sábado, 10 de março de 2012

Trilogia Proença

Uma semana depois, ainda não consegui esquecer. Provavelmente nunca esquecerei. O que Pedro Proença fez na Luz foi o terceiro episódio de um conjunto de exibições desastrosas contra o Benfica. E escrevo este post uma semana depois por uma razão muito simples: é importante que os benfiquistas não deixem cair no esquecimento o que este senhor já tentou e já fez contra o Benfica.

7 de Maio de 2005 - Penafiel 1-0 Benfica: O Benfica deslocava-se ao Estádio 25 de Abril na 32ª jornada da Superliga com 3 pontos de vantagem sobre o segundo classificado, o Sporting. Estávamos na recta final do campeonato e o conjunto liderado por Giovanni Trapattoni debatia-se com algumas dificuldades físicas: privados de Nuno Gomes, Luisão e Manuel Fernandes (e com Simão muito debilitado), a deslocação à casa dos durienses não se adivinhava fácil. Mais difícil se tornou quando Pedro Proença, que nesse mesmo campeonato tinha roubado descaradamente o Benfica em casa contra o Sporting no primeiro derby do novo Estádio da Luz, fechou os olhos a três claros cometidos por jogadores dos rubro-e-negros. Três penalties claríssimos, evidentes e óbvios. Proença fingiu que não viu. O Benfica saiu derrotado de Penafiel por 1-0 e foi ultrapassado pelo Sporting. Apesar de tudo, acabou por se sagrar campeão fruto de um jogo memorável contra os rivais de Alvalade na semana seguinte.

8 de Fevereiro de 2009 - Porto 1-1 Benfica: Liderados por Quique Flores, os jogadores do Benfica não praticavam um futebol vistoso, longe disso. A qualidade do espectáculo era muitas vezes deprimente. Mas iam ganhando. Só não ganhavam mais vezes porque não deixavam. Foi assim com o Setúbal na Luz, assim foi com o Nacional igualmente em nossa e casa e também com o Porto no Dragão. Na segunda jornada da segunda volta, o Benfica deslocou-se ao Dragão sabendo que a vitória o deixaria isolado no topo da tabela. Yebda colocou o Benfica na liderança, mas um penalty inventado por Proença por pretensa falta do argelino sobre Lisandro deu o empate e a liderança do campeonato aos azuis-e-brancos.

2 de Março de 2012 - Benfica 2-3 Porto: O que todos vimos e sabemos. O Benfica não vinha num bom momento, mas com um árbitro minimamente imparcial teria ganho o jogo. O Porto marca dois golos na sequência de lances irregulares e Proença ainda expulsa Emerson de forma abjecta. Dualidade de critérios gritante, permitiu que Janko fizesse mais de 6 faltas sem ver um único cartão, lesionado Garay pelo caminho.

Sempre que é preciso encostar o Benfica na corrida pelo título, chama-se o Proença. Ou o Xistra. Ou o Benquerença. É preciso que camelos como estes deixem de arbitrar os nossos jogos. Corruptos ou mal intencionados, não podem entrar no mesmo campo que o Benfica. Não são tão incompetentes quanto parecem.

7 comentários:

Tiago disse...

só 3?? eu lembro-me de muitos mais jogos em que o Proença inclinou o campo como se fosse os alpes.

PluribusUnum7 disse...

http://pluribusunum7.blogspot.com/2012/03/pedro-proenca.html

Isto diz muito sobre Pedro Proença. E só estão aqui as ultimas 3 épocas.

Anónimo disse...

Esse não engana, e é de digestão difícil, como te compreendo...

jmdeviveirosf disse...

Se fossem tao incompetentes para o sistem nao se classificariam tao bem posicionados... sao internacionais \carago!!!

JNF disse...

tiago(1) e jmdeviveirosf(2):

1 - há muitos mais, mas estes 3 foram os que afastaram o Benfica da corrida pelos títulos. Ou tentou, não conseguindo, no caso dos primeiros.

2 - E os observadores? Não contam, queres ver... ainda me lembro que Proença levou nota negativa no Porto - Benfica de 2009 por, supostamente, beneficiar o Benfica. Só rir nesta merda de país.

eupensopelaminhacebeçaeusoulivre disse...

Será possível num país mesmo corrompido este senhor voltar a arbitrar o Benfica?

Pedro disse...

Em penafiel foram quatro penaltys por assinalar...quatro!!!!