sábado, 19 de setembro de 2009

Claques

Não simpatizo com as claques. Já o tinha dito, ou, pelo menos, dado a entender aqui no blog por mais que uma vez. No entanto, não quero com isto dizer que não reconheço o seu papel no apoio às equipas, nomeadamente no futebol. E quando se fala em futebol, diz-se, claro, Benfica. É precisamente sobre as claques do Benfica que versa este post.


Nascidos em 1982, fruto da união de um grupo de adeptos do 2º anel do velhinho Estádio da Luz, os Diabos Vermelhos foram a 1ª claque organizada do Sport Lisboa e Benfica, a segunda a nível nacional (a Juve Leo é a mais antiga). Os seus membros eram, maioritariamente, jovens, sendo o factor "novidade" fundamental para a formação e crescimento do grupo organizado. Localizados na parte norte do antigo Estádio, os Diabos foram, durante 10 anos, e a par do terceiro anel, a grande força de apoio dos jogadores do Benfica. Contudo, e numa altura em que a claque gozava de privilégios hoje não vistos, deu-se uma cisão no grupo que motivou a formação de uma nova claque, no topo sul do Estádio. Este novo grupo quis adoptar o nome da claque original, mas, estando este uma vez registado, ficaram "sem nome", daí a origem do epíteto No Name Boys. Com a ascensão deste novo grupo, deu-se o princípio da queda dos Diabos, que em determinada altura chegaram a ter menos de 100 sócios. No entanto, com o passar dos anos e entrada no novo século, deu-se um maior equilíbrio entre as claques, pese embora o maior apoio, ainda hoje, dos No Name. Ainda neste último jogo do Benfica, ao olhar para a esquerda vi centenas de adeptos com bandeiras à Benfica (finalmente!) e faixas de apoio com o lema do falecido Gullit, "Sempre Presentes"; ao olhar para a direita, mão vejo senão menos que 30 adeptos, esforçados, mas sem a força de outros tempos. No Estádio da Luz, os Diabos Vermelhos de hoje são uma amostra daquilo que foram. "Poucos, mas bons?" Sim, são bons, mas em número não chegam.

No entanto, para além dos tifos (coreografias), cânticos e faixas, as claques são conhecidas pelo lado da selvajaria. É frequente ouvirmos falar de confrontos planeados, tráfico de droga e armas, assaltos a gasolineiras e ligações à extrema-direita, entre tantos outros problemas. No Benfica, as claques não são excepção. O caso da morte de Rui Mendes, na final da Taça de Portugal de 1996 é um exemplo disso mesmo. Selvajaria. Não quero com isto dizer que todos os membros da claque são uns "animais", mas basta haver 10 que o sejam para haver 100 que os sigam. É assim mesmo. Há tempos, em Espanha, um jornalista com o pseudónimo de Antonio Salas infiltrou-se na claque do Real Madrid, Ultras Sur, onde permaneceu praticamente um ano, tendo saído desta assim que pôde. Após a saída, escreveu o livro Diario de un Skin, onde fala do tráfico de droga, dos combates planeados e ainda das ligações neonazis com as claques Brigadas Blanquiazules e Irriducibili, do Espanyol de Barcelona e SS Lazio, respectivamente.

Claro que os Diabos Vermelhos e os No Name Boys não são tão radicais como estas claques de Real, Espanyol e Lazio. Na Luz ou fora dela, no estádio ou nos pavilhões, as nossas claques desempenham o seu papel de apoio ao clube e aos jogadores, cantando, gritando, empurrando o Benfica à vitória. Nos últimos 5 anos, são menos graves e menos frequentes os acidentes com as nossas claques. Assim de repente, lembro-me de poucos episódios tristes: quando adeptos dos No Name tentaram subir do piso 0 ao piso 1 para agredir um adepto que lhes tinha puxado uma bandeira, isto após alguém da claque ter passado uns bons 20 minutos a exibir a bandeira, tapando a vista ao adepto; o caso das pedras na Academia de Alcochete, apesar de a culpa não ser exclusivamente da nossa claque; e ainda a história de um autocarro ardido, apesar de não se saber quem o fez, as suspeitas recaíram, claro, nos membros das claques. Ganham a fama...

