quinta-feira, 17 de setembro de 2009

O Regresso do Capitão (The One and Only)

Os cerca de 35 000 benfiquistas que se deslocaram à Luz não saíram certamente defraudados nas suas expectativas. O Benfica venceu e convenceu desta vez frente ao complicado, se bem que amanhã aparecerá muito boa gente a dizer o contrário, BATE Borisov.

Jorge Jesus optou por "arriscar" (termo utilizado pelo mesmo no final do jogo), mudando alguns jogadores: Júlio César, que rubricou uma boa exibição, substituiu Quim; Maxi Pereira, que agora mesmo recuperou de lesão, rendeu Rúben Amorim; Felipe Menezes, jovem contratado ao Goiás, fez a posição de Aimar; e ainda Nuno Gomes, o capitão, voltou para o lugar de Saviola, rubricando uma excelente exibição, pese o controlo de bola falhado (ansiedade certamente) no início da segunda parte.

Como disse, a equipa mudou, mas a atitude e a vontade de vencer estavam lá e assim tudo se torna mais fácil. O jogo ficou resolvido no primeiro tempo, com golos de Nuno Gomes e Cardozo, tendo o golo do paraguaio resultado de uma jogada que, devo dizer, para quem gosta de futebol, é "um mimo". O início do jogo não foi fácil, até porque o BATE defendeu alto e sempre pressionante, mas assim que surgiu o primeiro golo, as coisas simplificaram-se. Nem sempre dominador, o Benfica foi claramente a melhor equipa, apresentando apenas uma postura mais defensiva nos derradeiros dez minutos. Devo por isso destacar as exibições de David Luiz, que jogou e fez jogar, Luisão, muitíssimo autoritário a defender, Ramires, que está em todo o lado e Nuno Gomes, cuja ausência foi sentida após a substituição.

3 pontos, os mesmo que o Everton que goleou o AEK em Goodison Park, Liverpool. A próxima jornada será precisamente frente ao grande derrotado desta jornada, sendo que uma deslocação à Grécia é sempre, mas mesmo sempre, muito difícil: ambiente infernal e equipas aguerridas, especialmente depois do orgulho ferido. Vemo-nos em Hamburgo!

P.S. Não sei quais foram os motivos da birra de Rúben Amorim, mas são momentos como aqueles que dispensamos numa altura como esta. Há que repensar certas atitudes.

P.P.S.: Olha que dois...

6 comentários:

H. disse...

O que se passou com o Amorim? não me apercebi de nada...

Bruno Venâncio disse...

Da análise não há muito a dizer, tudo correcto. Mas não sei a que te referes no PS: que aconteceu com o Rúben?

E já agora, que bela foto!

JNF disse...

Mal terminou o encontro, em vez de ir ao centro do campo agradecer o apoio dos adeptos, Amorim saiu disparado para os balneários, sendo preciso ir Jesus chama-lo e Pietra arrastou-o para o campo. Fez birra, não sei porque. Podem ler isso mesmo aqui

djeiti disse...

Os avançados vivem para marcar golos. E fico satisfeito quando os que jogam conseguem marcar os dois.
Fiquei ainda mais agradado com o facto do capitão Nuno Gomes ter marcado o 1º e feito a grande assistência para o 2º, pois é importante que todos os jogadores se sintam úteis à equipa e não apenas os que integram o 11 base titular. O capitão aproveitou a oportunidade para cumprir o seu papel e demonstrar que podem contar com ele! É muito bom ver um jogador dar provas que pode ser útil e alternativa aos habituais titulares, pois não só lhe dá confiança como transmite para os colegas que têm de continuar a trabalhar bem para merecerem continuar a jogar de início.
Engraçado é que ganhamos por 2 a zero mas ficamos com a sensação que sabe a pouco...tamos a ficar mal habituados! :)
PS - eu tambem reparei no q se passou com o Ruben na altura e fiquei preocupado pois sao essas coisas q podem desestabilizar o ambiente la dentro. Ele foi direito ao balneario por qq motivo aborrecido e o Pietra arrastou-o para o centro do terreno. Ele lá foi juntar-se aos colegas e aplaudiu com os braços meio caídos rapidamente e voltou a andar rapido para o tunel enquanto os outros ainda continuavam a agradecer o apoio...nao foi bonito de se ver...o Ruben é um de nós e espero q continue com a mesma vontade e dedicação q sempre tem tido.

Jotas disse...

Sem Aimar, necessariamente o futebol encarnado tem de ser outro e na ausência de alguma criatividade e fluídez de jogo, surgiu o empenho e as constantes trocas posicionais dos seus jogadores, com Ramires em grande plano.
Destaco ainda o regresso do nosso capitão Nuno Gomes, um belo golo e um passe magistral para o segundo, a mostrarem que Nuno está vivo e de saúde e sempre com uma grande disponibilidade em dar o seu contributo à equipa. Um capitão é assim.
Filipe Menezes, ainda em fase de adaptação ao futebol do Benfica e europeu, fez um jogo em crescendo, com pormenores muito interessantes, a mostrar, que melhor integrado, temos um jovem de muita qualidade e de futuro garantido com êxito no Benfica.
P.S. os dois eram três, pois ainda lá estava o Veiga.

Bruno Venâncio disse...

Pois realmente na transmissão televisiva eu bem vi o Jesus a ir a correr para o túnel e percebi que alguma coisa se passava mas a transmissão acabou aí e não deu para perceber mais nada. Não via o Rúben com perfil para birrinhas estúpidas, mas realmente nunca se pode dizer nunca.