segunda-feira, 28 de março de 2011

O perigo dos estatutos do SL Benfica

[Adenda] Notas prévias face à confusão que se instalou:

1 - no decorrer deste texto irá encontrar a expressão "adeptos senis dos 25 votos". Veja a frase e o parágrafo em que está a dita expressão e veja a quem se refere. Adeptos do Sporting que votaram em Godinho Lopes.

2 - os adeptos burros de que falo no Benfica são aqueles que votam no candidato da continuidade por ser o da continuidade sem olhar a programas ou ideias, mesmo que tenha feito uma data de falcatruas e atirado o Benfica para a lama. Qualquer outra interpretação está errada.

Ao ver aquela palhaçada a que chamaram de eleições, como o José Eduardo dos Santos também costuma chamar, não pude deixar de pensar "e se isto acontecesse no nosso clube?". Já esteve bem perto de acontecer e poderá mesmo voltar a ocorrer no futuro.

Em alguns clubes de futebol, como sabemos, o sistema de votos não é igual aos das outras eleições comuns. No nosso caso, não havendo no plano teórico sócios benfiquistas de primeira ou de segunda, a verdade é que essa divisão é efectivamente feita pelos nossos estatutos. E como diria George Orwell, "todos os sócios são iguais, mas uns são mais iguais que outros". O facto é que nem todos os sócios têm os mesmos direitos no nosso clube, algo que me parece pouco democrático. E mesmo perigoso.

Como podemos ver nas eleições do Sporting, nem sempre o candidato no qual mais gente vota ganha as eleições. Porquê? Porque também há, pelos vistos, "sportinguistas mais iguais que outros". E foi isso que levou a que Godinho Lopes, o candidato da continuidade e da morte lenta e agonizante do Sporting, fosse eleito por um mísero número de votos que muito provavelmente foram conseguidos graças a adeptos senis dos 25 votos. E isto até poderá vir a acontecer, a médio-prazo, no nosso clube. Este sistema de 20 e agora de 50 votos que foi recentemente aprovado em AG é uma fantochada que visa perpetuar o presidente vigente num regime tipo ditatorial, onde os mais velhos (mais desinformados, mais avessos à mudança, mais burros em geral) votarão sempre no candidato da continuidade. Se um dia voltarmos a estar na lama, os velhotes elegerão sempre o atrasado mental que nos levou a esse ponto. É fundamental impedir que isso aconteça.

Nas eleições de 2000, se bem se lembram, a distância que separou Manuel Vilarinho de João Vale e Azevedo não foi assim tão grande. E porquê? Porque, uma vez mais, os mais velhos, os resistentes e avessos à mudança, preferiam continuar com o que já lá tinham. Vilarinho ganhou as eleições por dois motivos: o apoio de Eusébio e, sobretudo, a grande mentira da contratação de Mário Jardel. Sem isso, não teria ganho. O facto de provar que as contas estavam miseráveis, que o clube estava desportivamente e financeiramente na lama de nada serviriam porque os sócios dos 20 votos estavam incondicionalmente do lado de Vale e Azevedo. É fundamental acabar com este sistema anti-democrático, apesar de, como sabermos, esta ideia não agradar à actual direcção, que não só afastou recentemente figuras incómodas do seu caminho como também, não satisfeitos com os 20 votos, passou a dar 50 aos sócios com mais de 25 anos de filiação.

Pondo-se o problema de haver a remota possibilidade de adeptos de outros clubes se inscreverem como sócios do Benfica só para poderem votar nas nossas eleições e assim elegerem um cavalo de Tróia, que sistema poderíamos e deveríamos implementar? Na minha opinião deveria passar pelo seguinte:

- sistema de 1 sócio - 1 voto;
- apenas sócios com mais de 3 anos de filiação ininterruptos poderiam votar;
- criação de uma espécie de "Conselho Leonino" no Benfica que tivesse como única função poder derrubar um presidente eleito. Uma comissão de 5 ou 7 "notáveis", gente reputada, benfiquista sem qualquer espaço para dúvidas.