Posto isto, o que fazer? Acabar com as claques? Há uns tempos, aqui no blog, um dos nossos habituais leitores, não me lembro se o Velho Estilo, o Do Sul, ou o Tiago No Name, disse quem sem eles, o Estádio da Luz parecia uma missa. Em parte, é bem verdade. Eu, por exemplo, não compreendo como é que muitos sócios não se levantam para cantar o hino do clube, argumentando que "o hino é para ser ouvido, não para ser cantado". Outra coisa que não entendo bem é a história da legalização das claques. E não entendo pelo seguinte: os dirigentes sabem quem lá vai, uma vez que as entradas são feitas com o cartão de sócio (e parto do princípio que os membros das claques são sócios); os adeptos, se não têm nada a temer, também não deveriam ter problemas em registarem-se. É normal que não queiram sentir-se controlados. Menos normal é querem ser ilegais à força, exibindo um pano com a inscrição "Sou ilegal e isso me envaidece". Ambas as partes hão-de ter as suas razões, mas já agora, gostaria de saber quais são.

Mas como dizia no parágrafo anterior, os jogos sem as claques seriam bem diferentes. Para melhor ou para pior, fica ao critério de cada um. Há quem diga que estaríamos na "missa", opinião de que partilho, mas se formos a olhar para o exemplo inglês, as coisas mudam de figura. Desde a extinção das claques inglesas que o futebol britânico passou a ser bem melhor. Mais que um jogo, é um espectáculo. Ouvir sócios ou simples adeptos gritarem "Glory, Glory Man United", ou entoarem o "You'll never walk alone", esteja o Liverpool a ganhar ou a perder, é simplesmente fantástico. Em Inglaterra, mesmo sem claques, penso que é unânime entre nós, benfiquistas, que estão lá os melhores adeptos do Mundo, que fazem da Premier League a melhor liga europeia. É uma questão de mentalidades: em Portugal, apoia-se a equipa quando ganha, mas sempre baixinho; em Inglaterra, canta-se e apoia-se do início ao fim, independentemente do resultado exibido no marcador. Estádios vazios por cá, estádios cheios por lá. É essa a diferença.

Acho difícil que tal cenário se verifique no Benfica, e por extensão em Portugal, mas seria certamente muito bonito. Para além da falta de qualidade do nosso campeonato, há o preço exorbitante dos bilhetes. Algum dia o Estádio Municipal de Leiria, com lugar para 30.000 espectadores ficará lotado num escaldante U. Leiria x Naval, com bilhetes com um preço médio de 15 euros? Nunca, meus caros, nunca. Mas já houve melhores tempos, mesmo por cá. Hoje em dia, em jogos para o campeonato, o Estádio da Luz enche por duas ocasiões: recepção a Sporting e FC Porto. Fora estes, as boas assistências verificam-se, geralmente, com o Vitória SC e com o Boavista, não esquecendo a primeira e última jornadas. Fora isso, raramente são atingidas marcas acima dos 40.000 lugares ocupados. Noutros tempos, como dizia, o Estádio enchia, ou andava perto disso, em quase todos os jogos. A força, sim, aquela responsável pelos "15 minutos à Benfica", não vinha das claques, que não existiam, mas sim do mítico 3º anel, pulmão do Benfica dos anos 50, 60, 70 e 80. Por apenas uma vez, na nova Luz, vi esse mesmo espírito, num infernal Benfica x Manchester United de finais de 2005, com golos de Geovanni e Beto. Nem com Porto, Sporting, Barcelona, Liverpool, Inter ou outros grandes clubes que defrontámos em jogos oficiais, se verificou tamanho Inferno, como foi esse jogo de Dezembro de 2005. Dantes, era regra, hoje, é excepção.


Por mim, o futebol não teria claques. Mas para isso acontecer, era preciso que, dentro do Estádio, todos os adeptos cantassem e apoiassem os seus clubes como as claques, ou os adeptos ingleses, fazem. O grande problema das claques é extra-futebol. Fora dos estádios.

Já agora, e aproveitando o facto de ter leitores dos Diabos e dos No Name, deixo-vos as seguintes questões, à espera de resposta. Por que é que os Diabos continuam tão afastados do Estádio da Luz? Por que é que os No Name mudaram radicalmente as bandeiras, para apenas bandeiras com símbolos do Benfica?

Por fim, uma sugestão para as nossas claques: parecendo que não, são muitos os Diabos e os No Name de norte a sul do país. Por isso, que tal um pouco mais de organização para marcarem presença com maior frequência nos pavilhões onde as modalidades do Benfica jogam, nomeadamente o pavilhão da Luz. Não foi a primeira nem será a última vez que vi jogos no nosso pavilhão onde não estava presente ninguém de uma claque. Como disse, anteriormente, não sou a favor das claques, mas este sentimento de que sem elas, o futebol não era a mesma coisa é ambíguo, sei disso bem. É estranho, mas é assim.

P.S. O que é feito de uma claque de apoio ao nosso Hóquei em Patins que surgiu há dois anos ou no ano passado (já não me lembro bem)? Já acabou?

