse cenário, Roderick devia ser emprestado, com vista a jogar regularmente.

Mr. Shankly disse...

Concordo contigo. Miguel Vítor é mais maduro (tornou-se maduro mais cedo) e Roderick parece ter mais talento. Eu fazia o MV voltar e emprestava o Roderick.

Carlos Alberto disse...

Comparar MV com Polga ou Carriço é um crime. lol

O Miguel tem uma coisa muito melhor que o Rodrick: Humildade!

O Rodrick (se calhar pelo vicio trazido dos juniores) acha que é o novo Mozer e isso paga-se caro em alta competição.

Anónimo disse...

Na minha opinião são os dois bons jogadores. Miguel Vitor tem a vantagem de já ter pelo menos uma época feita no Aves e pelos vistos as coisa estão agora a correr bem em Inglaterra. Com a forma do Luisão, Miguel Vitor era titular ao lado do girafa. É diferente jogar a central ao lado do Luisão do que ao lado de Jardel, por exemplo.

Roderick está a passar por uma situação normal. Sai dos juniores e joga logo pela 1º equipa, numa posição onde o pequeno erro se paga caro. Está na idade de errar mais e por isso acho que devia rodar noutro clube. O Hélder quando veio do Estoril também tinha erros infantis, mas teve a sorte de ter o Mozer ao lado.

Tanto o Miguel Vitor como o Rodi, podem beneficiar do facto do Luisão em principio ficar no Benfica mais uns aninhos.

GNR

Tiago disse...

melhor só um misto dos dois...

se o Miguel tem concentração, análise, agressividade e simplicidade o Roderick tem altura, capacidade de passe longo e visão de jogo como grandes valias...

acho que os dois jogadores até se podem complementar numa dupla... mas para ser no Benfica o Roderick tem de crescer muito e devia rodar tal como está a fazer o Miguel Vitór.

Luis disse...

A forma como o Benfica defende com Jesus é bem diferente do que quando Quique e Camacho eram treinadores. Este modelo defensivo exige muito mais cultura táctica dos jogadores e a falta de experiência paga-se caro. Mesmo David Luiz por vezes metia a pata na poça e desposicionava-se colocando em jogo o adversário (claro que a sua capacidade física superior permitia recuperar para o avançado e anular a jogada).
Rodar um ano noutro futebol mais exigente do que ficar à espera no banco do Benfica foi uma excelente opção para Miguel Vitor (até porque supostamente David Luiz só sairia no final da presente temporada).
Manter Roderick no banco este ano só lhe fez bem, tal como fez bem a Miguel Vitor o ano passado. Para o ano Roderick vai rodar e vai ver que as ideias que Jesus coloca nas suas equipas são muito à frente comparativamente com a maioria da concorrência. E depois voltará mais maduro, mais experiente, capaz de interpretar melhor a exigência táctica que o Benfica coloca nos seus defesas.
Recentemente em Portugal, só Daniel Carriço mostrou maturidade suficiente para assumir a titularidade no centro da defesa de um grande tão prematuramente, Miguel Vitor e Roderick ainda vão mais do que a tempo, só é preciso paciência por parte dos adeptos e alguns "Jardeis" para preencher o plantel com alguma experiência que os nossos jovens ainda não possuem.

Cumps.

CP disse...

Para um benfiquista com quase seis décadas, essa questão da maturidade (ou da ausência dela) por parte dos centrais vindos dos juniores não pode deixar de suscitar alguma controvérsia. Num breve exercício de memória, lembro que Humberto Coelho, Eurico (que depois se passou para o Sporting, juntamente com o guarda-redes Fidalgo) e António Bastos Lopes (que posteriormente derivou para defesa-direito) foram jogadores que saídos dos juniores, praticamente pegaram de estaca na equipa sénior. Mas também me recordo de outros centrais, figuras que alguns técnicos e jornalistas rotularam de craques, que não passaram de figuras medianas ou mesmo medíocres. O elogio tem sido má sina, pois há quem que convença que se a imprensa diz que é craque, é porque é craque de certeza e então trata de mandar às malvas o trabalho, a concentração, a componente física e técnica, etc. é Quem não de lembra de Rui Bento (o pequeno Baresi, conforme lhe chamava Erickson), Paulo Madeira, Samuel, Valido, Nuno Afonso (o novo Humberto Coelho), Hugo Costa, ou seja, há um rol imenso de pretensos craques, internacionais nas camadas jovens, que se perdem. De "craques", a jogar nas mais diversas posições, saídos dos escalões jovens estamos fartos: João Coimbra, Bruno Basto, Kennedy, Pedro Henriques, Ricardo Esteves, João Vilela, Pepa, João Peixe, Edgar, Cavungi, Cadri, enfim, um imenso rol que não atingiu o patamar de qualidade esperado. A Rui Costa, bastou-lhe rodagem de um ano no Fafe. Paulo Sousa e Maniche também não tardaram a afirmar-se, mas o seu benfiquismo nunca existiu.A recuperação do Coentrão é indicativa e o despertar de Di Maria, é indicativa de que, nestes dois casos concretos - Miguel Vitor e Roderick -, JJ estará a fazer um trabalho honesto e que poderá, mais ano menos ano, dar resultados positivos. Mas isso também depende dos jogadores, da forma como se comportarem nos clube por onde passarem.

Anónimo disse...

Para mim, que nem sou benfiquista, parece-me que está ai uma boa dupla para o futuro.

Se calhar um emprestimo de ambos a um clube recem-promovido poderia fazer milagres na sua evolução.

ps - não me parece que o Otamendi seja tão alto. Ouvi falar em 1.78

Anónimo disse...

bons opinantes e boas dicas ! mas no resto tremos temos todos de apoiar estes jovens pois só assim eles amadurecem para o futebol ...

Com muito trabalho o Roderick ja se nota mais massa musculAR e o vitor com mais minutos nas pernas vão ser as nossas proximas [ nelson. e simão e o pinto] perolas ..
força miudos vamos la força benficaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa.

Miguel A. disse...

Concordo, Miguel Vitor seria titular de caras na nossa actual equipa ao lado do Luisão.Bem melhor que o Sidnei, que ao contrário da maioria dos benfiquistas nunca me convenceu nem iludiu (parece sempre demasiado mole, desconcentrado, sem agressividade, mal posicionado.

O Roderick tem potencial para poder vir a ser uma opção válida nos próximos anos mas se não é possivel ir evoluindo a jogar no SLBenfica, que o deixemos acumular minutos no proximo ano em equipa da 1ª divisão.

Já que falamos de centrais do SLBenfica importa também deixar uma nota em relação ao Jardel.Não tem qualidade para jogar no nosso clube. É para mim demais evidente. Demasiado lento, durissimo de rins, sem qualidade técnica. Numa equipa como o SLBenfica que joga sempre para ganhar, com a defesa alta na maior parte dos momentos do jogo um central com as suas caracteristicas nao serve.Que se desfaça este erro de casting já no Verão e que não se perca dinheiro!!

Carrega Benfica rumo a Dublin!!!

Anónimo disse...

(PENAJ) subscrevo o CP excelente post!