Se no Benfica os adeptos afirmam que não são mais benfiquistas que outros, então está aqui uma óptima oportunidade para demonstrar isso mesmo. Porque o valor da vida num clube manifesta-se pelo voto. E não há razão para uns terem direito a um e outros a cinquenta. O dinheiro gasto nas mensalidades não é justificação, porque o indivíduo que é sócio a pensar no dinheiro que gasta em quotas nem deveria sequer ser sócio. É um orgulho, não uma obrigação.

40 comentários:

João Tomaz disse...

Quando me encontrares no estádio, vem ter comigo para te apresentar uns 20 sócios do Benfica meus conhecidos com direito a 50 votos que nunca votaram no Vale. Vários "adeptos senis", como lhes chamas, são da minha faixa etária: 33 anos.
Este post está mau. E não é costume teu.
Repara bem nesta incongruência: Queres um "sistema democrático" ao mesmo tempo que defendes um conselho de 5 a 7 pessoas com a única função de poder derrubar o presidente...
-----//-------

O número de votos consoante a antiguidade valoriza a dedicação e ajuda a que o futuro do clube seja decidido por quem, provavelmente, melhor o conhece.

Mais desinformados? Informa-te primeiro.

Anónimo disse...

Comentário muito lúcido, que aponta claramente para um dos dois vícios dos nossos estatutos. O outro vício diz respeito ao exageradíssimo n.º de anos que um sócio deve ter para poder concorrer à presidência do nosso clube.
Nunca esqueçamos que esta regra foi aprovada para impedir que o José Eduardo Moniz pudesse concorrer...

patriarca disse...

Então se aquilo anda pelas vias da amargura nos OSGAS ainda querias implementar aqui no Glorioso Benfica "UM TIPO CONSELHO LEONINO" ????!!!
ISSO NUNCA !!!
Isso a acontecer é que era a morte anunciada do Maior Clube de Portugal e um dos Maiores do Mundo. Sou Sócio há muitos anos e concordor em "parte" com a não atribuição de TANTOS VOTOS a uma só pessoa, mas aquilo que referiste é ANEDÓTICO no NOSSO Clube.

Anónimo disse...

"a adeptos senis dos 25 votos"!?!? Para la com o insulto facil. Sou socio ha 22 anos e tenho 40. Moro em Berlim, desde ha 3, mas continuo socio pagante. Sempre me revoltei com os Benfiquistas ferrenhos de cafe, que passam a vida a falar do Benfica e Benfica, mas que socios...hmmm hmmm e ve-los porem la o dinheiro. Parece-me que esta e uma das poucas formas de premiar a minha (e de outros) "senilidade".
Saudacoes Benfiquistas.

Tiago disse...

os perigos da ideia um sócio um voto são muito mais nefastos.

o que é que impede pessoas com dinheiro tomarem de assalto um clube nessa situação? é que fazer à martelo 10 mil sócios para votarem e mudarem umas eleições com base no voto comprado não seria nada difícil...

Mário disse...

3 anos é pouco, por mim seriam 5 anos para até se poder votar.

Anónimo disse...

Caro JNF, concordo com a opção de 1 sócio=1 voto, e que tivesse um numero minimo de anos como associado. Já não concordo com 3 anos de sócio. Parece-me pouco. Sendo um mandato de 3 anos, que eu acho que deveria passar para 4/5, o numero minimo de filiação devia ser o numero de anos de um mandato+2, por exemplo.

Também não concordo com a criação de um conselho. O que são notáveis?? Os que aparecem na comunicação social??? Os que têm mais anos de sócio??? Os que têm profissões ditas "nobres"??? Os que têm mais dinheiro??? Os que já foram presidentes???

Desconheço, mas os estatutos se não permitem, deviam permitir que o Presindente da Assembleia Geral, eleito em eleições, podesse destituir uma direcção, com fortes motivos, claro está.

GNR

DeVante disse...

"José Eduardo dos Santos"?? Porquê ir tão longe se em Portugal há igual ou pior? Não ouviste o que Queiroz disse? Teve de ir para uma outra civilização para que lhe fizessem justiça...uma coisa que estava à vista de todos!!!

Olha, as eleições dos lagartos e dos tripeiros...é preciso ir tão longe???

Depois das explicações do Queiroz na TVI passei a percdeber o que acontecera a Kenedy em 2002 e o porquê de Viana ter ido ao mundial...e como Deus não dorme, ele personifica o maior flop do futebol português...

