sexta-feira, 29 de abril de 2011

Mais perto de Dublin

Tão perto e ainda tão longe, o Benfica está a um pequeno grande passo de marcar presença na final de dia 18 de Maio em Dublin. A vitória frente ao Braga abre boas perspectivas, mas analisando a campanha que os bracarenses têm feito, nada pode ser dado como garantido. A apenas 90 minutos do sonho, o Benfica terá de saber ser inteligente e matreiro para segurar a vantagem de 2-1 obtida em casa, à semelhança do que aconteceu com o PSG e com o Stuttgart. Se é verdade que, como diz Jesus, que é difícil, quase impossível, impedir que o Benfica marque golos, não é menos verdade que é fácil marcar golos ao Benfica. Este foi o décimo quinto jogo consecutivo em que o Benfica sofreu golos. Por toda esta bipolaridade estamos tão perto e tão longe, simultaneamente.

Não era um Benfica x Braga qualquer, não era apenas "mais um jogo" normal para o campeonato ou para a Taça de Portugal. Numa prova europeia, com o percurso de ambas as equipas, com a polémica que se instalou nos jogos nacionais entre ambos os clubes, este jogo era mais que um jogo: para o Benfica era a confirmação de que, com árbitros estrangeiros, a história seria diferente; para o Braga seria o confirmar de que é definitivamente capaz de bater qualquer equipa portuguesa em qualquer palco, tentando contrariar a tese benfiquista.

Poderia estar aqui a tecer loas à exibição do Benfica, ao facto de o Braga se ter aproximado da baliza de Roberto por raras vezes, mas o que vimos na Luz, é importante não esquecer, foi apenas a primeira parte. Ainda faltam noventa minutos para alcançar a tão desejada final. E se o resultado é o mesmo que nos abriu as portas dos oitavos e quartos-de-final, é ao mesmo tempo o mesmo que nos fechou a porta da final de 94.

Nas duas últimas deslocações a Braga foi o que se viu. Dois roubos de igreja, o primeiro da autoria de Jorge Sousa, com um golo mal anulado a Luisão, o segundo com Carlos Xistra, a expulsar Javi Garcia. A única certeza que tenho é a de que temos de preparar este jogo como se de um encontro para o campeonato se tratasse, pois na UEFA os "acidentes" e os azares também acontecem. Basta ver que há um clube que é sistematicamente beneficiado nos seus jogos. Basta ver que as equipas francesas, com a marca Platini, têm sido escandalosamente ajudadas. Não dêem nada por garantido, preparem este jogo com a maior das exigências e o máximo profissionalismo.

Estamos indubitavelmente mais perto de Dublin do que há 90 minutos. E sabemos que temos de fazer mais do que fizemos nas duas últimas deslocações ao terreno do rival. Custa acreditar, mas precisamos de fazer o mesmo que Quique, com Moreira e Urreta em grande plano, fizeram a Jesus. Faltam noventa minutos. Precisamos de ser Benfica.

4 comentários:

Jorge disse...

Era bom, muito bom que o plantel do Benfica estivesse neste momento a ouvir o forúm da TSF. Somos o bombo da festa. Ninguém acredita em nós. Estamos fisicamente estoirados, o Braga é claramente favorito para o 2º jogo e assim chegar à final e se por ventura graças a algum acaso do destino o Benfica conseguir chegar a Dublin, será só para ser cilindrado pelo Porto. Ao plantel do Benfica uma mensagem: REVOLTEM-SE FODA-SE!!!!
Se não fôr em nome da camisola que vestem, revoltem-se em nome da vossa honra e do vosso brio pessoal. Sejam grandes pelo menos uma vez na vida se é que querem ficar para a história. ÂNIMO CARALHO!!!!!

João Maia disse...

Já viram (pessoa do blog) a crónica do Victor Serpa na contracapa do jornal abola de hoje? Aquilo é ofensivo para o Benfica.
E vem de um homem que é achincalhado e sudomizado em todos os buracos pelo Cabeçilha PdC (tenho nojo de escrever o nome dele).

encarnado88 disse...

Concordo com o Jorge disse em relação ao brio. Mas discordo totalmente que o Braga seja favorito. Não mostrou nada na Luz, no jogo para o campeonato a expulsão, rídicula, de Javi, resolveu muita coisa também! O Benfica tem TUDO para chegar à final e lá, então, esperemos um grande Benfica e que tragam o caneco!! são os meus votos.

Águia Preocupada disse...

Eles estão-se nas tintas para a camisola e para o clube que eles não conhecem, portanto não sentem!
Depois há a grande questão: Quem manda e quem exige dentro do clube?
Vieira preocupa-se com o seu ego e com o status que o ser presidente do Benfica lhe confere! Rui Costa é um objecto de adorno que nada risca. Um cobarde e um traidor que aceitou ser utilizado quando Vieira precisou e se vergou ao achincalhamento que o mesmo Vieira lhe infringiu! Todos os outros acólitos bajuladores que por ali se passeiam, não passam de uns convencidos vaidosos que incham em nome do Clube!
Mas há 92% que gostam... Os outros 8% só tem que aceitar e calar para não serem apelidados de oportunistas e outros cognomes menos honrosos!
Quando acordarem uns e outros, verão quão mal fizeram! Cosme Damião deve dar voltas na tumba!