segunda-feira, 19 de março de 2012

Não há outra solução que não passe pela vitória

O Benfica defronta amanhã o FC Porto em jogo a contar para as meias-finais da Taça da Liga. Nos últimos 365 dias, os azuis-e-brancos venceram na Catedral por três vezes, tantas quanto o Benfica os derrotou em casa nos últimos onze anos. Humilhante. Nunca na nossa história tivemos um registo tão negativo contra o FC Porto. E, surpreendentemente, num fenómeno algo estranho (ou não), vejo alguns adeptos a desvalorizarem este encontro ou a pedir para entrarmos em campo com os suplentes. Não admito que haja um benfiquista a desvalorizar este jogo. E é fácil de entender por que motivo há tantos a retirarem importância a esta partida: não é por ser a Taça da Liga nem por termos um calendário sobrecarregado. É por medo, sim, medo em sermos novamente humilhados pelo Porto naquilo que eles chamam de "salão de festas" e que nós chamamos "Estádio da Luz". Mais que o acesso à final da Taça da Liga, vejo neste jogo uma prova de fogo ao orgulho do Benfica. Querer poupar é o assumir de todas as nossas fragilidades e é tomar a derrota como quase certa. Não pode ser. Não pode acontecer. Os benfiquistas, depois de tantas humilhações, deviam sentir-se feridos no orgulho e querer ganhar este jogo como se fosse a final da Champions. E mesmo em termos anímicos, para o que falta jogar nesta temporada, é fundamental ganhar amanhã. Entre o acreditar e o querer vai uma grande distância. Não preciso que acreditem, mas exigo que queiram. Sejam Benfica, por favor. Dentro e fora do campo.

7 comentários:

Anónimo disse...

1. Nem mais: é um jogo para ganhar! Para dar tudo em campo! É praticamente uma questão de honra!
Atrevo-me a dizer que quem ganhar este jogo tem mais hipóteses de ganhar o campeonato, pelo ânimo que uma vitória num jogo como este sempre dá e pelo desânimo que uma derrota provoca. Foi o que, em grande medida, aconteceu ao Benfica no ano passado: quando perdeu o jogo na Luz para o campeonato. O descalabro, a partir daí, foi total.
Houve alturas em que, mesmo perdendo o campeonato, o Benfica ganhava os jogos ao Porto em casa. As duas coisas são más demais. Temos de inverter o que sucedeu nos três últimos jogos na Luz.
É preciso um grande apoio por parte dos adeptos. Os adeptos não podem ficar na expectativa do que vai acontecendo em campo, têm de ser eles os grandes impulsionadores da equipa. Se num jogo como o da passada sexta-feira, em que o desnível competitivo era enorme, os adeptos foram incondicionais no apoio à equipa, porque não fazê-lo no jogo contra o Porto?

2. É preciso que o Benfica jogue como uma equipa e digo isto tendo presente o que aconteceu em Basquetebol para a Taça de Portugal.
Fomos derrotados na meia-final pelo Porto, quando temos melhores jogadores! Porquê? Porque não jogámos como uma equipa. Em Basquetebol ganhasse muitos jogos a defender de uma forma coesa. Foi isso o que fez a equipa adversária. A do Benfica pensava que ganhava o jogo apenas com as suas individualidades, sem ter de trabalhar a nível defensivo. Como se viu, isso só não chega.
O Porto que tem na sua equipa alguns jogadores portugueses que passaram pelo Benfica que os deixou ir embora. Isso é inadmissível!
O Carlos Lisboa foi um jogador muito acima da média. Curiosamente, os filhos dele, que jogam na formação, também parecem ser uns predestinados para a prática do Basquetebol. Está-lhes no sangue, como se costuma dizer. No entanto, como treinador, o Carlos Lisboa (que é uma pessoa de quem gosto) deixa muito a desejar. Não sei como não se chegou a essa conclusão quando ele treinou o Benfica pela primeira vez. Não se pode ser bom em tudo.
MM

mrmg disse...

Há quem acredite que vai ser uma arbitragem isenta. Eu espero para ver.

Há indícios que o frutas já se pôs à mão de semear...

http://aminhachama.blogspot.pt/2012/03/avram-noam-chomsky-renomado-lingista.html

A ver vamos

Et Pluribus Onum

Meias disse...

BORAAAA eu tou laaa, morte aos porcos!

Anónimo disse...

Boas,

excelente post, meu caro.
FORÇA SLB!

Abraços do 177329

Bicadas disse...

Boas,

É uma situação complexa.

A gestão adequada do plantel é essencial nesta fase da época. Basta ver que se o Benfica passar o Chelsea, um dos jogos da meias-finais da LC é apenas 2 dias depois do jogo com o Marítimo e que a alteração da data deste jogo é complicade se o Benfica for à final da TL.

No ano passado o porto abandonou a TL e recolheu grandes vantagens disso, o que ninguém disse porque na altura interessava chamar incompetente ao JJ porque a equipa estava cansada.

A questão essencial é a comunicação no interior do plantel e a forma como o JJ vai lidar com a pressão que está a sentir. Neste jogo a vitória é importante, mas o preço a pagar por ela também é. Vencendo fragilizamos o porto, mas os benefícios a recolher daqui não podem ficar aquém dos malefícios derivados do desgaste da equipa.

JJ está lá para decidir e a única coisa certa é que, seja qual for a opção que tomar, vai ser criticado por causa disso.

Cumprimentos

JNF disse...

MM(1) e Bicadas(2):

1 - Quanto ao Lisboa, partilho da mesma opinião em traços gerais, mas não posso dizer de minha justiça tão taxativamente porque ainda não vi um jogo do Benfica em Basquetebol este ano. Mas a impressão com que fiquei de Lisboa era a de um treinador sem capacidades. Não se pode ser bom em tudo, foi um jogador brilhante e parece ser um treinador fraco. É preciso não insistir no erro, por muito que doa a alguns.

2 - Por mim não será seguramente criticado, até porque nesse aspecto sou coerente. Quando rodou a equipa nos Barreiros para a Taça e perdeu, disse, após o jogo, e sem ter emitido opinião antes, que teria feito o mesmo. Da mesma forma que hoje digo: não há lugar a poupanças. Eduardo, Maxi, Luisão, Jardel e Capdevila; Javi, Witsel, Gaitán e Bruno César; Nélson Oliveira e Cardozo.

casino online disse...

Sem dúvida.. nothing else matters..

já os enormes diziam.. e mais que uma vitória é o impacto emocional que esta vitória terá ...

Força Benfica!!