Um país com uma instituição que decide quando fazer, a quem fazer, como fazer, onde fazer, que recolhe as amostras, analisa-as, define e aplica os castigos...e vens falar em José Eduardo dos Santos...fodas!

Desculpa lá, um país onde as "personalidades" tem todas as imunidades deste mundo, onde uma parte do país vive da sua própria lei...um país onde um juiz se vende por dois bilhetes de futebol e um ex ministro por uma dúzia de robalos...éh páh...ainda por cima sendo um país europeu...sinceramente...

Pedro disse...

Vou passar por cima das bicadas das eleições que Vale e Azevedo perdeu... não me apetece discutir um dos momentos mais negros da história do SLB.

Facilmente somos levados a concordar com a ideia de um sócio, um voto mas quando pensamos um pouco na ideia rapidamente percebemos que um sócio um voto é algo que nos deixa desconfortáveis. E a prova é que tu defender que só sócios com três anos de filiação é que devem poder votar. Um clube de futebol não é o mesmo que um Governo ou Presidenciais. Num clube há muita emoção, há muita dedicação e há o perigo de sermos alvo de paraquedistas. A dedicação ao clube deve, no meu entender, ser premiada. A diferença de votos defende essa dedicação.

Se a diferença de votos como ela existe actualmente é a mais correcta é outra discussão.

Ter diferença de votos ou ter tempo minimo de filiação vai dar ao mesmo. Nestas alturas é preciso distinguir quem está sempre presente de quem só aparece agora sabe-se lá com que intensões.

JD disse...

Pois, vai ao encontro do que comentei no post anterior.

Algo de semelhante pode acontecer no nosso clube.

Sobre as antiguidades de sócio...não concordo que digas q os mais velhos são mais burros...há tanta malta mais nova completamente atrasada mental e manipulada...mas sim, são mais avessos à mudança.

Eu criava um escalonamento ligeiramente diferente.

1. Quotas pagas a partir dos 16 anos
2. Votação a partir dos 16 anos
3. 5 anos de sócio pagante (continuos) para poder votar
4. Até 5 anos 1 voto
5. 5 anos a 10 anos 10 votos
6. Mais de 10 anos 15 votos

É preciso não esquecer que hoje em dia, ao contrário do que se fazia antigamente, há muitos sócios inscritos à nascença, e que com 25 anos já vota com 50 votos...acho completamente errado. A antiguidade não devia contar antes dos 18 ou 16 anos.

PM disse...

Ao autor do Blog digo já que sendo sócio desde 86 não lhe admito que me chame de burro pois está a ver-se ao espelho.
Não sei a sua idade mas eu tenho 37 anos e com muito orgulho tenho o máximo de votos em eleições.
Tenha respeito por todos pois repito não lhe admito que me classifique como o fez.
Já agora em 2000 a vantagem de Vilarinho para Vale foi grande e ganhou em todos escalões de sócios até nos 25 votos.

Eduardo disse...

Bom dia
Apesar de vir aqui várias vezes, esta é a primeira vez que comento aqui!
Não concordo com a tua "vontade" de 1 sócio, 1 voto! Apesar de não me considerar mais benfiquista que o sócio que tenha somente um ano de associado, eu tenho, em 30 anos de vida, 28 anos de sócio do Glorioso, logo, tenho que ter mais votos que esse mesmo sócio! O teu "conselho leonino", de que notáveis falas? dos que se sentam à mesa dos presidentes para fazerem comunicados? E chamares de "mais burros em geral" a sócios mais velhos, com mais anos de "casa", que fizeram do Benfica aquilo que conheces... só te deixa mal! Pensa no que escreves! e Respeito por esses sócios!

Águia de Prata - Sócio 11.554 disse...

Peço imensa desculpa mas acho esta crónica lamentável.Faço apenas dois comentários:

1 - não entendo a obsessão com o que se passa no clube dos submissos falidos. Essa gente está sempre pronta para fazer tudo para nos destruir, com pactos secretos e roubo de jogadores (sabe o que aconteceu no verão de 93 quando nos levaram o Paulo Sousa e o Pacheco? Tem ideia do que os submissos falidos nos fizeram?.

Deixem-nos morrer à vontade, desprezo total com essa gente.

