domingo, 5 de agosto de 2012

Quanto vale um golo?

Segundo a imprensa portuguesa, o Fenerbahçe vai fazer mais um raide na tentativa de resgatar Óscar Cardozo, naquela que é a 32ª investida dos turcos esta época para levar o paraguaio. E ao que parece, desta vez é que a transferência se consumará. A imprensa diz muitas coisas, umas certas e outras erradas, mas vamos supor que o Benfica vendia Cardozo (cenário que, honestamente, se afigura pouco provável).

Não acho que Cardozo seja insubstituível. O seu estilo sim, pachorrento, molengão, goleador, talvez seja, mas o jogador em si não. Aliás, não percebo aquela linha de pensamento de alguns adeptos que acham que uma equipa vencedora tem sempre um ponta-de-lança fixo goleador. A saída de Cardozo traria, a meu ver, mais responsabilidades a Rodrigo, talvez o regresso de Nélson Oliveira, a hipotética vinda de um reforço e necessidade de os extremos e médios contribuírem com mais golos. Conseguiríamos ter tudo isto? Talvez. Mas o mais improvável nestes casos é mesmo a vinda de alguém que faça esquecer a curto-prazo o nosso Tacuara. E conhecendo o meu clube como conheço, o mais certo era gastar-se 8 milhões num jogador que não renderia a curto nem médio-prazo o que teríamos de Cardozo cá estivesse.

Mas Cardozo é sinónimo de golos e é de golos que o futebol vive e de que as equipas ganham jogos e campeonatos. Cardozo aparece nos momentos decisivos, marca nos grandes jogos e nos pequenos, de todas as formas e em qualquer altura, inclusive quando a equipa precisa deseperadamente do golo da vitória a poucos minutos do fim. Tem estrelinha. E tem golo. Pode-se não gostar do estilo, da forma atabalhoada como joga, desengançado, mas sabe-se que, com grande probabilidade, o golo aparecerá. Basta lá estar Cardozo, coxo, doente ou alheado do jogo, só a sua presença vale meio golo.

Se eu gostava que Cardozo fosse vendido? Não. Se acho que o Benfica precisa de Cardozo? Precisa. Se o acho insubstituível? Não. Se as nossas probabilidades em vencer o título diminuem com a saída de Cardozo? Diminuem. Temos mais a ganhar ou a perder com a sua venda? Possivelmente a perder. Mas a sua saída vai ocorrer, mais dia menos dia, mais ano menos ano. É mais ou menos isto. Adoro os golos de Cardozo e espero que continue por muitos e bons anos, mas a sua perda não é, a meu ver, o fim do mundo. Mais grave seria se vendessem Witsel, Maxi, Javi ou Garay, por esta ordem, já esta época.

10 comentários:

BENFIQUISTA de Braga disse...

Caro JNF,

Acho que o LFV está a fazer tudo para nao sair o Witsel. Os adeptos, nao lhe iriam perdoar. A minha opiniao é que ele queira vender o gaitan e o Tacuara, ja que fez uns 9 milhoes com outros jogadores excedentarios.
A tactica do JJ com tanto medio seja jogar com um ponta de lança e acredita qeu o rodrigo possa fazer esse lugar...
Esta é a minha opinião (atenção, estou apenas a tentar pensar pelas cabeças dos homens e n~~ao a dizer a minha oiniao sobre o Cardoso)

Anónimo disse...

Tens razão. O Cardozo não é insubstituível mas que faz muito jeito, ai isso faz.
Acho que seria prejudicial ele ser vendido esta época pois o JJ já trabalha com a equipa à 4 anos sempre usando a referência do Cardozo no ataque. E o próprio JJ já disse que não prescinde do Cardozo, ou seja, está bem ciente da importância dele na equipa.
Claro que depois temos o Rodrigo que é um excelente jogador, o R. Mora que se começa a mostrar e até o Michel que poderá ser uma bela surpresa, mas será que eles teriam a contabilidade de golos do Cardozo? Não se sabe e é sempre um risco.
Ou seja, medindo os prós e os contras, prefiro que o Cardozo fique.

Anónimo disse...

Deixem o homem estar onde está...que está muito bem

GNR

João disse...

Se Cardozo sair, irei ouvir tanta vez "ninguém marca a merda de um golo nesta equipa, tinham de deixar sair o tacuara..."

