terça-feira, 8 de março de 2011

Liverpool 2000/2001

Há clubes com os quais nos identificamos. Eu sou Benfica e apenas Benfica, não sou nerazzurri, madridista, mancuniano, o que for. Apenas e só Benfica. Mas há clubes estrangeiros com os quais nos identificamos por uma razão ou por outra. Em Inglaterra, há um em particular que atravessou (e atravessa) uma crise semelhante à que o Benfica atravessou no final da década de 90 e início do novo século, o Liverpool. Campeões ingleses pela última vez em 1989/1990, acompanharam o jejum do Benfica que se iniciou em 1994 durante os onze anos que nos lembramos. Nós ganhámos o campeonato, eles não. Apesar de tudo, a grandeza de ambos os clubes nunca esteve em causa no período negro, e muito se deveu aos excelentes adeptos de ambas as equipas.

Em 2000/2001, o Liverpool, como vinha sendo hábito, foi rapidamente afastado da corrida pelo título. A inconstância da equipa não permitia lutar pelo lugar cimeiro em Inglaterra. No entanto, com um bom conjunto de jogadores e com um técnico competente e experiente, era possível almejar algo mais. E assim foi. Focando as atenções nas provas em que tinham reais possibilidades, a equipa da cidade dos Beatles levou de vencida a Taça da Liga, a Taça de Inglaterra e a Taça UEFA, tendo batido nesta última prova a Roma, o Porto, o Barcelona e o Alavés.

É isto que o Benfica tem de fazer, imitar o Liverpool de 2000/2001. Difícil, mas não impossível. Concentrando as atenções na Liga Europa e não negligenciando as duas taças internas, é possível alcançar este feito. Implica jogar com habituais suplentes no campeonato? Que se faça isso, já está perdido (desde Agosto).

4 comentários:

FireHead disse...

Ora aí está um post que vai de encontro ao que eu sempre defendi. Aliás, eu até vou mais longe: entre o campeonato e a Liga Europa, claramente a Liga Europa! O que nós queremos é um Benfica grande na Europa e não apenas em Portugal. Temos que admitir que a Liga dos Campeões é e será uma miragem mesmo num futuro próximo e a Liga Europa sempre é mais acessível. No ano passado tínhamos tudo para a vencer, não fosse aquele jogo da Figueira da Foz onde Jorge Jesus decidiu não prescindir dos jogadores mais importantes. E já lá vão 49 anos desde a última conquista europeia...
Jorge Jesus que aproveite agora o campeonato para rodar a equipa e apostar nos menos utilizados, pois assim como só uma hecatombe tiraria o título aos corruptos (qual hecatombe, qual quê, o título já era deles ainda antes de o campeonato começar), também dificilmente perderemos o segundo lugar. O objectivo mínimo é conquistar a taça da liga (que vale mais que a supertaça) e a taça de Portugal, sem nos esquecermos que é fulcral vencer os dois jogos na Luz com os corruptos (para ficar 3-2 a nosso favor no resultado dos confrontos com eles e também para evitar que eles acabem o campeonato invictos, uma vez que não estou a ver mais nenhuma equipa a ser capaz de lhes bater o pé em Portugal). Vencer também a Liga Europa, cuja final é antes da do Jamor, seria brutal. Por mim, "só" vencer a Liga Europa já era bárbaro, mas claro, há que lutar pelas frentes em que só dependemos de nós próprios.

Anónimo disse...

A GENTE A VER PROGRAMAS DESPORTIVOS

E A VER CERTOS COMENTADORES QUE POR

LÁ OPINAM, DESCOBRE COISAS DO CATANO.


ELES SABEM DE TUDO, MAS HÁ MUITA COISA

QUE NÃO SABEM, PORQUE É PRECISO ESTUDAR.

NÃO CHEGA AQUELA SABEDORIA DE CAFÉ

OU DE BISCA LAMBIDA, OU SABE-SE LÁ DE QUÊ


JAVI GARCIA AGREDIU

REBEUBEU, AGREDIU, REBEUBEU

PARDAIS AO NINHO....PORQUE SE VÊ UM

BRAÇO DO JAVI GARCIA A IR PARA A FRENTE.


BOM ALGUEM EXPLIQUE ALGUNS PRINCIPIOS

DA FÍSICA A ESSA GENTE.

E COMEÇAMOS LOGO COM UMA CITAÇÃO

DE ARQUIMEDES JÁ NOS LONGÍNQUOS ANOS

DE APROXIMADAMENTE 250 ANOS ANTES DE CRISTO

REPETIMOS ANTES DE CRISTO

"DÊEM-ME UM PONTO DE APOIO E EU MOVEREI

O MUNDO"


ORA JAVI GARCIA NÃO TINHA PONTO DE APOIO

NENHUM, PORQUE ESTAVA COM OS DOIS PÉS NO AR.