2 - se eu o insultasse tal como você insultou grande parte dos sócios mais antigos do Benfica.....velhos, mal-informados, burros...leia a sua crónica de novo, acho que se distraiu, você fala de benfiquistas, sócios que pagam quotas há trinta, quarenta, cinquenta anos, que inscreveram os filhos como sócios antes de estes estarem registados no registo civil! Utilize outros argumentos para defender a sua (errada!!!) teoria, e ainda quer um "conselho leonino"!!! Afinal propõe "sócios" que são mais "sócios" que os outros? Que baralhada....

madne0 disse...

Concordo, e subscrevo a 100%.

FoRNeiRo disse...

Bom post com comentários pertinentes. Apenas juntaria um ponto relativamente aos sócios correspondentes, pois embora possamos votar, o que nem sempre é possível noutros clubes, é-nos vedada a possibilidade de candidatura a cargos de Direcção... será isto justo? Será que a diferença nos valores das quotas é assim tão elevado que justifique esta medida?

Anónimo disse...

Concordo a 100%!
Aliás, penso não estar enganado quando digo que no Fóculporto, já existe o sistema do 1 sócio - 1 voto.
É das poucas coisas, para além de manobrar os árbitros, que reconheço competência ao Fóculporto. Os seus estatutos estão muito mais adequados para os tornar um clube competitivo e adequado à realidade vigente.
E acrescento: tem de se acabar com a fantochada da votação ser presencial. Então e os sócios que vivem à distância? Não votam? Isso não faz sentido num clube como o Benfica, que não é um clube regional, ao contrário de outros...
Mas continuo a achar que o grande problema do Benfica, no que toca a eleições é que na hora da verdade nunca aparece um candidato de jeito. Espero que nas próximas apareça alguém que consiga fazer frente ao LFV, e que não seja o JEM, que esse já sabemos qual o seu interesse no Benfica, nem os "Homens da Lapa" de Varandas e afins, que mais não são do que Damásios II e estão muito próximos de fazerem palhaçadas tipo JEB...
Ricardo Gomes

Anónimo disse...

o Godinho foi eleito pelos socios senis? não... o Godinho foi eleito porque houve batota... A "afinação" foi aparecerem 418 socios fantasma, mais 2000 e tal votos que apareceram do nada, e depois de um relato de um socio do scp dizer que viu pessoal a passar com sacos com votos... muita máfia..

Carlos Alberto disse...

Estás a brincar certo?

Anónimo disse...

Discordo totalmente. Sou sócio desde os meus 14 anos. Desde de pequeno que trabalho para ser eu a pagar as minhas quotas (visto a minha família não ser do Benfica). Sempre paguei, com muito sacrifício. A instituição Benfica é uma instituição opcional, não é como pertencer a Portugal e votar no nosso país. Como tal, quem optou e começou a pagar mais cedo deve ter direitos superiores aos outros.

JNF disse...

Um a um...

1 - João Tomaz
2 - patriarca
3 - Anónimo 09:03
4 - Tiago
5 - GNR
6 - De Vante
7 - Pedro
8 - PM
9 - Eduardo
10 - Águia de Prata
11 - Anónimo 14:35
12 - Anónimo 15:31

1 - Se vires com atenção, senis são os adeptos do Sporting, não chamei isso aos do Benfica. Chamei burros aos que votaram em Vale e Azevedo, isso sim, porque com o que já tínhamos visto, votar em VA seria uma autêntica... burrice. Acho que é um facto, mais que uma opinião, apesar de as pessoas se esquecerem de como estava o Benfica nessa altura.

Quanto ao conselho, funcionaria somente com esse objectivo, o de derrubar o presidente por duas razões: a primeira quando entendessem que tinha sido eleito um cavalo de Tróia (o que seria possível devido à inscrição de adeptos de outros clubes); a segunda quando entendessem que não haveria condições para a direcção desempenhar o seu papel (não teria dado jeito este sistema aquando da presidência de VA?).

O que dizes nos últimos parágrafos prova que, afinal de contas, os sócios não são todos iguais.

2 - Essa espécie de conselho seria para impedir que um Cavalo de Tróia tomasse o poder, só isso. O Conselho não poderia ter qualquer tipo de intervenção na gestão do Benfica. Era uma medida preventiva que, a meu ver, não prejudicaria a democracia e impediria que o clube caísse nas mãos erradas.