15 comentários:

agent_smith disse...

Eu sou a favor das claques desde que seja para apoiar o Glorioso, as próprias claques têm de controlar os mais radicais e violentos, o futebol só tem a ganhar com isso.

O Benfica teve apenas sempre uma grande claque, nunca as duas ao mesmo tempo. Os DV já foram em grande nº e os NN eram quase residuais, agora é o inverso. É natural que uma claque que esteja mais pujante angarie mais facilmente mais membros.

Coluna D'Águias Gloriosas disse...

'Por que é que os No Name mudaram radicalmente as bandeiras, para apenas bandeiras com símbolos do Benfica?'

explica lá esta questão sff...

queres as bandeiras antigas?

não gostas de ver os Rapazes da Luz com com 20 ou mais bandeiras do Benfica?

eles mudaram e ainda bem!

evoluiram!

são benfiquistas, devem usar símbolos do Benfica!

os nossos jogos têm que ter bandeiras do Benfica.....

por amor de Deus não brinquem com esta situação...

o que é que tu pretendes com isto diz lá JNF....

D'Arcy disse...

Precisamente por serem 'ilegais', às claques não é permitido que levem para dentro do estádio faixas ou bandeiras com os seus símbolos, apenas com o símbolo do clube, como qualquer outro adepto pode entrar com uma bandeira do Benfica.

Eu, sinceramente, até simpatizo com a causa das claques no que diz respeito à questão da 'legalização'. Eles são, na verdade, todos sócios do Benfica. Como tal, o clube já dispõe de todos os seus dados pessoais. Como no meu caso. E eu não gostaria de ter que dar os meus dados pessoais e morada à polícia simplesmente por ir ao estádio apoiar o Benfica.

O apoio ao hóquei era dado pelos DV. Foi uma espécie de 'divisão de território', com os NN a adoptarem o futsal como modalidade de eleição, e os DV o hóquei. Tendo em conta que mesmo para apoiar o futebol, já são poucos os DV que se deslocam ao estádio, é natural que a sua presença no hóquei tenha praticamente desaparecido.

JNF disse...

Coluna,

Claro que acho que agora está melhor, não digo o contrário no texto, aliás, já tinha dito noutros blogues que não concordava com aquelas bandeiras todas e não haver quase nada do Benfica. Eu perguntei isto mesmo para saber qual a razão que os motivou. Concordo com o que fizeram em relação à mudança de bandeiras, não quero das antigas!!

Bruno Venâncio disse...

Eu concordo com a presença de claques se forem organizadas com um só objectivo: apoiar a equipa. Tendo em conta que muitas vezes não é isso que acontece (e não vamos branquear as coisas, a seguir aos Super Dragões os NN são do pior que por aí anda), por mim acabava-se com claques. NN, SD, a própria Juve Leo, para mim demonstram muitas vezes muitas e muitas atitudes próprias de selvagens e não de pessoas. Eu posso estar no estádio e gritar pelo meu clube e não fazer as nojices que a maioria das vezes se fazem no seio das claques. Nisso, penso que os Diabos ainda são os mais calmos, pelo menos não tenho registo de incidentes conduzidos por eles (até já foram vítimas dos NN, no tristemente célebre caso do incêndio da sua sede). Portanto, para mim, era acabar com as claques. Os adeptos podem organizar-se entre si, exactamente como acontece em Inglaterra, e seria um belo espectáculo à mesma assistir a um jogo de futebol assim.

redjan disse...

No dia em que as claques entenderem ... que podem criar músicas várias... a jogadores, à equipa quando ganha, quando precisa de marcar, etc ... cânticos para várias situações... e principalmente que se possam cantar sem derreter logo a garganta, assim ao estilo dos ingleses ..., quando as claques investirem nisso ( o que me parece que vem acontecendo nos últimos anos ) terão todo o Estádio a segui-los mal começem ...
E as letras bem que podem ir passando no écran antes dos jogos.... para os 65 000 irem ganhando rotina....

