segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Todo-o-terreno

Para quem anunciava o fim do Benfica forte e goleador, este foi mais um balde de água fria. Com a possibilidade de alcançar o Braga no topo da tabela, o Benfica não deixou escapar tal oportunidade, realizando uma exibição todo-o-terreno, num relvado que a isso mesmo obrigava, fruto das condições climatéricas. Vitória frente a uma equipa em clara ascensão qualitativa e que possui aquele que é considerado por muitos como o neo-Mourinho, mas que demonstrou que, e apesar de eu também achar que pode alcançar patamares altíssimos, uma falta de classe e inteligência ao nível dos piores.

Nem a chuva, nem o frio, nem a hora e o dia, muito menos o facto de o jogo ter transmissão televisiva em canal aberto, fez com que os benfiquistas deixassem de ir ao estádio apoiar o seu clube. Ontem, foram mais 41.000, mas acredito que até poderiam ter sido mais.

Dificilmente o Benfica poderia ter entrado melhor no jogo. Logo aos seis minutos, após boa tabelinha com Saviola, Cardozo aparece isolado frente a Rui Nereu, ex-guarda-redes do Benfica, e faz o primeiro golo da partida. Tudo fácil, até porque a Académica não decidiu e
estacionar o autocarro. No entanto, os minutos seguintes seriam de dificuldades visíveis para o Benfica. Até bem perto da meia-hora, foi a Académica a controlar o jogo, muito devido à desconcentração visível do sector mais recuado do Benfca, que nas transições defesa-ataque perdeu a bola por demasiadas vezes. Amorim sentiu por diversas vezes dificuldades em fazer esquecer Javi Garcia, pois teve de assumir por mais vezes despesas no jogo ofensivo e não conseguiu ser a "balança" defensiva em que assenta o SLB quando actua o camisola 6 espanhol. Peixoto, naquela que foi uma das suas melhores exibições pelo clube só se soltou após o segundo golo e Maxi Pereira esteve melhor a atacar que a defender. Prova disso é o segundo golo marcado pelo Benfica, numa bela movimentação do lateral que culmina com um chapéu magnífico e irrepreensível de Saviola. Um golo de levantar qualquer estádio do mundo. A Académica sentiu o golo, o Benfica ganhou mais confiança e com trinta minutos o jogo ficou resolvido.

Com 2-0 no marcador o Benfica ganhou mais confiança e conseguiu arrancar para mais uma exibição muito personalizada na segunda parte. Com apenas dez minutos decorridos no segundo tempo, Óscar Cardozo aproveita uma bola solta por Rui Nereu após remate de Di Maria para fazer o terceiro. O jovem argentino esteve muito rematador, muito possivelmente devido a Jorge Jesus, que avisou-o, e muito bem, que deve marcar muitos mas muitos mais golos pelo Benfica. Contam-se pelos dedos de uma mão os golos que tem pelo nosso clube desde que chegou em 2007. Assim de repente lembro-me apenas de um contra o Poltava, outro ao Herta, um ao Nuremberga, outro ao Paços de Ferreira e um ao Braga. Mas fora isto, há que dizer que Angelito esteve novamente ao seu melhor nível, à semelhança de Ramires, eles que estiveram menos exuberantes nas últimas partidas.

Até final da partida apenas há a registar o quarto golo encarnado, terceiro da noite para Cardozo, que eleva assim para 14 tentos em apenas 11 jogos efectuados para a Liga. O Benfica foi manifestamente mais forte até final do jogo, pese embora uma ou outra boa chance para a Briosa, fruto de alguns desentendimentos entre Luisão e Quim, sobre quem deveria chegar à bola quando esta estava à entrada da área. Diga-se que o guarda-redes português teve uma noite tranquila, tendo por apenas uma vez sido chamado a intervir, num remate forte, mas à figura, numa bela defesa que levou o estádio a aplaudir o guardião.

3 pontos, mas uma vez, frente a um adversário que não tem capacidade para fazer o mesmo que no ano passado, mas que mesmo assim pode ir longe com alguns bons jogadores e com um treinador de qualidade que aprendeu com os melhores, mas que revelou uma ridícula falta de educação e profissionalismo com os jornalistas à entrada para a conferência de imprensa, exigindo-lhes que lhe perguntassem por um possível penalty a favor da AAC quando o resultado estava em... 3-0. Enfim, critérios.

Na próxima jornada, a que antecede o clássico frente ao Porto, o Benfica desloca-se a Olhão para jogar com a filial azul-e-branca. Não se tratará de um jogo fácil e adivinho que será mostrado o quinto amarelo a David Luiz, que está a abusar da dureza (foi amarelado nos últimos quatro jogos do Benfica), e que alguns jogadores do nosso clube sofrerão faltas brutais, à semelhança do que aconteceu há uns anos quando defrontámos o Estrela da Amadora em vésperas, precisamente, de um jogo com o FCP. Há que estar vigilante.

7 comentários:

Vermelhusco disse...

Apesar de o Cardozo ter feito um hat-trick tenho que dizer que simplesmente adorei a exibicao do Saviola. Sao jogadores assim que ainda me fazem ver futebol apesar de todo o esterco e corrupcao no jogo.
Aquele chapeu so esta ao alcance de jogadores com classe.

O Benfica jogou bastante bem.

Jotas disse...

Um jogo essencialmente marcado por uma grande eficácia do Benfica, não considero que tenha sido dos melhores jogos do Benfica, mas o marcar cedo, obrigou o adversário a encarar o jogo e quando assim é, normalmente, contra as águias, dá nisto, abençoada crise.
Destaque natural para o momento alto jogo, num momento de pura arte de um jogador que diziam acabado, simplesmente maravilhoso o golo de Saviola.

Anónimo disse...

O benfica este ano está muito melhor, é um facto.
Mas quem ouve o mundo benfiquista falar nota-se uma sobre-excitação, parecendo estar a fazer uma super-época.
Os adeptos do porto, por sua vez, algo tristes, parecem estar a fazer uma epoca muito fraca.
De facto é curioso como o habito molda as emoçoes.

É de rir pensar que nesta super epoca o benfica ainda nao conseguiu ser primeiro (a nao ser numa jornada, ex-aequo) e já está arrumado da taça.

Tenho muito prgulho em ser de um clube que está fraco este ano, mas que vai a apenas 3 pontos do primeiro lugar, que se mantém na taça e joga a liga dos grandes (ou dos campeoes), tendo já passado aos oitavos, ao lote das melhores equipas europeias, enquanto outros se divertem na europa dos pequeninos.

um grande abraço

Fox27 disse...

Não é pela diferença de pontos que o Benfica está a fazer uma grande época, mas sim pelo que joga.

Mas para quem só se interessa por ganhar, seja de que maneira for, esse conceito é capaz de ser difícil de alcançar.

Fox27 disse...

Não é pela diferença de pontos que o Benfica está a fazer uma grande época, mas sim pelo que joga.

Mas para quem só se interessa por ganhar, seja de que maneira for, esse conceito é capaz de ser difícil de alcançar.

Galaad disse...

Fox 27:

Justmente. Existe uma grande diferença entre "vencer" e "ganhar seja de que maneira for". É iso que os corruptos não entendem, e como não querem entender, nem vale a pena tentar explicar...

Tasmaniapt disse...

Ganhar assim até os 3 pontos parecem poucos!!
Força Benfica!!Grande chapéu :D!!