3 - Os adeptos senis dos 25 votos de que falei foram os que votaram no Godinho. Está lá, não inventem.

4 - Para isso serviria o tal Conselho. Impediriam que o cavalo de Tróia chegasse ao poder.

5 - Respondendo à última pergunta, que me parece ser a mais importante, pessoas com responsabilidade benfiquista no passado. Exemplos? Fernando Martins, Manuel Vilarinho, Humberto Coelho, José Augusto, entre muitos outros nomes possíveis.

6 - Não vamos comparar JES com os trafulhas de cá. É incomparável.

7 - Para isso serviria o tal conselho. Quanto a VA, não me vou alongar nessa discussão contigo porque já sei que é impossível chegar a um consenso. Respeito o teu ponto de vista mas sinceramente não consigo mesmo compreender como é possível defender quem ia afundar o Benfica de forma clara.

8 - Não são os sócios com mais votos que são mais burros. Isso não está lá escrito. São os mais velhos que votam na continuidade por ser continuidade mesmo que o indivíduo esteja a destruir o Benfica (o que já aconteceu). Gente que votou no Vale, que eram mesmo os mais velhos (facto).

9 - Ver a resposta 5. E obviamente que não são todos os sócios mais velhos. Se muitos contribuíram para a edificação do Benfica que conhecemos hoje, é importante não esquecer a quantidade de "miúdos" que ergueram o Benfica.

10 - Os sócios estão mal informados e são burros se votarem no candidato da continuidade só porque é o que lá está, mesmo se tiver feito um enorme conjunto de disparates, falcatruas, etc. Não interpretem mal, voltem a ler.

11 - Não sei se foi ou não, o que sei é que os adeptos mais velhos votaram mais no Godinho. Se houve falcatruas, não sei, mas até pode ter havido.

12 - Eu sou benfiquista por amor ao clube. Acho que o facto de gostar do clube há mais tempo que outro sócio não me dá o direito de ter mais votos.

Éter disse...

"Um sócio/um voto" é um sistema perfeito para qualquer grupo económico chinês, russo, americano, árabe, etc, gastar uma ninharia em kits sócio uns meses antes de umas eleições e tomar o Benfica de assalto.

CCabau disse...

A questão do número de votos daria uma discussão com pano para mangas!
Agora só se poder votar com alguns anos de sócio... não lembraria nem ao diabo! Que diabo de democracia que envergonharia por certo os mui dignos fundadores do clube!
Poderiam dar azo a que alguns paraquedistas tomassem de assalto o clube? Então se aceitam o paraquedista que lá está... porque não aceitar outro no futuro? Afinal qual o fim em vista por parte de Vieira nesta aberrante e perigosa alteração aos estatutos? Não foi afastar os seus (dele Vieira) incómodos duma possivel e próxima eleição? Quem é ele para mandar e tomar de assalto o clube? Não, não é só José Eduardo Moniz de quem era muiiiiitoooo amigo!!! mas só até que não se apercebeu de que este também poderia ser presidente... Há mais, Veiga, a quem jurou defender e amizade eterna...
Enfim, falar dos nossos vizinhos é feio e os nossos telhados já tem algumas telhas partidas!

JNF disse...

Éter(1) e CCabau(2):

1 - por isso é que existiria o tal conselho.

2 - O texto não é sobre Vieira apesar de ser óbvio o porquê da alteração dos estatutos: medo de Veiga. Agora, até que ponto Veiga é benfiquista... duvido muito. Muitíssimo. Mas nesta questão Vieria/Veiga ambos têm telhados de vidro, por isso nem vou abordar isso.

Éter disse...

Eu compreendo o que queres dizer com isso do Conselho, mas isso nunca resultaria no Benfica.

Repara que para os fanáticos de Vieira, os "notáveis" que hoje em dia questionam esta direcção são maus benfiquistas. Ao inverso, para os anti-Vieira, os "notáveis" que estão do lado do presidente são maus benfiquistas.

Um Conselho desse género no Benfica seria apenas mais um ponto de forte discórdia. Além de que, como tu bem sabes, os "notáveis" também podem ser comprados.