Coluna D'Águias Gloriosas disse...

ok amigo JNF,

vim de um casamento, estava meio toldado:) e pareceu-me que estavas a reclamar as bandeiras antigas que com toda a razão tu dizes que nada tinham a ver com o Benfica....

até me assustaste mas já passou eheh

se os 'Rapazes da Luz' continuarem com esta onda de termos bandeiras com o simbolo do Glorioso( isto têm que ser como o nome deste blogue, Eterno!) nos jogos em casa e fora digo-te uma coisa caro JNF...

vamos ser Campeões Nacionais de certeza absoluta!

e vamos passar a ganhar mais vezes acredita!

porque isto é o regresso da Mística!

o Aimar e o David Luiz fizeram declarações que não sabem bem porquê mas este ano os adeptos 'estão diferentes'....o apoio está diferente, a força que vêm de fora da parte do apoio do dos adeptos do Benfica está muito forte disseram eles.....

são as bandeiras do Benfica, é o regresso dos símbolos do Benfica aos nossos jogos.....

e os jogadores estão a sentir isso...

estão a sentir a 'força do Benfica'....

tu vai ao YouTube e tenta ver Finais da Taça de Portugal do Benfica nos anos 80....

está lá a força do Benfica....

centenas de bandeiras do Benfica....

impressionante quando a equipa entra e nos festejos dos golos...

aquilo era a Mística no seu esplendor...

que se perdeu nos últimos 15 anos....

que os Rapazes da Luz estão agora a recuperar e muito bem....

deste modo os 'Rapazes da Luz' devem ter o apoio total da direcção do Benfica...

pelo menos o meu têm......

saudações gloriosas

p.s quem não perceber isto que escrevi(não me estou a referir a ti JNF que ainda bem que preferes as novas bandeiras) não têm noção absolutamente nenhuma do que é o Sport Lisboa e Benfica e a sua força imensa...

redjan disse...

Coluna: em cheio !!!!!!!!!!

JNF disse...

Exactamente, redjan, no meio de tanta coisa que escrevi, esqueci-me de falar nas músicas. Uma coisa é insultar gratuitamente os nossos adversários, o que acho mal, especialmente por não acreditar que os nossos jogadores se sintam mais motivados por isso. Outra coisa é adoptar músicas estrangeiras, como o Horto Magico, do Panathinaikos ou o You'll never Walk Alone do Liverpool, ou então criar originais. Outra hipótese, como bem referes, são as músicas individuais, um hábito inglês. Mas isso fica para outro post, brevemente.

Anónimo disse...

Boa noite, é a primeira vez que venho a este blog, e deparome com alguem completamente desagradavel, n sou a favor de blogs mas tenho que comentar para mim voces adeptos da SPORTV, nao do benfica mas sim da sportv falam do que n sabem, pk ficam em casa e nao vao aos estadios, os NN e os DV nao podem usar a sua simbologia em casa porque nao estao legalizados, manteram as suas posicoes sobre essa questao, vivemos em democracia e nao em ditadura.

Xamem as coisas pelos seus nomes,
RAPAZES DA LUZ- NO NAME BOYS

BENFICA82- DIABOS VERMELHOS

falam que os diabos cada vez sao menos, ah altos e baixos, os diabos atravessaram fazes dificies mas com o tempo tudo se resolve, basta vontade tudo em prol de um benfica, um benfica(direcção) que não reconhece a importancia dos seus adeptos "ilegais".
Faça sol, chuva, calor, frio eles tao la sempre nas suas curvas.

Falam aqui que os "rapazes da luz" como voces dizem recuperamram a mistica perdida a 15 anos, se bem me lembro em 2003/04 04/05 os diabos vermelhos ocupavam cerca de 3 sectores, cerca de 2000 e tal elementos, faziam coreografias que davam espectaculo. Deviam era dar valor ao que eles fizeram estes anos todos, salvaram o hoquei, apoiam o benfica onde quere que esteja, a troco de que? de um benfica campeao, somos muitos socios de benfica, mas poucos o sentem, poucos o acompanham a todo o lado, poucos sacrificam a sua vida pessoal para ser o 12 jogador.

E se alguem tem algo apontar estamos na curva a apoiar.

Ultras forma de estar, forma de ser!

JNF disse...

Hein?!

Nota-se que é a primeira vez que vens ao blog. És bem-vindo, claro, mas tens de te informar melhor. Por acaso já aqui mostrei o meu bilhete de lugar cativo, já disse que não sou assinante da Sporttv. Qto aos Diabos não poderem usar a sua simbologia, isso não é verdade, sabes isso tão bem quanto eu. Os NN estão tão legalizados quanto os DV e usam os seus símbolos.

