sexta-feira, 8 de abril de 2011

Tão perto

Dezassete anos depois, o Benfica está com pé e meio numas meias-finais europeias. Com todas as "peripécias" que esta época nos tem presenteado, nunca pensei que o Benfica, com todas as condicionantes, pudesse chegar tão longe na Europa. Mas estamos quase, quase lá.

Pela primeira vez na fase a eliminar, o Benfica não deu os primeiros 45 minutos de avanço na Luz como fizera contra o Stuttgart e PSG. A diferença foi notória. Apesar de bem organizado defensivamente, o PSV não conseguiu travar as investidas do Benfica, que soube esperar e gerir o jogo quando as linhas holandesas estavam mais fechadas e carregar sobre o adversário quando sentia que o PSV poderia ceder. Vitória da força, da qualidade e da inteligência.

A entrada forte em campo sugeriu que, impulsionados por 60.000 adeptos, o Benfica poderia partir para um grande jogo. Desde cedo que Saviola se mostrou com uma confiança ainda não vista esta época, que lhe permitiu arrancar a melhor exibição da temporada. O Conejo, sempre muito interventivo, atirou uma bola ao poste logo nos minutos iniciais e apareceu ora à esquerda ora à direita com muito mais velocidade que o habitual, a desbaratar a defesa holandesa. Não foi Saviola a marcar (o primeiro), mas sim o seu amigo Aimar, após jogada de entendimento entre Coentrão e Gaitán, com o camisola "10" a finalizar após falhanço de Cardozo, num remate a passar entre as pernas de dois adversários. Isto sim é o túnel da Luz. Salvio ampliou a contagem pouco antes do intervalo num golo de classe (toque de calcanhar) após mais uma investida de Fábio Coentrão. 2-0 ao intervalo era mais que justo para aquilo que o Benfica tinha feito e para o que o PSV não tinha feito.

No segundo tempo mais do mesmo, o Benfica voltou a entrar forte e cedo ampliou a vantagem em mais um lance de génio de Salvio, que rompeu a permeável defesa holandesa e bateu Isaksson sem hipótese de defesa para o sueco. Com 3-0 no marcador no início do segundo tempo, voltaram a surgir os fantasmas de Lyon. Conseguiria o Benfica manter o ritmo alto ou gerir o jogo em vez de quebrar e ceder física e mentalmente? A verdade é que não foi por quebra do Benfica mas sim por mérito do PSV, nomeadamente pelo seu médio defensivo Hutchinson, um verdadeiro poço de força e de qualidade, que começámos a sentir mais dificuldades. Primeiro foi Berg a isolar-se mas a ver Luisão tirar-lhe o pão da boca naquela que foi, provavelmente, a melhor defesa da noite, depois foi Coentrão in extremis a fazer o mesmo que o capitão de equipa e por fim foi a sorte a proteger as nossas redes num pontapé de bicicleta falhado por Lens. Com o crescimento do PSV, Jesus mexeu na equipa e tentou ganhar mais consistência no meio-campo, colocando Peixoto, e mais velocidade para poder sair no contra ataque ao colocar Jara no lugar de Gaitán. Mas os planos saíram logo furados. No mesmo minuto, Fred Rutten colocou em campo o jogador que, um minuto depois, devolveria o PSV ao jogo e à eliminatória, em mais um lance em que Roberto é mal batido. Os assobios voltaram, a intranquilidade regressou. Felizmente, para terminar o jogo na perfeição, já com Felipe Menezes em campo, Maxi Pereira (que jogo!) fez mais um pico de velocidade, aos 94 minutos, e serviu Saviola que fez a rotação e marcou um golo merecidíssimo. 4-1, excelente resultado, estamos com pé e meio nas meias.

Há toda uma geração de jovens benfiquistas que está a viver, pela primeira vez, este momento de uma meia-final europeia, que apesar de ainda não ser uma realidade, dificilmente escapará. Numa altura de domínio interno quase total do FC Porto, que se estende desde meados dos anos 90 até hoje, e depois de esses mesmos jovens terem assistido às vitórias do Porto na UEFA e na Champions, à final perdida pelo Sporting em Alvalade e até mesmo à chega do Boavista às meias de uma UEFA, chega agora a vez de o Benfica lá. Sinto que se está a fazer história. E sinto que poderemos fazer parte dessa mesma história. Com o nosso nome gravado a letras de ouro.

10 comentários:

Joga Bonito disse...

O que eu chorei na última meia final.

Que desta vez volte a chorar, mas de alegria.

Anónimo disse...

Sou do tempo da final com os belgas e, claro, da meia com o Parma.

Ontem, foi pena termos jogado com 3 jogadores a menos (Roberto, Gaitán e Cardozo), mas compensados com o quarteto defensivo (boa exibição de Jardel)o habitual monstro Javi Garcia, Aimar e Sálvio muito bem e a melhor exibição de Saviola esta época.

Para finalizar, uma arbitragem 5 estrelas, que espero que se repita nas meias com o Braga.

Ficarei muito frustrado se não chegarmos á final, com o Villarreal, espero.

PS: Alguem me pode informar se nas meias, os cartões amarelos são limpos??

GNR

Anónimo disse...

(PENAJ) Muito bom astral neste Post! Assim sim! Força BENFICA!!!!!!

JNF disse...

GNR,

sem certezas, os cartões não contam a partir das meias, ou seja, o próximo jogo, em Eindhoven, é o último em que se um jogador em risco levar cartão, é suspenso.

FireHead disse...