MESMO QUE TIVESSE INTENÇÃO DE AGREDIR

O SEU GESTO SERIA INCONSEQUENTE POR LHE

FALTAR UM PONTO DE APOIO SÓLIDO QUE TERIA QUE

PASSAR NECESSÁRIAMENTE POR TER OS PÉS NO

CHÃO.


POR OUTRO LADO O JAVI GARCIA VAI EM QUEDA

PARA TRÁS, O QUE AINDA DESVITALISA MAIS A SUA

HIPOTÉTICA VONTADE DE AGREDIR.


ALIÁS, O ELE ATIRAR O BRAÇO PARA A FRENTE, MAIS

NÃO É DO QUE UMA REAÇÃO CORPÓREA NATURAL,

TENDENTE A RESTABELECER AUTOMÁTICAMENTE

UM EQUILIBRIO QUE LHE

ESTAVA A FUGIR.


RESUMINDO. JAVI GARCIA NÃO AGREDIU NINGUEM E

AINDA QUE O TIVESSE TENTADO, NÃO

ULTRAPASSARIA A FORÇA DE UM BEBÉ.


QUEM FOI VIOLENTO INDO AO CORPO E NÃO À BOLA,

FOI O JOGADOR DO BRAGA.


DEVIA TER HAVIDO ACÇÃO DISCIPLINAR SOBRE

ALAN E FALTA A FAVOR DO BENFICA.


AGORA, QUEM FEZ FALTAS PARA VERMELHO,

COM OS PÉS NO CHÃO, COM DOIS PONTOS DE APOIO

BEM SÓLIDOS, FOI AQUELE ARGENTINO QUE FERROU

UM ESTABEFE NO COENTRÃO E TRÊS PEITADAS NUM

APINTADOR.


PORTANTO SENHORES COMENTADORES

ESTUDEM AS LEIS DA FÍSICA E ALGUNS PRINCIPIOS

BÁSICOS QUE JÁ O ARQUIMEDES SABIA HÁ MAIS DE

2000 ANOS


BENFIQUISTA DO CORAÇÃO

David Duarte disse...

O que eu acho incrivel é que a maioria dos benfiquistas teve semanas e semanas a acreditar que tinhamos plantel para lutar a fundo em quatro provas diferentes. Isto não foi apenas culpa dos adeptos em si, foi igualmente culpa da equipa técnica e dos responsavéis pelo nosso clube. E sobretudo uma irresponsabilidade! Explico-me:

A partir do momento que o discurso oficial do Benfica teimou em afirmar que somos candidatos a tudo, as opções técnicas e igualmente a dedicação dos jogadores em campo deve mostra-lo. Mas, ja repararam na série que tivemos: 2 jogos com o Sporting, uma eliminatoria com o Estugarda que se tornou dificil depois do primeiro jogo na Luz, 1 jogo com o Guimarães e um outro dificil com o Maritimo e para acabar o Braga.

Todos estes jogos foram jogados nos limites e as consequências, bom, basta comparar o jogo na Luz com o Guimarães e este em Braga para as termos. Os jogadores do Benfica estão cansados e a poupança do Salvio e do Gaitan é uma prova disso. Penso que esta rotatividade deveria ter sido feita muito mais cedo para podermos estar a 100% agora nas provas em que realmente tinham uma possibilidade forte de ganhar.

Sei muito bem que dificilmente teriamos (ou mesmo teremos) responsaveis assumindo oficialmente que o Benfica desiste da corrida pelo titulo. Tal coisa seria incompreensivel para muitos adeptos. Mas o problema é que se foi alimentando uma ilusão no que respeita ao titulo que pode agora nos afectar nas competições, sobretudo a Liga Europa, em que temos uma real possibilidade de sucesso.

Custa-me bastante isto, custa-me bastante ver o Benfica a querer dar passos maiores que as suas pernas. O Benfica ainda não tem plantel lhe permitindo lutar a 100% em todas as provas... sobretudo quando numa delas passamos toda a época a 8 (agora 11) pontos de quem vai à frente.

P.S.: e não me venham com coisas. Tendo em conta a falta de competitividade do nosso campeonato, uma Liga Europa vale mais ou pelo menos tanto como o titulo nacional.

Anónimo disse...

Hoje sonhei:

1/8 - Eliminávamos o PSG,
1/4 - Eliminávamos o CSKA
1/2 - Eliminávamos o Liverpool
Final - Ganhávamos ao Rangers.

Era lindo.

GNR