Anónimo disse...

caro JNF...lamento mas nao estas bem informado as claques nao podem usar os seus simbolos na luz, fora...a pressao foi aliviada com as excepçoes dragao e alvalade. Sou dos DV pelo benfica e nada +, porem quero é um slb forte com apoio forte venha donde vier. o mundo idela..nao existe, o exemplo ingles e um biom exemplo, mas em comparaçao com o italiano admiro mais o nosso, como ouvi o rui costa a dizer...as claque em portugal incendeiam...o estadio..enquanto em italia sao completamnete aparte, tant que nao subscrevo totalmente ese ideal ultra...assim sendo e esta e uma popiniao pessoal defendo a legalizaçao, nao pq concorde com ela...pq é exagerada, sou socio o clube tem os meus dados e sabe onde me sento ..logo e uma lei hipocrita..para encher telejornais, agora se isso prejudica o benfica...ha que mudar!
Nao entendo a falta de abertura dos dv PARA A LEGALIZAÇAO..nos NN ja me parece mais logica, grupo que respeito nao aceitando todos os comportamentos...(o mesmo dentro dos dv) HAVERA espaço para todos ! com BAnDEIRAS com simbologias de claques (e nao politicas) e terao smp que existir...pq nem todos os dias se joga contra o manchester...dia em que havia um dv/nn dentro de cada socio!!!
PS este momento e dos NN pq as condiçoes assim o determinam...td é ciclico...o importante e que la ande alguem!! e nao so qd as coisas correm bem como agora!!

Anónimo disse...

Peço desculpa por este comentário fora de tempo e tão longo.

Muita gente fala no inferno da Luz, mas pouca o viveu. Aquilo que muitos chamam inferno reporta aos anos 80 e não aos 60 e 70, quando o Terceiro Anel se tornou famoso, como algo extra como por exemplo o Kop (o original, peão), no apoio à equipa, e o Inferno da Luz ganhou forma.

Acreditar que isto alguma vez vai voltar, ou que na Luz vamos ter toda a gente a cantar o "Força Benfica, Vence Por Nós..." ou outras do género, como se estivéssemos em Inglaterra é esquecer a nossa origem latina (com mais tendência para euforias e depressões extremas e menos para a essência do jogo e de tudo o que o rodeia, como os ingleses). O jogo contra o Man United foi uma honrosa excepção. Estivesse o Benfica em grande, a ganhar campeonatos como os corruptos, e ver-se-ía algo aproximado mais frequentemente, mas não se esqueçam que o pessoal agora é comodista, gosta de ter a sporcostv, comentar as belas jogadas do Barça, do Real Madrid, as triangulações, diagonais perfeitas e o caraças. Gosta de ficar em casa a ver o jogo com os amigos e esposas. Já não somos o povo dos anos 60 ou 70, mais sociável e menos a viver para si próprio. Mais companheiro e menos egoísta. Existe mais poder de compra, o pessoal é mais mimado, vaidoso, gosta de mostrar aos amigos o belo LCD 46'' onde se vê a bola como no estádio... E quando estes tipos vão ao estádio, discutem a beleza plástica do lance, se devería ter passado, se a táctica é certa ou errada. Tanta energia gasta em não apoiar a equipa...

A mim nada disso me interessa, detesto futebol espectáculo, triangulações, comentadores acéfalos, sporcostv, LCDs e outros que tais. A mim só me interessa o BENFICA, seja em que modalidade for, ganhe ou perca. Tudo faz sentido quando aquelas camisolas jogam, seja no WC mesmo negando uma derrota histórica ao maior rival, ou num jogo de Andebol com o Porco em que recuperámos de uma desvantagem de 5, para ganhar o jogo... E gosto de apoiar o Benfica até ficar sem voz e ver os outros a comungar esse apoio.

Dito isto, não acho que o Benfica tivesse o mesmo apoio sem grupos minimamente organizados. Ficaría contente por ver os Diabos com mais gente e que quando recuperarem (porque vão recuperar)não se verifique o fenómeno oposto; que o apoio não funcione por modas e que a força de um grupo não se faça da fraqueza de outro.

Eu, mesmo que me achem cota, é no topo sul que encontro outros como eu. Desprezo a violência e os cânticos contra os outros clubes. Mas adoro os nossos cânticos, originais em Portugal e de amor a um clube. Só há um clube amado em Portugal, os outros vivem da inveja e do ódio que nos têm. Nós é que somos o clube diferente... para melhor.

Benfica Sempre!

JotaTê

Anónimo disse...

Miticos No Name Boys no apoio ao Benfica SSEMPRE! Viva a Portugal!!

A seguir aos NN melhor só estes ;)

http://www.youtube.com/watch?v=9MzWm55Yfpk

Anónimo disse...

Em ves de escreverem tanto !
deviamos era comcentrarmo-nos em
apoiar o glorioso!!
Porque apesar de claques
diferentes , somos todos
do mesmo clube, e tanto os diabos como os No Name deviam ser legalizados!
se isso acontecesse , acho que
os maiores do mundo , tinham
receio de vir a luz!!

Trane! :D