Pedro disse...

JNF, dás demasiada importância a um concelho de pseudo notáveis. Meia dúzia de tostões para cada um e ficavam no bolso dos tubarões...

José Eduardo dos Santos ou José Eduardo Moniz? Acho q é isso não é?

DMC disse...

Antes de mais FNF, os meus parabéns pelo post. É com estes temas controversos que com opinões opostas se chegam ao consensos sólidos.
Posto isto, acho que a razão está dos dois lados. Se por um lado quem lá está à mais tempo deve ter mais voto na matéria, por outro, o benfiquismo não se mede, senão não poderá aparecer um presidente/treinador jovem porque não tem antiguidade para estar e sentir o benfica. Sim, eu sei que estou a exagerar.
Acho que tem de haver um misto de uma situação (número de votos) e outra (a não discriminação).
Porque a gestão de LFV não é isenta de erros e pelo andar da carruagem não vejo como pode vir alguém concorrer com ele..
cumps
DMC

Anónimo disse...

Caro JNF

Desde já agradeço a tua resposta. Mas esta levanta outra. Os nomes que indicou são de grandes benfiquistas, não há duvida, mas e felismente, como eles á dezenas e mais dezenas. uns ex jogadores, outros ex derigentes, com excelente trabalho, outros, mais low profile, outros taxistas, etc, etc. Quem escolheria esses 5/5?

Talvez uma ideia, eu que estou contra: ex presidentes de direcção e da assembleia geral. mas assim estaria lá o Vale Azevedo, que, lembre-se, foi eleito democraticamente. Muito complicado.

1 abraço

GNR

Nota: Não pode haver temas tabus no nosso Benfica. Quando muito, temas controvérsos, onde a "multi-opinião" existe e deve debatida. Assim deve continuar

JNF disse...

dos Santos, não me enganei.

JediVermelho disse...

O actual sistema tem virtudes e defeitos. Mas pergunto: nas próximas eleições legislativas, os portugueses com menos 30 anos n terão os mesmos direitos que os de 60? Pois... É como td mais: se por acaso acontecer que um aventureiro seja eleito pela maioria, a culpa é de quem? Dos sócios! De mais ninguém! Que n souberam ler as propostas!

César disse...

Que valente disparate este post. Primeiro é democrático 1 sócio = 1 voto, mas depois só sócios com mais de 3 anos é que podem votar... Sem pés na cabeça esta democracia.
PS1: Sou o sócio 15446 do Benfica.
PS2: Tenho 28 anos de sócio do Benfica.
PS3: Tenho 28 anos de idade (se calhar sou mais novo que sua excelência).
PS4: Quando o Vale e Azevedo foi eleito não tinha idade para votar.
PS5: Não tinha idade para votar mas a minha preferência na altura ia para o Professor Luis Tadeu.

JNF disse...

Então assume-se que da actual forma também não é democrático, pois só os sócios com mais de um ano de filiação é que podem votar.

João Tomaz disse...

Mas nunca se disse que o sistema utilizado servisse para garantir democracia...
Este sistema reconhece e valoriza aqueles que são sócios e têm as quotas em dia há mais anos. É tão simples como isto.
Os que, qualquer que seja a razão, são sócios há pouco tempo, só têm que continuar a ser sócios e a pagar as quotas que a sua vez também chegará.

Anónimo disse...

JNF, se pretendes combater a tal tese do "todos os sócios são iguais, mas uns são mais iguais que outros", a criação de um órgão à imagem do Conselho Leonino vai logo no sentido oposto. Mesmo que eleitos num sufrágio paralelo, não deixas de estar a criar mais um conjunto de sócios acima dos outros sócios.

A questão dos votos é falaciosa. Eu consigo compreender a tua argumentação relativamente ao status quo, no entanto esta regra vigora para garantir maior intervenção a quem há mais tempo contribui para o Clube. E o teu último parágrafo, por muito romântico que seja (e eu até me considero um romântico nesta coisas da bola e das filiações clubísticas), não faz sentido. O voto no Benfica não é um direito garantido à nascença, é um direito garantido à data da inscrição como associado e suportado, precisamente, no dinheiro que lá pomos. Há muita gente que vai pouco ao estádio e quase não beneficia da vantagem de ser sócio. E porquê? Porque é no acto eleitoral que retira a vantagem de se ter associado ao Clube do seu coração. O reconhecimento do Clube a quem está sempre presente (mesmo que seja apenas na esfera financeira) parece-me mais que justo.