Anónimo disse...

Vi há pouco duas noticias em 2 jornais: no site da abola diz que o Cardozo é intransferível (pelo menos pelos valores que oferecem acho bem que assim seja) e depois vi na capa do JN um título que todos, mas mesmo todos, os benfiquistas gostariam que fosse verdade e passo a citar: "Coentrão quer voltar já ao Benfica". Ai, bom demais para ser verdade...

Anónimo disse...

Pois eu acho que há ainda mais um ângulo neste problema. Infelizmente para nós, temos um treinador que se diz o "mestre da táctica", mas até hoje só sabe colocar a equipe em 4-4-2, ou na sua variante "Witsel" 4-2-3-1 (para mim é um sub-sistema do 4-4-2, que o belga pela sua qualidade e Aimar pela sua magnificência tornaram inevitável).

Ora já o ano passado, e então este com a chegada de Sálvio e Martins ainda mais, me parecia que o Benfica tinha tudo para no mínimo alternar o 4-4-2(4-2-3-1), com o 4-3-3 especialmente na Champions.

Não é por acaso que a larga maioria das equipes continentais usam este sistema.

Mas obviamente esta solução traria 2 problemas.

a) o 4-3-3 implica rotinas completamente diferentes de rotação de flanco e basculação,(processo ofensivo) e cobertura defensiva lateral (processo defensivo)...e sobretudo nestas segundas o mestre da táctica não está nem aí, nem está nem vai estar para nossa desgraça, por isso é que continuamos a encaixar a larga maioria dos golos em jogadas do flanco para o centro...e o mestre da táctica o que faz? Desanca no Ola John, um miúdo holandês de 19 anos, que além do mais é o protótipo do jogador talhado para o 4-3-3!

b) a equipe em 4-3-3 poria o Cardozo...no Banco! Pois a frente seria sempre (AD - Sálvio; AC - Rodrigo ; AE - Nolito ou Ola John)...já que Gaitán esse sim é um jogador para 4-4-2.

Voltando ao post...Cardozo é de facto imprescindível, não para o SLB mas para Jesus, cuja sistema de jogo repetitivo, e assente na quantidade de ataques, muitos dele em transição clama pelo Paraguaio.

E como não está fácil encontrar no mundo este tipo de aves...mais vale ficar com a que temos...já que temos JJ é melhor ter Cardozo!

aalto

JNF disse...

Não acredito minimamente no regresso de Coentrão. Não acho que exista vontade do jogador, que deve querer provar o seu valor em Espanha, nem vontade do RM em libertá-lo, vito ter custado muito aos merengues.

Anónimo disse...

não tem nada a ver com este assunto, mas já viram esta noticia?
"Coentrão quer deixar Real e retornar ao Benfica"
"Segundo a publicação, o Real só aceitará a transferência caso recupere grande parte dos 30 milhões de euros (R$ 75,3 milhões) investidos na contratação de Coentrão. Uma opção seria incluí-lo no negócio por Alex Witsel. O belga do Benfica é um dos alvos merengues para a próxima temporada.
A reportagem cita que Coentrão está insatisfeito com o comportamento da torcida do Real Madrid, que prefere Marcelo na lateral-esquerda. Ele estaria querendo retornar para essa temporada ao futebol português."
O QUE ME DIZEM A ISTO, NÃO ACREDITO MUITO QUE SEJA VERDADE,MAS...

JNF disse...

Tenho 2 coisas a dizer sobre o assunto Coentrão:

1 - Incluir Coentrão no negócio de Witsel significava que perderíamos Witsel, ou seja, era tapar de um lado para destapar de outro.

2 - O seu regresso, agora, parece-me um cenário irreal.

Bicadas disse...

Há 2 meses defendia a venda do Cardozo. Agora não. Não só pela saída do Nelson, mas essencialmente porque a pré-época está a acabar e pouco tempo sobra para enraizar um sistema necessariamente diferente.

De resto concordo com o JNF: gosto do Cardozo, é importante, mas não é insubstituível. É bom ter um homem golo, mas não é apenas assim que uma equipa é concretizadora. O Benfica, numa época em que o Yuran era o ponta de lança, marcou 86 golos para o campeonato.

Cumprimentos