segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Caminho marítimo para Coimbra

Jesus prometera que uma onda de calor iria invadir a Luz e não deixaria nenhum adepto passar frio num jogo decisivo da competição que continua a dividir tanto a opinião como a militância benfiquistas. Assim foi. Num jogo quentinho, o Benfica despachou o Marítimo por claros 3-0, resultado no entanto enganador sobretudo devido à forma como os insulares entraram em campo. Mesmo com alguns jogadores habitualmente não titulares, o Benfica soube dar muito boa resposta, nomeadamente por Eduardo, com uma intervenção enorme aos pés de Sami com o resultado ainda a zeros, mas também por Nélson Oliveira, com muita liberdade de movimentos e muita intensidade de jogo. E apesar do início ameaçador do Marítimo, o Benfica recompôs-se e respondeu à altura, com várias ocasiões de golo e alguns momentos de bom futebol. Nélson Oliveira e Rodrigo, este último na condição de suplente e por duas vezes, fizeram os golos da vitória encarnada que carimbam a passagem às meias-finais da Taça da Liga, onde defrontaremos o Porto de Lucho Gonzalez.

7 comentários:

CP disse...

Os 3-0 foram mesmo claros e o resultado não foi enganador. De facto, houve uma jogada de perigo - na sequência de um lance de bola parada a favor do Benfica - e que, dada a incapacidade do espanhol "campeão do mundo" -, se não fosse a intervenção do Eduardo, o Marítimo poderia ganhar vantagem e complicar o jogo. As restantes jogadas de real perigo criadas pelo Marítimo devem-se a erros de jogadores do Benfica que, de vez em quando, são habituais "fornecedores" desse tipo de benesses (Gaitán e Eduardo - quando um guarda-redes é um "primor" a jogar com os pés, mais vale mandar a bola para a lateral do que pontapear para a frente e da forma como o fez e, quando joga, por vezes faz). Foi uma vitória clara e que venha a tripeirada, porque a equipa respira confiança. Portanto, CARREGA BENFICA!

PB disse...

Um bom jogo. Valeu essencialmente pelo tempo de jogo dado aos menos utilizados.

joão bobe disse...

CP não sei a que lance te referes. Mas os lances mais perigosos para o Marítimo nada têm a ver com o Cap "o espanhol campeão do Mundo"...
a campanha de estupidificação pró emerson continua

CP disse...

joão bobe:
Se viste o jogo, quem tentou acompanhar o Sami e ficou nas covas, porque não tem velocidade para ficar como jogador mais recuado e, assim, tentar evitar jogadas de contra-ataque, foi, de facto, o Cap, o espanhol campeão do mundo. E havia apenas 4 minutos de jogo. Quanto à "campanha de estupidificação pró emerson" continuar... quem quiser que enfie a carapuça. De uma coisa tenho a certeza: o rapaz não tem culpa de o terem contratado para estar no Benfica.

JNF disse...

Em velocidade, o Abidal e o Sergio Ramos também teriam perdido para o Sami. Crucificar Capdevila por aqui não é justo, aliás, o Maxi também perdeu em velocidade com o guineense.

CP disse...

JNF:
Não se trata de crucificar Capdevill, porque foi (é e será) uma evidência. Havia apenas 4 minutos de jogo e o Sami veio desde o meio campo do Marítimo enquanto o Cap estava no nosso meio campo. Com a sua experiência, não terá abordado o lance da forma mais conveniente, é a minha opinião. Saudações BENFIQUISTAS e continua a animar o blogue com os teus "posts".

JNF disse...

Mas o Maxi não passou por enormes dificuldades (como passa sempre, aliás, quando tem um extremo rápido pela frente, chame-se ele Sami, Djalma ou Ola John)?