A questão etária, como já se foi referindo por aí, não se põe. Sempre tive 20 votos, terei agora 50. Tenho 31 anos de idade.

Para terminar: o problema dos lagartos não passa por o Godinho ter mais votos e menos votantes. Essa é a regra do jogo a que todos se propuseram participar. O problema está no número de votos ser superior aos garantidos pelos números de votantes. Alguém enfiou votos a martelo naquelas urnas. E isso é um caso de polícia, é fraude, não é um problema estatutário.

NT

Fox#27 disse...

O artigo levanta algumas questões que eu acho pertinentes:

1º, A opinião de um benfiquista com 20 anos de sócio vale mais que um com 5?

É para premiar o investimento e sacrifício, ouvi. Então alguém que terá "apenas" pago as cotas pode ter investido menos que alguém que, com menos anos de sócio, tenha assistido a vários jogos, logo gastando mais.

E será o esforço para pagar cotas de alguém pobre o mesmo de alguém com mais posses? Obviamente não. Não me parece que seja um critério justo.

2º Acham justo que, admitindo a diferenciação, haja uma opinião que valha 25 ou 50 vezes a opinião de outra pessoa? Parece-me absurdo.

3º Quais são as razões para se diferenciar votos?

Para evitar que uma eleição seja usurpada pela compra de votos.

Para isso eu preferia medidas como um nºmínimo de anos para se poder votar.

PS:

- Não diria senis mas mal informados e mais avessos à mudança. Têm a postura do "a mim não me enganam", logo desconfiam de todos, logo tratam todos por igual e são enganados à mesma.

- Haver opiniões mais importantes que outras, é só uma forma de atenuar a democracia.

Anónimo disse...

Uma ideia simples que resolvia o teu post, JNF.

Para evitar benfiquistas de ultima hora (e que sabe até não-benfiquistas), apartir do momento que se marcavam eleições os sócios registados apartir dessa data não poderiam participar nessas eleições. Não sei se me fiz entender...

De resto, não é preciso conselho nenhum... "o povo é quem mais ordena..."

RGC

JNF disse...

RGC,

actualmente, só os sócios com um ano de filiação cumprido é que podem votar. Essa medida já existe.

Águia Preocupada disse...

Como já alguém opinou, esta é uma discussão com pano para mangas.
Nas eleições legislativas e presidenciais, tanto valor tem os votos dos jovens de 18 anos como os maduros de 80!
Se nos clubes tem que ser diferente, então qual o critério para numa Assembleia Geral não haver qualquer diferenciação? Também só deveriam opinar os sócios que gozassem de algumas condições especiais, não acham?

Esse medo de intromissão de paraquedistas, parece-me estar à partida filtrado com a obrigatoriedade (penso que ainda existe) de um novo sócio ser proposto por outro sócio. Assim sendo, quem propõe um novo sócio, saberá qual a tendência clubistica do proposto, ou não será?

Anónimo disse...

Águia Preocupada, mas também há diferenciação e diferente distribuição de votos nas AGs. Nas AGs do Clube em função dos anos de associação (exactamente o mesmo método que nas eleições), nas AGs da SAD em função do capital que tens investido.

NT

Anónimo disse...

Não caro anónimo NT!
Nas AGs tem efectivamente diferentes numero de votos consoante os anos de sócio, mas só, repito SÓ, nas votações. Para se tomar a palavra e opinar sobre os temas em discussão, ninguém pergunta quantos votos tens...

Bimbosfera disse...

Grande tema que vou seguir com atenção, pois até hoje à tarde, digamos, era a favor de 1 sócio = 1 voto, mas devo admitir que na realidade não é uma democracia, pelo menos na adopção de voto... Ainda hoje o escrevi nos comentários no Record, que, se passarem, lá estarão a dar essa opiniõa, mas, sinceramente, ainda estou dividido, sobretudo depois de ler o que aqui foi dito!

Abraço

Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

Bimbosfera.blogspot.com e agora também Blog do Manuel