Também eu desejo uma final ibérica, ou seja, um Benfica X Villarreal. Primeiro porque a história confirma que nós vencemos as finais com os espanhóis (Barça e Real) e segundo porque o meu mundo acabaria se defrontarmos os corruptos do Porto e perdermos contra eles. É claro que, por outro lado, se lhes ganharmos na final de Dublin apagar-se-ia toda uma frustração por termos perdido o campeonato na Luz e também por causa de toda a carga histórica e de rivalidade (o que poderia se calhar conduzir a suicídios no país)... mas não, prefiro não ter de correr esse risco.
Como o Spartak não goleará o CRAC por 4-0 em Moscovo, só nos resta esperar que o "submarino amarelo" corte definitivamente o pio arrogante àquela escumalha. Quanto a nós, temos tudo para encontrarmos o Braga nas «meias». Com eles temos contas a ajustar e fico na expectativa de saber se a UEFA irá ou não interditar o AXA por causa das bolas de golfe...
Agora contra a Naval que jogue novamente uma segunda equipa para dar descanso aos jogadores fulcrais.

Vermelhusco disse...

Na ultima meia final chorei tanto e fiz tanta birra pelo Benfica ter perdido que fui posto de castigo. E o meu pai é do Benfica.

John Wakefield disse...

1- BANHO DE BOLA DO BENFICA

Grande jogo do Benfica. Por incrível que pareça e apesar de termos feito o 4-1, o resultado soube-me a pouco o que prova que o Benfica fez um jogaço. Domesticou completamente o PSV em todos os sectores. A defesa do PSV, mal era pressionada, não sabia o que fazer à bola. O Benfica não lhes deu chance! Se jogarmos assim até ao fim, creio que poderemos vencer qualquer equipa, até o fcp que pode estar melhor neste momento, mas como sabemos, não é uma equipa imbatível.

2- MELHORES JOGADORES:

É difícil seleccionar pois quase todos estiveram bem (excepto Roberto que infelizmente voltou a falhar mas temos que continuar a apoiá-lo).
-COENTRÃO foi o homem do jogo. 2 assistência e 2 cortes providenciais quando os jogadores do PSV se iam isolar.
-MAXI, que falta faz, o super-uruguaio (renovem com o homem, ele merece)! que tranquilidade!
-JARDEL, muito seguro! (Merece a titularidade neste momento pois Sídnei é um jogador que quando não está em boa forma, acusa muita intranquilidade e debilidade psicológica
- SALVIO - 2 golos e constantes desiquilíbrios (o segundo golo é uma delícia). O melhor, depois de Fábio Coentrão.
- AIMAR - Sempre a espalhar magia - QUEREMOS QUE ELE FIQUE MAIS 1 ANO!
- SAVIOLA - Um golo e constantes desiquilíbrios.


3- SLB - VILLAREAL - a final preferida para (quase) todos benfiquistas

FIREHEAD, também gostava de encontrar o Villareal na final, mas tenho muitas dúvidas. Gonzalo Rodriguez, principal figura da defesa do submarino amarelo, falhará o resto de época pois contraíu uma lesão grave. A equipa espanhola parece-me mesmo assim que é forte a defender, mas o seu meio campo (excepção óbvia ao Santiago Cazorla que é um excelente extremo) parece-me não ser tão bom como o do SLB ou do FCP.
Possuem ainda uma boa dupla - G. Rossi e Nilmar, mas Hulk e Falcão e Saviola e Cardozo parecem ser melhores. Mas tudo pode acontecer... e o Benfica deve concentrar-se apenas nos adversários e depois na final, logo se vê.

4- AINDA NÃO ESTAMOS NAS MEIAS - seriedade e humildade!

Nunca mais me esquece do ano em que o fcp ganhou a champions.
O AC Milan de Rui Costa, campeão europeu, tinha ganho, em casa, 4-1 ao Corunha mas depois, perdeu 4-0 em Espanha quando ninguém contava! E depois o fcp com um penaltie em Espanha passou à final da Champions!
Por isso, Benfica e fcp não podem lançar os foguetes antes da festa!

Anónimo disse...

Consultei o site da uefa e no que diz respeito aos cartões amarelos, artigo 22, não faz qualquer referência que os cartões sejam limpos.

http://pt.uefa.com/MultimediaFiles/Download/Regulations/competitions/Regulations/01/48/48/90/1484890_DOWNLOAD.pdf

Ontem os jogadores com cartões deviam ter levado outro para ficarem limpos para as meias.

GNR

JD disse...

Bem, correu bem, apesar das substituições do Jesus terem quase corrido mal. Sempre foram 15/20 min sem meio-campo...

Sobre o Roberto. Acredito que dentro de 2/3 anos será um guarda-redes de top. Tem 23 anos, e um guarda redes atinge o top aos 28/29 anos. Quando a malta se irritava com o Di Maria, eu olhava e pensava:" Só faz disparates, mas o puto tem ali qlqr coisa...". Em relação ao Roberto acredito da mesma qualidade "subterranea". Tenhamos nós coragem de mais uma época ou duas com o credo na boca e acredito que nos vai dar bastantes alegrias.

TC11 disse...

Completamente em desacordo na parte que fala do Saviola. Fez uma primeira época muito boa, isso sim, mas esta época a quebra de rendimento é notória. A irregularidade deste jogador fez-me perceber o porquê de não ter singrado no Barcelona ou Real Madrid. E ontem não foi excepção: foi irregular. Tirando a bola ao poste e o golo, o Saviola falhou muitos passes e mostrou um cansaço enorme.

Mesmo estando a criticá-lo, penso que o Saviola é um jogador indispensável nesta equipa.

Viva o Benfica